Inimigo



Inimizade é um aborto da razão, um desatino do sentir, um ser sem noção, deserto de emoção.


Antonio Pereira Apon.



Deserto.


Inimigo.

Inimigo é o amigo,

que ainda não fizemos;

é a pedra bruta

que desconhece a mão do artista,

é a terra inculta

aguardando a dádiva do plantio;

inimigo é escuridão

enquanto tarda a alvorada,

é a estrada

onde ainda não se caminhou.

Inimigo é o desargumento

de quem, sem argumento,

subtrai o amor.



(postado aqui em 30 de novembro de 2010).


Falando de amizade:



Amiguinhos.



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Tofdos o poema é muito bom. Mas os três últimos versos " Inimigo é o desargumento / de quem, sem argumento/ subtrai o amor", são fortes e muitos significativos. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendermos a nos relacionar com as pessoas e a vida, para argumentarmos pela amizade, não o desargumento da inimizade.

      Obrigado pela visita e gentis comentários.

      Um abraço e um bom fim de semana.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Pai. Sem ser super, ser “Herói”

Cidadão. Saia da caverna!