Amor e paixão (Com mp3)



... paixão é querer efêmero, o amor, eterno querer. Inúmeras são as paixões, poucos os amores. Paixão vai e vem como o mar...


Amor e paixão (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Sol e mar.


Paixão e amor
ardem e queimam;
a paixão
como fogo volátil de sensações
jaz
na frigidez da rotina,
na aridez do cotidiano.
O amor é viva chama;
renova-se,
recria-se em si
como um jornal diário,
como o sol
que não esquece
de nenhum amanhecer.
A paixão é querer efêmero,
o amor, eterno querer.
Inúmeras são as paixões,
poucos os amores.
Paixão vai e vem
como o mar
na procissão de suas ondas,
amor vem e fica
como uma obra de arte
que encanta e inspira.
A paixão impõe
o amor propõe,
paixão é vendaval
o amor, doce brisa,
a paixão tem um nome qualquer
o amor, o seu nome.



Postado aqui em 09 de setembro de 2010.



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Às vezes a paixão acaba para dar lugar ao Amor; contudo, normalmente, quando a paixão acaba extingue-se o fogo e o sentimento termina.
    O Amor é, sem dúvida, o mais nobre sentimento.

    Boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Nesse desvario de sentimentos fingidos, tudo mescla-se e finge-se. E a vida, continua a seguir.
    Interessante a sua postagem

    ResponderExcluir
  3. Lindo!

    Destaco essa frase:

    "A paixão é querer efêmero,
    o amor, eterno querer."

    Um beijo, Antonio!

    ResponderExcluir
  4. Querido amigo Apon,
    Eu diria que a paixão é o fogo inicial de uma relação - ardente e sensual, quase ao extremo.
    O amor, ah! O amor é aquele que fica (pouco ou muito tempo), mas é algo mais maduro, mais sensato e mais calmo.
    O amor é quando passa-se horas a fio de mãos dadas, ambos olhando para o infinito, pensando o mesmo pensar.
    Este é o verdadeiro ato de amar.
    Linda postagem, amigo. Parabéns.
    Gostei muito, meu poeta.
    Um grande beijo em seu coração.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  5. Olá António,

    Belo e doce poema!
    Sabe, António, eu penso e sinto o contrário do que você narra na sua poesia.
    Amor. para mim, é acomodação, habituação, quotidiano, vulgaridade.
    PAIXÃO É PAIXÃO. Não tem outro nome, não.
    É dar e receber, é estar "preso" por vontade, não se finge, ñão se suporta, todos os momentos são aproveitados, alcançam a eternidade, coisa, que o amor nunca consegue.
    Se lermos o "Tratado de Paixões da Alma" de Descartes, ele nos explica muiro bem o que é e quais as características da PAIXÂO.

    EU QUERO SENTIR A PAIXÃO E NÃO O AMOR.

    Boa semana.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Acróstico junino

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

Qual o limite da amizade?

Um até...

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Você não precisa de cerveja para ser feliz