A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



quarta-feira, 24 de julho de 2013

Para Dominguinhos (Com alguns de seus títulos)





Nesses tempos de tanto desapreço à boa música, temos ainda mais motivos para reverenciar, os artistas de verdade, que como Dominguinhos, deram voz e dignidade a musica popular brasileira.


Dominguinhos tocando com Luíz Gonzaga (1977).


Chora a sanfona,

de Garanhuns se cala o canto,

vai Dominguinhos fazer par com “Seu Luiz”.


Nesse “Forró do sertão”,

Nesse “Lamento sertanejo”,

Pergunta a gente entristecida:

- “Saxofone, por que choras?”

- “Carece de explicação” tal “Contrato de separação”?

- Foi para “Além da última estrela”,

“De volta pro aconchego”,

quando Deus a ele disse:

- “Vem ficar comigo”.


Órfão de sua música,

“Sem saída” com saudades “Tenho sede”,

Teimoso “O sertão te espera”.

Entre “Pedras que cantam”,

“Tantas palavras”.

“Eu só quero um xodó”,

Senão, “De amor eu morrerei”;

E “A costureira”, “Chegando de mansinho”,

“Pode morrer nessa janela”,

“De trás do meu quintal”


Mas, o mestre Gonzagão,

amigo “Dedicado a você“,

há de tocar o “Tema de um sanfoneiro”.

“,”Coberto de razão” gritar festeiro:

- “Te cuida, rapaz”!

Porque “Isso aqui tá bom demais”!

Como “De Altamira a Campina Grande”,

O céu todinho vai dançar o “Xote da gameleira”.


Segue em paz sanfoneiro!


Dominguinhos, nesse 23 de julho, foi compor, cantar tocar lá no infinito. Nesses tempos de tanto desapreço à boa música, temos ainda mais motivos para reverenciar, os artistas de verdade, que como ele, dão voz e dignidade a musica popular brasileira.


Com títulos de algumas de suas composições, escrevemos essa pequena homenagem.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Compartilhe:

8 comentários:

  1. Realmente, o céu está em festa... nossas raízes nos esperam... Um grande artista! Bela homenagem!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente temos cada vez menos arte e menos artistas de verdade. Nossa música atual está infestada de mediocridade, o que potencializa nossa perda a despedida de mestres como Dominguinhos. Um nordestino nascido pobre e que nos presenteou com a riqueza do seu talento e criatividade.

      Um abração.

      Excluir
  2. Emocionei-me com Dominguinhos quando ele tocou por aqui. Deixou saudade! Gostei da homenagem. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bons artistas como Dominguinhos, com sua boa obra tocam a alma, imprimindo lembranças indeléveis. Enquanto os medíocres que andam prostituindo a criatividade, ofendem nossos ouvidos com suas musiquetas descartáveis.

      Um abração.

      Excluir
  3. Amigo poeta Antonio, lindo isso, colocastes em ordem certeira os títulos das letras das músicas e ficou um lindo poema coerente, fazendo assim uma linda homenagem, amei, parabéns!
    Abraços e um bom fim de semana pra você também!

    ResponderExcluir
  4. Querido Antonio,
    Que lindo!
    Dominguinhos tenho certeza, aplaudiu! Eu também!
    Tenha um lindo fim de semana!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Meu amigo

    Uma grande homenagem a uma figura incontornável da música Brasileira.


    Um beijinho e bom fim de semana
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. Antonio,de vc só poderia esperar essa bela e criativa homenagem a Dominguinhos.Ele vai deixar muita saudade!bjs e bom fim de semana,

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.