O dia em que o Sabe-tudo descobriu que não sabia



Quem sabe de verdade, pensa e age como Sócrates: “Só sei que nada sei”. E conhecedor de sua real ignorância. Busca verdadeiramente, estudar e aprender. Inteligência é uma questão de sabedoria. Não dá para improvisar, inventar, fazer de conta...


água.


Robson (que não era o Crusoé), julgava saber tudo, entendia de estrume a física quântica, de jogo do bicho a mercado financeiro internacional... Grande aficionado por almanaques, fanático por bricolagem, incansável leitor de bula de remédio... Achava-se entendido em tudo e mais alguma coisa, um autodidata “pós-doutorado pela universidade da vida”. Seu amigo e “fiel escudeiro” Daniel (que não era o Defoe), vivia a consertar as lambanças do sabichão e aturar as adjetivações diminutivas daquela “inteligência superior”.


Um dia, o Gênio resolveu construir um pequeno barco para se aventurar na Baía de Todos os Santos. Consultou seus alfarrábios, leu trocentas revistas e fez-se “Engenheiro Naval”. Calculou, rabiscou, projetou... Em algumas semanas, a “obra prima da náutica universal” estava pronta, ignorando os conselhos de um experiente carpinteiro, que discordara sobre o tipo de madeira e outros materiais empregados. Até mesmo a opinião de um experimentado saveirista, foi arrogantemente ignorada e muitas das instruções dos manuais, “reinventadas” por aquele aloprado “padre-mestre”.


Como era de se esperar, a uns mil metros da costa, a “inovadora” embarcação começou a apresentar problemas, “fazer água” e terminou por naufragar. Ainda sobrou para Daniel salvar o intelijumento do amigo, que nem mesmo nadar sabia.


Homem se afogando.



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Comentários

  1. Oi Antonio,

    "Quem pensa que tudo sabe"...
    Legal o texto! Me fez lembrar o "padre do balão"!
    ...A arte imita a vida ou...
    Beijos!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diferenciando, quem sabe e quem pensa que sabe, costuma existir um monte de orgulho e vaidade. Saber é ser eterno aprendiz, pretensão e arrogância são coisas de gente burra.

      Um abração e uma boa semana para ti também.

      Excluir
  2. Olá, amigo, Bom dia! Quero desejar um bom feriado e uma feliz Pàscoa para vc. Obrigada pelo carinho e por nos proporcionar sempre uma boa leitura! Linda melodia. Meu abraço carinhoso! bjos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Precisa de tinta para escanear?

Felicidade e as estações da vida

Tempo e amor