A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



domingo, 25 de agosto de 2013

Santiago. Um “Médico escravo”





...não se surpreenda se encontrar clinicando por aí um desses “Escravos de jaleco”... ...Uma comedeira que nos faz lembrar o período escravagista, rememorar as relações entre Senhores e...


Escravo com colar de ferro. (Pintura de Debret).


Desmentindo o mito da prodigiosa medicina cubana, Santiago percebia um miserável salário para clinicar em condições não menos miseráveis na “Ilha dos Castro”. Foi quando, em busca de mais médico, um país estrangeiro, resolveu importar esculápios de Cuba. O Doutor embarcou nessa aventura com outros tantos patrícios, sendo obrigados a deixar para trás suas famílias, talvez como uma garantia ao regime socialista, de que não desertariam. Os salários pagos a ditadura caribenha, em sua maior parte era retida pelo Estado, repassando uma mínima parte aos médicos. Casa e comida, ficavam por conta do contratante. Uma comedeira que nos faz lembrar o período escravagista, rememorar as relações entre Senhores e Escravos nos subterrâneos da História.


Tal absurdo, obviamente é um mero conto, fruto da imaginação desse Autor. Mas! Como o limiar entre a ficção e a realidade é por demais tênue, não se surpreenda se encontrar clinicando por aí um desses “Escravos de jaleco”. Como diria o “Exterminador do futuro”: “Hasta la vista, baby”!


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Compartilhe:

14 comentários:

  1. Antonio, meu caro, vejo com bons olhos a vinda dos médicos estrangeiros. No interior da Bahia, onde nasci e ainda mora parte da minha família, a carência de atendimento médico hospitalar é assustadora!
    Não sei se com essa medida o governo vai resolver o problema, mas de certo, minimizará.

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão aqui, é a forma (no mínimo estranha) de contratação dos médicos cubanos. Porque não pagar diretamente a eles, como será feito com os outros profissionais? Porque a intermediação da Ditadura cubana? Além disso, porque os doutores estrangeiros não vão passar pelo Revalida? Não parece que o governo esteja preocupado em resolver uma questão de saúde pública, mas sim em arranjar uma ferramenta eleitoreira.

      Um abração.

      Excluir
  2. Bom conto, tem muito de parecido com a realidade.
    Quem ganhará com isso é o governo cubano,mas está tão caótica a saúde no Brasil, não porque falte bons médicos, pois todos sabemos que o problema é a falta de condições para que esses médicos possam trabalhar, portanto...
    Esperemos que melhore!
    Abraços meu amigo, sei bem o que quis dizer, lamento também o pouco caso do governo com saúde e educação e com certeza é arranjo eleitoreiro!




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema não está na contratação dos médicos estrangeiros em si, mas a forma como isso está sendo feito. Sem a revalidação dos diplomas. Sem falar, que a falta de estrutura segue a mesma, tanto para os Doutores nacionais como para os importados. Já a maneira como os cubanos estão sendo contratados, é uma verdadeira aberração, coisa de republiqueta e não de um país verdadeiramente democrático e sério.

      A cada dia, inventam mais um jogo de cena, mais um faz de conta para desviar a atenção da nossa triste realidade.

      Um abração.

      Excluir
  3. Oi Antonio,

    Eu concordo com você! Na verdade, estou sentindo muita pena desses médicos que vem para o Brasil, pois encontrarão "falta de tudo" e nem remuneração direta terão. Deus queira, as pessoas necessitadas sejam muito bem atendidas.E a "língua" não seja mais uma barreira a ser derrubada. E se esses doutores, gostarem daqui? Como vai ser?
    Isso vai dar o que falar...
    Beijos, meu amigo! Desejo uma ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não podemos fazer juízo de valor quanto à capacidade deles, para tanto era preciso passarem pela revalidação do diploma. Já, se eles gostarem daqui... Será que vão ser deportados como os boxeadores Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara, durante os Jogos Pan-Americanos do Rio? E não podemos esquecer que suas famílias ficaram em Cuba. Porque será?????

      Um abração.

