Dia dos namorados



... não permitimos o hálito da rotina a chama apagar, nem a mortalha do cotidiano nossas emoções vestir. Corações enamorados, eternamente apaixonados não são romântica ficção...


Antonio Pereira Apon.



Rosa vermelha.


Não deveria ser apenas

uma data a mais no calendário,

mas um estado de espírito;

os casais eternamente enamorados

como o sol

que não se detém em seu poente,

renova-se a cada alvorecer;

como as flores que renascem

em cada primavera

e o tempo

que não perde tempo

deixando o tempo se perder.

O sentimento é atemporal,

o amor é transcendente

quando no coração da gente

não permitimos

o hálito da rotina a chama apagar,

nem a mortalha do cotidiano

nossas emoções vestir.

Corações enamorados,

eternamente apaixonados

não são romântica ficção;

são coisas de uma gente

que não deixou o ser humano

desumanizar

na hodierna convulsão.



(Postado aqui em outubro de 2010).


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Namorar é tão bom que não precisaria de data pra comemorar, mas o comércio precisa vender!

    rsrsrs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”