Um dia (Com mp3)



Sem água não há vida. 22 de março, é o dia mundial da água. Preserve esse bem precioso.


Um dia (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Água.


Corre nas veias da Terra
o fluido da vida
para a vida brotar.
Rios correndo para os mares,
lagoas, cascatas para a sede matar.
Fecunda o cio da plantação
que dá a cada dia o nosso pão.
Mas, estão envenenando as veias,
entupindo as artérias do planeta
que morre lentamente:
Com suas nascentes,
com seus rios antes perenes,
com seus lagos um dia límpidos,
com sua humanidade
outrora lúcida.
Assim,
quando o peito do orbe enfartar,
quando o efeito
dessa estufa nos por um fim,
quando o buraco
na camada de ozônio
nos consumir,
quando a hecatombe nos calar;
quando
já não formos o planeta azul...
Certamente
uma nave de um planeta distante
aqui pousará;
buscará por condições de vida,
buscará por água
e talvez encontre
algum resquício congelado
num local remoto
e suporão
que um dia houve vida aqui.



22 de março, é o dia mundial da água. Preserve esse bem precioso.



(Postado aqui em 22 de agosto de 2010).



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Oi Antonio, um profundo poema, acredito que nosso planeta azul ainda vai se refazer, basta que as pessoas se conscientizem cada vez mais, tudo tem jeito.
    Você faz a sua parte muito bem, colocou que hoje é o dia Mundial da água, eu já fiquei sabendo aqui e muitos outros também saberão, nos unamos cada vez mais em prol de nossa Querida Mãe Gaia.
    Beijos e lindo dia!

    ResponderExcluir
  2. Intenso e valoroso o seu poema Antonio, ainda mais especial pela data de hoje...é preciso despertar para a importância em zelarmos pela água, esse bem tão precioso da humanidade e que é responsabilidade de todos nós.
    Beijos, amigo,
    Valéria

    ResponderExcluir
  3. Cara, você é um gênio! Vi a sua poesia que tinha no contexto a pedra, não sou um conhecedor profundo de poesia e literatura, mas vejo que você tem um grande potencial, espetacular sua capacidade de criar com tanta riqueza suas poesias, diferente daquela literatura de palavras difíceis, você passa a mensagem de uma forma clara, simples e que prende o leitor, parabéns! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rodrigo, por sua visita e comentário. O “gênio” fica por conta da sua gentileza. Sou apenas um escrevinhador que acredita que a literatura deve e precisa tocar a mente, a alma e o coração do leitor de forma objetiva e simples. Sem muitas firulas e frescuras.

      Um abração e uma bela semana. Volte sempre.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Precisa de tinta para escanear?

Felicidade e as estações da vida

Tempo e amor