Coragem é assim

Coragem

Por: Antonio Pereira (Apon)

 

Coragem não é ausência de medo. É apesar dele, não desistir de seguir em frente. Dar menor importância ao tamanho do caminho e valorizar mais o caminhar. Saber que por muitas vezes iremos

errar, tropeçar... Mas nunca desistir de buscar os acertos.

É não sufocar nosso "Peter Pan" para satisfazer quem nos quer "Capitão Gancho". Ignorar os "mantras" da grande mídia, a tirania da moda, a ditadura das agendas e dos relógios.

É sermos nós mesmos. Sinceros em nossos sims e nãos, mesmo quando a mentira é mais cômoda ea dissimulação faz-se mais conveniente. Mostrar a cara sem máscaras, fazer o que é preciso ser feito, sem a preocupação em agradar nem desagradar ninguém.

É "aprender" tanta física, química, matemática... Depois, esquecer tudo, descobrir que "existe mais coisas entre nós e nossa realização profissional, do que sonha nossa vã educação". (Que Shakespeare me perdoe pela paráfrase).

São formas de coragem ante a mediocridade covardemente estabelecida: Crer sem dogmas, desacreditar qualquer "verdade" que se pretenda absoluta, desconfiar dos extremismos, desafiar os preconceitos, fugir da acomodação, combater a preguiça, duvidar do impossível... Cultivar uma fé que raciocina, a esperança sem devaneios, o sonho sem quimeras, o ideal sem utopias...

O heroísmo é fruto da coragem. Heróis são pessoas comuns, que tiveram a coragem de fazer algo incomum, insólito, diferente... Transpor limites, transcender o óbvio, ser a solução, ter a resposta... Não cabem no caricato, no estereotipado nem no sobrenatural, passam despercebidos no vai e vem vulgar do cotidiano.

A coragem não busca holofotes, é sutil, espontânea e natural. Manifesta-se sem espalhafato, premeditação nem ocultas intenções.

A coragem é assim...

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon) (Além do nome do autor, cite o link para o site http://www.aponarte.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”