Simulacro de mulher



...Me deleito no teu leito frio, no hálito gélido de teu beijo, no enigma dos teus seios, no vazio dos teus encantos...


Olhos observando um passarinho.


Aninho-me em seu regaço,

como solitário passarinho.

Sem ninho,

sem ter onde se abrigar.

Espelho-me em teus olhos,

Revisitando paisagens,

dissolvidas qual miragens,

diluídas na fluidez do tempo.

Me deleito no teu leito frio,

no hálito gélido de teu beijo,

no enigma dos teus seios,

no vazio dos teus encantos,

fugazes cantos de sereia.

Na frigidez dos teus lençóis,

minha alma cálida,

regela no inverno das memórias,

lembranças de uma primavera que desertou.

Saudade.

simulacro de mulher.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Comentários

  1. Olá, estimado Antônio!

    Então ela, foi mesmo simulacro?
    Que arrepio causou em mim, aquando da leitura do poema.
    Tive tanta pena do "passarinho", que afinal só queria carinho e ninho.

    Um abraço da Luz, com estima.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”