A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Passa tempo, tempo passa





...Atrasados em tanta “urgência”, apercebemos a emergência de viver; sobrevivemos deglutindo efemérides, datando o obituário nosso de...


Jardim visto de uma sala antiga.


Corre a vida,

ciranda insana dos ponteiros,

ciclo avante sem reciclo.

Apreçada pressa;

devorando calendários,

engolindo agendas,

desfolhando a folhinha.

Jaz o agora a cada hora,

consumindo mais um dia,

que voa qual uma só andorinha,

sem ter com quem “fazer verão”.

Atrasados em tanta “urgência”,

apercebemos a emergência de viver;

sobrevivemos deglutindo efemérides,

datando o obituário nosso de cada dia.

O ter dita afobado;

antecipando invernos,

descolorindo primaveras...

E quando o ser consegue acordar;

resta apenas um: Se?

Um gosto amargo de talvez...

Mas o tempo passou!

E passamos apressados,

sem tempo de ter tempo.



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Compartilhe:

8 comentários:

  1. É meu caro Antônio... um pote de ouro no fim do arco-íris... essa trilha sonora que você escolheu, mostra-nos bem o quanto nos tornamos autômatos no decurso da nossa vida... sempre sem tempo... e quando o temos, as pessoas queridas já se passaram...
    Grande abraço,
    Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto mais corremos, mais o tempo corre e a vida passa sem nos darmos conta. Corremos para lugar algum.

      Um abração e feliz dia do amigo.

      Excluir
  2. Oi, Apon! É preciso sensibilidade para acompanhar a sincronia entre o tempo e as atitudes, caso contrários, perdas e danos será a pena a pagar. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que perdas e que danos! Vivemos tropeçando nessa pressa insana que não nos conduz a lugar algum.

      Um abração e feliz dia do amigo.

      Excluir
  3. Oi, António!

    Passamos pela vida e não a vivemos. Triste realidade.

    FELIZ DIA DO AMIGO, COM AMIGOS/AS SINCERAS.

    Bom fim semana.

    Um abração da Luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas sobrevivemos nessa correria, sem a calma necessária para se viver de verdade. O tempo passa e passamos pela vida na impercepção dos reais valores do existir.

      Um abração, um feliz dia do amigo e bom final de semana para ti também.

      Excluir
  4. Olá Antônio,

    que coisa linda voce escreveu. Passei para agradecer o post no meu blog e me deparei com essas palavras.

    estou lendo o livro "A essencial arte de parar" e tenho refletido muito sobre essa "correria insana" que todos nós vivenciamos. Chega um tempo em que voce se pergunta se vale a pena tudo isso. estou nesse momento meu amigo.
    Obrigada por nos presentear com tão belas palavras.

    Grande abraço para você!

    Leila

    ResponderExcluir
  5. Oi Querido Amigo,

    Ah! Tempo que nos escraviza, nos chicoteia...
    ...Feliz dia do Amigo!
    Você que sempre fala coisas tão interessantes, inteligentes, poéticas!
    Obrigado, Amigo!
    Tenha um lindo fim de semana!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.