A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



terça-feira, 28 de maio de 2013

A “mágica” social da educação



Educação derruba barreiras, vence abismos, liberta e iguala os desiguais. Nivela por cima a sociedade, dignifica o cidadão e torna dispensáveis os “favores”.


Antonio Pereira Apon.


Meninos estudando.


Eram quatro amigos: Joaquim, filho de fazendeiro; Marcelo, filho de um vaqueiro; Pedro e Ambrósio, filhos de lavradores. Iguais na amizade, desiguais na condição social. Joaquim estudou em escola particular e foi fazer veterinária, Marcelo escolheu engenharia, enquanto Pedro optou pelo direito. Os três estudaram com vontade e se graduaram numa universidade pública. Igualmente capazes e empreendedores, prosperaram em suas profissões. Alguns anos depois de formados: O veterinário com um grupo de colegas, montou uma bem sucedida clínica; o advogado fez carreira no direito público e estava prestes a ser procurador, enquanto o engenheiro dirigia uma construtora em sociedade com um antigo professor.


Geralmente nos finais de semana e feriados, os amigos costumavam se reencontrar, celebrando a prosperidade que os igualava além da sólida amizade. Quando o pai de Joaquim morreu, os amigos estabeleceram uma sociedade, transformando a velha propriedade num belo e requisitado Hotel Fazenda. A educação dera frutos, dissipando as desigualdades, premiando esforços e fazendo verdadeira e real justiça social.


Mas, e Ambrósio?

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Um diálogo entre Deus e a Inspiração



... Você estará lá inspirando a verdade. Eu criei o bem. O homem inventará os seus males. Mas, o labor persistente do Tempo e a incansável lida...


Antonio Pereira Apon.


A Criação de Adão.


O mundo acabara de ser criado, Deus passeava o olhar sobre a dimensão onde viviam os bons sentimentos, virtudes e os elementos naturais. Uma espécie de “centro de controle” do Planeta Terra. O Criador viu uma menina triste e chorosa... Era a Inspiração:


- Por que choras minha amada filha?


- Senhor! Nada tenho para fazer, sinto-me inútil...


O Criador sorriu carinhosamente: - Tenha calma pequenina. Prepara-te, pois serás uma das mais requisitadas de minhas servidoras. Serás uma espécie de diplomata dos bons sentires, quereres e fazeres. Será a minha “Embaixatriz” entre a humanidade. Quando eu quiser falar com os homens. Quem você acha que vai levar os meus recados?


- Eu, Senhor?


- Pois é... Você será a grande intermediaria entre o imaterial e os seres humanos encarnados. O mundo está pronto. Ao Tempo. Artífice do destino, entreguei a chave da evolução. Logo o homem acordará do obscuro sono da ignorância... Alguém precisará inspirar-lhe as primeiras luzes da consciência, o alvorecer da razão. Não será pouco nem pequeno o trabalho. Dei-lhe o livre arbítrio, para que seja ele o senhor do seu desiderato. Em muitos momentos, ele usará mal esse direito de escolha e ainda dirá que eu disse, que eu mandei... E vai sobrar para você também. Vai ele afirmar os maiores absurdos como obra da minha inspiração.

domingo, 19 de maio de 2013

A arte de escrever. Encontre seu autor desconhecido



...se sabe escrever, pode ter aí dentro um criador desconhecido, um insuspeito escritor, um possível “escultor” literário...


Caneta nos ares.


Modelar em palavras o pensar e o sentir, dar forma, materializar a imaginação. Parafraseando o: “Uma câmera na mão, uma ideia na cabeça”. De Glauber Rocha. Dizemos: Uma caneta na mão, uma ideia na cabeça. Caneta que já foi uma rude pedra, um tosco pedaço de carvão, um simples lápis, uma pena, tinteiro... Modernamente, pode ser uma tela multitoque, um teclado ou qualquer outro dispositivo de mídia. Na mão humana, uma ferramenta de criação, uma “veia” pela qual, a alma extravasa sua essência. Essência que transcende ao suporte do papel, ganha novas dimensões: Nos palcos, telinhas, telonas...

quinta-feira, 16 de maio de 2013

A rosa rubra do Rei



A mentira pode iludir por algum tempo. Mas a verdade um dia acorda para a realidade. Não há “magia” que não se quebre.


Rosas vermelhas.


Havia um reino extremamente rico com um povo absurdamente pobre. Para os corruptos abastados, tudo! Para a plebe, o resto! Revoltada com a penúria em que vivia e sobretudo, insatisfeita com a tributação de 40% sobre o que produzia, a população começou a dar sinais de inconformação.


Preocupado com uma insurreição que pusesse em risco o trono, o monarca em reunião com seu Primeiro-Ministro e o Mago Real. Resolveu tomar algumas providências:


- Como as rosas rubras são o símbolo da nobreza e só aos nobres é permitido tê-las. Vou decretar a nobreza de todos. Mensalmente, cada um de meus súditos receberá uma rosa vermelha, espalhando um encanto de autoestima pelo reino. Além disso, ficam extintos os impostos.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

"Use com moderação": gadget “Lista de blogs” pode gerar aviso de Malware/Vírus



...sua página pode estar listada no Google como suspeita de "funcionar como um intermediário para a contaminação de sites". Basta um link desavisado, inserir um script problemático, e olha lá a advertência botando seus visitantes para correrem...


Lupa.


Ao entrar em alguns Blogs, surge uma mensagem do tipo:


"O www.seusite.com.br contém conteúdo do bloginfectado.blogspot.com, um site conhecido por distribuir malware. Seu computador pode ser infectado por um vírus se você visitar este site."


Aqui, descobri que tal aviso era provocado pelo gadget do Blogger que exibe as postagens recentes dos Blogs seguidos que adicionamos.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Terra



Planeta azul que abriga o homem. Recanto de tantos encantos. Desencantos de um desumano inventar.


Antonio Pereira Apon.


Mãos com o globo terrestre.


Nave mãe da humanidade.

corcel azul na imensidão.

O mundo não acabou,

Deu chabú no armagedom.

Mesmo com as guerras

por tudo e por nada,

com a poluição

que assola feito praga,

com a ambição

que queima pão e forja armas;

mesmo com a cega má vontade

quinta-feira, 2 de maio de 2013

O ponto de vista de cada um e o cada um do ponto de vista



...nem tudo que parece é, pode haver a nossa “realidade”, a “realidade” do outro e a realidade propriamente dita. Ainda não conquistamos o discernimento para justamente julgar além da nossa ilha...


A ultima ceia.


Basicamente, podemos definir comunicação como a interação entre emissor e receptor. Mas, entre um e outro, a mensagem transmitida, sofre distorções e outros ruídos, como naquela brincadeira do “telefone sem fio”, muito usada em dinâmicas de grupo, onde a fala inicial, não raramente, chega no final alterada. Além disso, cada um percebe ou interpreta o que vê, sente ou ouve, de forma muito particular.

Se pegarmos uma paisagem marinha e pedirmos que pessoas diferentes relatem o que sentem diante dela, certamente encontraremos respostas como: Tranquilidade, medo, paz, angustia, liberdade... O olhar de cada um, revelando visões diferentes de uma mesma paisagem.


Entre o que queremos comunicar e o que comunicamos, existe uma série de “filtros”, dentre os quais, a percepção de cada individuo, atido em seu momento, disposição e expectativa.