O tempo



... Senhor dos olhares; dos encontros e desencontros, do que passa e do que fica, do que não fica mas não pode passar...


Antonio Pereira Apon.


Relógios, de Salvador Dali.


Senhor dos amores e desamores,
da vida e da morte,
idas e vindas,
sorte e azares.
Senhor dos olhares;
dos encontros e desencontros,
do que passa e do que fica,
do que não fica
mas não pode passar.
Senhor das dores e curas,
das benesses,
das agruras,
dos alívios e da tortura.
Senhor e servo numa só criatura
sem início nem termo,
onipresente arauto
acima do bem e do mal.



(Postado aqui em 17 DE JANEIRO DE 2011).


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. O tempo pasa como as nubes no ceo azul, pero o señor sempre permanerá en nós.
    Gustei do texto.
    un abrazo Antonio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mariola.

      Como o tempo, tudo passa e a vida nos ensina a viver, aprender na "cartilha do tempo".

      Um abração e boa semana.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Acróstico junino

Precisa de tinta para escanear?

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Meio ambiente, ávida vida

Pernas

Ser feliz é simples. Não complique!

Mangue, bordel, Brasil