      Excluir
  4. Com certeza já estamos vivenciando isso... São paliativos em uma área que há muito se encontra na UTI. Há uma doença social contagiosa que contaminou muitos setores em nosso país! Infraestrutura da saúde, educação e da segurança... urge de medidas cirúrgicas! Parabéns pela realidade relatada! É fato, não boato!
    Abraço,
    Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fora do discurso ensaiado, da publicidade enganosa, da farsa eleitoreira e das bravatas dos parlapatões. A realidade é a falta de tudo e mais alguma coisa.

      Um abração.

      Excluir
  5. Olá Antonio,

    Um maravilha de texto, como sempre. E qualquer semelhança com a realidade, não é mera coincidência (infelizmente).

    Beijo grande meu querido!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossos governantes e outros politiqueiros sempre conseguem se superar nos desserviços prestados.

      Um abração.

      Excluir
  6. Olá, querido amigo, António!

    Tudo bem?

    Agradeço seu carinhoso e brincalhão comentário.

    O tempo dos incêndios, é agora, no verão, por aqui. Não há homem, que "chegue", não!

    O FOGO, a valer, será, se Deus quiser no dia 01 e setembro, domingo. Vamos ver as audiências e quem mais "arde".

    Em Portugal há alguns médicos cubanos, por sinal, muito apreciados pelos seus doentes. São trabalhadores, têm imensa paciência e não reivindicam, por tudo e por nada.

    Penso que são felizes aqui, e que nem pretendem voltar a Cuba. Ganham, exatamente, o que ganha um médico português.

    Tenha uma linda noite.

    Um abração e um beijo da Luz, que muito o estima e aprecia.

    Bem, quanto ao seu texto, me apetecia dizer uma tolice, meu Deus. Sou tão imperfeita! Aquele homem, aquele Fidel é de aço/ferro, qualquer coisa, desse jeito. Fazia discursos de quatro horas seguidas, sem sequer beber um pouco de água, e agora, está ali para continuar e durar. Sim, porque não é seu irmão quem manda em Cuba, mas ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema não está na contratação em si dos médicos cubanos e outros estrangeiros. A questão é a não revalidação dos diplomas, como normalmente deveria ocorrer e no caso dos profissionais de Cuba, terem seus salários repassados ao regime ditatorial que é quem vai decidir quanto pagar aos doutores.

      Por cá, não faltam admiradores de Fidel travestidos de republicanos e democratas, que condenam a tirania de direita, mas veneram ditaduras esquerdóides. Forjam fantasias socialistas e montam farsas eleitoreiras e assistencialistas. Os graves problemas de saúde, educação, segurança, economia e tantas outras deficiências do país, são escondidas sob a "cortina de fumaça" dos tantos factoides e propagandas.

      Já quanto aos seus poemas incendiários... Vamos esperar para ler. Portugal em chamas!!! Rs rs rs...

      Um abração.

      Excluir
  7. Oi Antonio

    Eu aposto que a sua imaginação é mais real do que se imagina.

    E pensar que ainda existem milhares de brasileiros a defender um regime espúrio como o da dinastia Fidel, todos os resultados estão aí para comprovar o contrário do que pregam, mas ainda encontram defensores. As ideologias podem emburrecer tanto!

    Ter governante ex-guerrilheiro comunista é isso que dá, haverá sempre uma nostalgia comunista pairando ao redor deles, sempre se fechará os olhos para realidades e se deixará levar pela utopia já embolorada, pelos desejos e sonhos da juventude de outrora, quase como uma auto afirmação de que a vida e o os sonhos não foram em vão. Ideias podem ser mais fortes do que realidades às vezes!

    Abraço grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu particularmente, não chamaria de "nostalgia" a dissimulação esquerdóide dessa gente que prostitui qualquer resquício de ideologia e se presta a todo tipo de farsa e subterfúgio na tentativa de se perpetuar no poder. Desmentem e rasgam a própria biografia, se rendem e se vendem a interesses inconfessáveis, pactuando contra o povo e em favor de grupelhos que aparelham o Estado. Admiradores de ditadores, vestem a máscara republicana.

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.