Os acomodados que se incomodem



...quer ter sem ser, aparentar, parecer; para terminar sentindo-se afrontado pelo ter de quem buscou ser...


Passeando de Ferrari.


Tem gente que quer mais do que pode, sem nem perceber, só pode menos do que quer, porque apenas quer. Não se esforça, não se empenha nem se dedica; aposta no mais fácil, cai no conto do menor esforço e se acomoda, esperando favores da sorte, dádivas do céu; incomodando-se com quem faz acontecer e merecer o próprio querer.


Acomodados costumam não prestar atenção ao tempo ganho pelos vitoriosos, em estudos, trabalho, sacrifícios, disciplina... E nessa acomodação, nem se dão conta do tempo desperdiçado patrulhando o sucesso alheio, nutrindo uma inveja que sabota suas possibilidades, superlativando seus insucessos, tornando-os ressentidos e amargurados.


Gente que quer ter sem ser, aparentar, parecer; para terminar sentindo-se afrontado pelo ter de quem buscou ser.


Quem não se digna a desacomodar-se, vive incomodando-se.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Comentários

  1. Nossa, Antonio! Pessoas assim, são uns verdadeiros parasitas! Esperam as migalhas, sugam até não mais poder e, acomodam-se de tal forma que bicho preguiça é muito para eles... Só têm olhos pelo que conseguimos com nosso esforço e investimento em nosso caráter e dignidade. Totalmente acomodados mesmo. Excelente e muito propícia sua reflexão!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite amigo poeta Antonio, bem dito em seus versos o que há de acomodados estando incomodados com o sucesso dos que foram atrás dos seus sonhos, e os realizaram não por sorte, mas por esforços, portanto que assim seja, os acomodados que se incomodem né mesmo?
    Abraços, gostei de ler!

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo

    Há muitos que vivem esperando que tudo lhe caia do céu, sem fazerem qualquer esforço.
    Um texto muito verdadeiro.

    Um beijinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  4. Oi, Apon!!! perfeito seu texto, quantas pessoas se preocupam em invejar aquilo que não tem sem saber o quanto de esforço pode ter sido despendido na conquista. É fácil desejar o que é do outro e reclamar pelo que não tem, difícil é correr atrás. Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Oi Antonio!
    Falou tudo!
    É isso mesmo! As pessoas querem a "vida dos outros" e não dão importância para sua própria vida!
    O imediatismo e a superficialidade comanda a mente da maioria!
    Seja muito feliz!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá, querido António!

    É bom, muito bom quando você aparece em minha "casa", sem me avisar. Isso significa que, entre nós, há muita confiança, à vontade e respeito.

    Parabéns pelo design de seu blog. Gosto. Continua de fundo branquinho, mas me parece mais espaçoso, mais desafogado, direi mesmo.

    Quanto ao texto postado é uma "bofetada sem mão". O importante é ter e não ser. Triste realidade!
    Infelizmente, aqueles que julgam ter "o rei na barriga" são uns tristes, uns infelizes, que nem se conseguem enxergar.
    Que importa ter grandiosas moradias, carros como aquele que você colocou na imagem, muito dinheiro, se eles na cabeça têm menos que farelo (caga, me desculpe).

    Tenha um bom fim de semana.

    Um beijo da Luz.

    PS: esse fim de semana, e se Deus quiser, penso postar no "Luzes e Luares". Sei que estará presente, porque você já faz parte da "família".

    ResponderExcluir
  7. António,

    Hoje é dia do mágico e de São João Bosco, entre outras celebrações/efemérides.
    Adoro pôr magia em tudo o que faço, e admiro sobremaneira, a vida e obra de São João Bosco.

    Dias bem mágicos e felizes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”