"Quadrilha" - Antonio Pereira Apon



... Uns estão bem, alguns aguardam o teste de HIV ou DNA, uma casou com um não citado alguém, outra foi ser "testemunha de Jeová" e eu continuo a preferir os versos do saudoso poeta...


Antonio Pereira Apon.


Sinal vermelho.


Nesses tempos, onde o amor anda em desuso, as paixões andam tão voláteis como as de um "reality show" E o namoro virou coisa do passado. Certamente, a "quadrilha" de Carlos Drumond de Andrade seria algo mais ou menos assim:


Marcos ficou com Priscila,

Que ficou com Paulo,

Que ficou com Tarsila,

Que ficou com Thiago,

Que ficou com Saulo,

Que ficou com Tereza,

Que ficou com Amélia,

Que ficou com Geraldo,

Que ficou com Sabrina,

Que ficou com Ricardo.


Ricardo era um cara pintoso, um típico pegador! Pegou meio mundo...


Mas morreu só em um quarto imundo

Quando a AIDS o levou.


Os outros???


Uns estão bem,

alguns aguardam o teste de HIV ou DNA,

uma casou com um não citado alguém,

outra foi ser "testemunha de Jeová"

e eu, continuo a preferir os versos do saudoso poeta Itabirano.



(Postado aqui em agosto de 2007).


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Gostei muito Antonio, muito bem sacada a idéia. Retratou a realidade e suas possiveis consequencias de maneira esplendorosa. Que sejamos cuidadosos ao escolher o tipo de vida que queremos para nós. Excelente para conscientizar os jovens.
    GRANDE abraço,

    ResponderExcluir
  2. Oi Ademar.

    Nesses tempos de banalização do sexo e maus exemplos de BBBs, pagodes, novelas e outras coisitas. É sempre bom “cair na real”, lembrar que não vivemos na “Ilha da fantasia” e que podemos gerar sérias consequências para nossa vida (ou para o que restar dela. Se restar!).

    Obrigado por ler e comentar.

    Um abração

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Acróstico junino

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Qual o limite da amizade?

Você não precisa de cerveja para ser feliz

Querido defeito de estimação…