Falando de...



...ouvi falar de: Lerdos, patetas, paspalhos. Quengas, mercenários, ladrões... Até que encontrei...


Pessoas andando.


Silvano achava Paulo um tirano,

Já Paulo considerava Nicandro um grande malandro,

enquanto Nicandro (que era mudo!)

usou de gesto obsceno para falar de Heleno,

Mas Heleno dizia ser Maroca uma fútil dondoca,

E Maroca via Binho como um cara bem rudezinho,

Para Binho

A Margareth não passava de uma periguete.

O Sidney, a Margareth espalhava que era gay,

A Cajazeira, o Sidney gritava: é saciseira!!!

O Calheiro, a Cajazeira apontava: é maconheiro!!!

 

Assim, ouvi falar de:

 

Lerdos, patetas, paspalhos.

Quengas, mercenários, ladrões...

Até que encontrei

Jesus Santos Purificação dos Anjos,

 

Que além de não querer falar mal de ninguém,

Lhe mandou um grande abraço.

 

O que?..

 

Ele é o que?..


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Pai. Sem ser super, ser “Herói”

Cidadão. Saia da caverna!