Faz a vida girar



... Ouçam o tic e o tac, a analógica ciranda dos ponteiros, a analogia dos ciclos, o tempo fazendo a vida girar. Não para, não tarda, espreita, estreita...


Antonio Pereira Apon.


Tempo. Composição de Antonio Pereira Apon.


Acordem as horas que dormem,

os minutos que descansam,

os segundos displicentes.

Ouçam

a inaudível cantilena,

do dígito que o tempo encena,

numa tela de líquido cristal.

Ouçam o tic e o tac,

a analógica ciranda dos ponteiros,

a analogia dos ciclos,

O tempo fazendo a vida girar.

Não para, não tarda,

espreita, estreita...

Dita o dito e o feito,

o não dito.

O não feito também!

Acordem...

Ouçam...

O tempo não dorme, não descansa...

O tempo. Não perde tempo.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Maravilha!... belíssimo poema

    O tempo pergunta ao tempo quanto tempo o tempo tem...

    Abs

    ResponderExcluir
  2. O tempo não dá tempo para quem vive assistindo o tempo passar.

    Obrigado por ler e comentar.

    Um abração.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Aprendizado. Reflexões de aniversário

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Precisa de tinta para escanear?

Tempo sem pressa, sem preço

Meu partido é o Brasil. E o seu?