Hoje é um bom dia...



O hoje existe, é real. O amanhã, um se, talvez, quem sabe? ... Por isso, hoje é sempre um bom dia para...


Antonio Pereira Apon.



Um amanhecer.


Hoje é um bom dia:

Para falar com aquele amigo que você não vê a tanto tempo,

ler aquele livro...

ver aquele filme...

Escrever poesia,

falar de amor,

sorrir aquele sorriso menos contido,

abraçar aquele abraço mais apertado,

dar aquele passeio,

vestir a "domingueira"...

Hoje é um ótimo dia:

Para começar a ter uma alimentação mais saudável,

fazer um "check up",

sair do sedentarismo,

largar o fumo,

deixar o álcool e qualquer outra droga,

parar de stress, lembrar de Deus, fazer meditação...

Excelente dia hoje:

Para visitar aquele orfanato,

ir aquela instituição de auxílio,

ser voluntário,

doar sangue,

dar aquilo tudo que você já não usa...

Pensar um pouco mais nos outros...

Julgar menos...

Ajudar bem mais...

Saber o que seu candidato anda fazendo com o mandato que você lhe deu...

Comunicar a todos sua decisão de ser doador de órgãos e tecidos...

Hoje é o grande dia!

Pare de adiar, protelar, deixar para depois,

retardar, delongar,

aguardar por datas especiais.

Se dê esse presente!

Presente é o agora,

o passado é lembrança,

o futuro uma probabilidade.

Hoje é natal, ano novo,

dia dos pais, das mães,

das crianças, dos namorados,

do idoso, de ação de graças e do que mais você quiser!

Esqueça a folhinha! Seu coração deve ter um calendário próprio.

Lembre-se:

Hoje é um bom dia! ...

Postado aqui em 11 DE OUTUBRO DE 2007.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Oi, Antônio!

    Por aqui, se diz que "Natal, é quando um homem quiser".
    Seu poema, é puro incentivo, mas você acha que as pessoas saem do seu mundinho pra ir visitar doentes e orfanatos?
    Hoje é dia de curtição, aí, eles vão, É DIA, mas colaborar e amar o próximo, (só se for a próxima) eles não estão nem aí.

    Bom domingo.
    Abraços da Luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem como você diz. E não alimento qualquer ilusão quanto à benemerência, tão ausente. Mas, como na parábola evangélica do Semeador; Além das sementes que caem entre as pedras, e as sufocadas pelos espinheiros ou devoradas pelos pássaros, existem as que germinam, florescem encontrando terreno fértil. Ainda é possível achar corações capazes de transpor a barreira do egoísmo e do egocentrismo.

      Um abração Luz. Tenha uma boa semana.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Qual o limite da amizade?

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

Amigos não tão virtuais

Acróstico junino

Um até...

Querido defeito de estimação…