Ouvir



... os sons dos bares, das igrejas, da lida... Dar ouvidos aos que cantam, que clamam, que criam...


Antonio Pereira Apon.


Piano.


Ouvir o murmúrio do mar,

se encantar com os sons da vida;

toda poesia de uma voz amiga,

a melodia mais querida,

o acalento de um amor.

 

Escutar o cantar do passarinho,

da metrópole o burburinho;

e da criança o gracejar.

 

Captar os sons dos bares,

das igrejas,

da lida...

dar ouvidos aos que cantam,

que clamam,

que criam.

Cerrar os ouvidos ao mal,

à mentira,

ao medo...

ouvir o que de bom se deve ouvir.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Folclore brasileiro em acróstico

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”