A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Pontes ou muralhas. O que construir?



 

Pontes aproximam, ligam, unem, libertam... Muralhas escondem, cercam, prendem, limitam...

 

O existir nos oferta vastas opções de "materiais" para edificarmos pontes ou erguermos muralhas. O nosso projeto de vida, o traçado que damos a nosso viver. É que determinam a arquitetura de nossas "construções".

 

O egoísmo, o orgulho e a vaidade, costumam levantar imponentes muralhas. A arrogância, o preconceito e a intolerância, além de erigirem muros altos, acabam por bombardear possíveis pontes. Insuladas entre seus paredões, essas "ilhas psíquicas", reduzem o mundo ao tamanho do seu umbigo, enxergando no que foge a esse estreito círculo: inimigos imaginários, invejosos crônicos, predadores vorazes, traidores profissionais, parasitas interesseiros... Não raro, julgam os outros, tomando a si mesmos como referencia. O que os torna desconfiados e descrentes, sabotadores da convivência.

 

O amor, a humildade e a esperança, criam belas pontes que unem corações e mentes. Abrindo caminho para a felicidade a paz que transcendem para além das fronteiras comportamentais. A ética, a solidariedade e o otimismo, elevam sólidas pontes, abrindo trilhas novas, desbravando possibilidades, descortinando sonhos realizáveis. Construir essas pontes, é libertar-se do império do ego, é fazer do universo o único limite aceitável.

 

Não se constrói coisas boas com interações ruins. Na engenharia de um mundo melhor. Precisamos somar pontes e subtrair muralhas para multiplicar humanidade e compartilhar o infinito.

 

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon) (Além do nome do autor, cite o link para o site http://www.aponarte.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Leia mais no Apon HP: Mensagens, poesias, artigos, crônicas, humor...

Compartilhe:

12 comentários:

  1. Só as pontes que ligam 02 pontos, entao,que sejamos inteligentes emocionalmente. Mas para os chatos, um muro com direito a uma janela para a vida, quem sabe... mudam de atitude.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada por se ter registado
    no meu blogue e seu comentário.
    Será que me cedia alguma poesia
    sua para colocar no meu blogue
    http://intemporal-pippas.blogspot.com
    com os devidos créditos?
    Basta deixar comentário.
    Um abraço Irene

    ResponderExcluir
  3. Olá Sissym!

    No caso dos chatos, eles mesmos cuidam de erguer a grande muralha que é a chatice.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  4. Olá Irene!

    Já postei lá no seu Blog (via formulário de comentários) o meu poema "Quadrinha": http://www.aponarte.com.br/2007/08/quadrinha-autor-antonio-pereira-apon.html

    Um abração.

    ResponderExcluir
  5. As muralhas parecem nos proteger, mas não fazem mais do que nos isolar do resto do mundo. A cada manhã eu tento me desvazer de alguma barreira que insiste em me aprisionar... e no lugar dessas barreiras eu luto para construir mais pontes, para me ligar a mais pessoas ao redor do mundo. Pessoas que pensam igual, que pensam diferente, mas que acima de qualquer coisa me permitam crescer sempre um pouquinho mais como pessoa. Não é fácil, pois as pontes muitas vezes nos levam ao encontro de coisas e pessoas não muito boas para nós... é preciso estarmos atentos para separar o que realmente nos interessa, mas acima de tudo, que nos importa nessa vida!
    Parabéns pela postagem e obrigada pela visita em meu blog!
    Abraço e boa semana pra vc tbm!

    ResponderExcluir
  6. Olá Rê!

    As muralhas são refúgios ilusórios para os fugitivos da realidade. É certo que nem sempre é fácil edificar pontes, mas esse é o ofício de quem verdadeiramente acredita em uma humanidade melhor. Para quem usa bem, a internet pode ser uma construtora de pontes para além do virtual.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  7. Olá Apon,

    Maravilhosa declamação e belo poema!
    A declamação é feita por você?
    Quanto ao seu texto, claro, que prefiro pontes, pontes e mais pontes.
    Muralhas? Só se for por um dia. Castelo com Príncipe, aias e vestidos lindos. Sonhei.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde Luz!

    A declamação é minha sim. São 41 áudio poemas, para ouvir no Blog ou fazer download: http://www.aponarte.com.br/2008/08/audio-poesia-versos-para-ouvir.html

    Quanto ao castelo. Príncipes estão em falta, a maioria virou sapo ou gay. Kkkkkk...

    Depois das muralhas e das pontes, estou escrevendo sobre as portas. Vou postar hoje ou amanhã.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  9. Olá querido amigo !!!

    Belíssima reflexão, concordo contigo !
    Embora todos sejamos sere falhos e vez ou outra construímos muralhas sem ao menos perceber ou então somos mal direcionados por uma vida difícil ou problemática, acho que todos temos a capacidade de reverter isso.
    Eu por exemplo, por muitos anos construí muralhas no intuito de me defender achando que assim, estaria livre de problemas ou aborrecimentos, mas hoje sei que de nada adianta, pois todos temos desafios e se construirmos pontes, eles serão mais amenos por causa da companhia dos que nos cercam e tem boa vontade em auxiliar.
    Ninguém é feliz sozinho, e não no sentido amoroso e sim no sentido de ser humano em constante aprendizado :)

    Um abraçãooo

    ResponderExcluir
  10. Obrigado Samanta!

    Não há para onde fugir nem adianta nos refugiarmos entre muralhas ilusórias. Todas ruem como belos castelos de areia. Temos que buscar construir pontes para as soluções. Somos eternos aprendizes da arquitetura do viver, operários do destino, somando esforços na construção de uma sociedade melhor. Com mais pontes e menos muros.

    Um abração.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.