A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



terça-feira, 3 de junho de 2014

"A copa do mundo é nossa". A conta também!





Passados quase sete anos de quando escrevi a postagem abaixo, em 31 de outubro de 2007, Dá para concluir que o povo pagou por banquete e orquestra, para receber pão dormido, aquele velho pão que a politicagem não cansa de amassar, junto com o seu já tão manjado, pobre e podre circo. Com Copa ou sem ela, os recursos certamente arranjariam outros ralos para escoar para bem longe dos legítimos interesses dos brasileiros. Os pífios legados que restarão só demonstram o nível de cinismo e despudor a que chegou a politicalha. A tanta desvergonha cabe uma resposta maiúscula nas urnas, desratizar o poder. Torcer pelo Brasil nos campos. Mas não esquecer que fora das quatro linhas, precisamos construir um país digno e justo, que não cabe no faz de conta de tanta propaganda, bravata e factoide. Um Brasil de verdade.


Futebol.


64 anos depois, o Brasil estará sediando mais uma copa. Inversamente ao que dizem os críticos, considero que temos plenas condições de promover um evento de tal magnitude. Nosso real problema não é falta de dinheiro, o cancro nacional é a falta de vergonha , do povo, que elege notórios picaretas, e destes, que cada vez mais despudorados, saqueiam o erário. Um país que suporta mais de 500 anos de espoliação (interna e externa), sobrevive a "anões, pastas rosa, mensalões, mensalinhos" e outras tantas mutretas, tem uma saúde financeira digna de uma superpotência, que até aqui seus incontáveis Alibabás (cada qual com seus sempre mais que 40 ladrões), não conseguiram falir.

Alguns argumentam que o que vai se gastar no futebol, poderia ser empregado na saúde, na segurança, na educação, estradas... Seria mesmo????????

Portanto, não precisamos nos preocupar com os custos , tem grana (literalmente) saindo "pelo ladrão". Devemos estar é muito atentos à politicalha tupiniquim, que certamente tentará tirar proveito da "narcose" futebolística da população. Rumores de terceiro mandato, fim do Senado e outras coisitas. Será que a Venezuela é aqui????

As cidades em que acontecerão os jogos, "forçosamente" terão alguma melhoria em sua infraestrutura, o "vergonhão" aéreo deve melhorar... Fora isso, com copa ou sem copa, as grandes mazelas nacionais, só serão verdadeiramente "atacadas", quando o populacho descobrir que "Papai Noel" não existe e que o único Salvador de alguma coisa, foi assassinado em uma cruz a mais de 2000 anos. Aqui, a suposta esquerda e a direita, nada mais são que “gatos do mesmo balaio, farinha do mesmo saco, esterco do mesmo pasto". Mudanças, com toda certeza, não virão dessa gente.

Mas, voltando ao futebol; é hora de "relaxar e gozar", gritar: Brasiiiiiiiiil!!!!!!!

Alienação pouca é bobagem.

Vai que é sua meu povo!!!


Bola.
Leia também:
Acróstico de um Brasil "fifado"
Efeito Copa. O mito da...


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Compartilhe:

2 comentários:

  1. Vai que é sua... a copa do mundo é nossa, com brasileiro não há quem possa.. 80 milhões em ação pra frente Brasil... a música agora é outra!!!!

    Grande abraço meu caro

    Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Celebremos o nosso Brasil, torçamos pelo Brasil do futebol. Ao brasilzinho da politicagem e tanta sacanagem, respondamos nas urnas desratizando o poder.

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.