Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2014

Ainda ontem...

Imagem
... chega o calendário enlouquecido, me dizendo que se passaram 50 anos! O tempo bebeu? Ficou maluco? Não basta essa falseta de ter nascido no século...

Ainda ontem eu nascia, dava os primeiros passos e só queria tomar mingau de farinha láctea, andava num velocípede vermelho com a cara do Mickey na frente e fazia o maior escândalo, quando chamavam dona Nequinha para me aplicar injeção. Meu primeiro carrinho de polícia, coitado. Estreou descendo as escadas do prédio...
Ainda ontem eu aos seis anos, não entendia tanta alegria por um “tal de tri” numa tal Copa, estudava na Escolinha São Jerônimo. Adorava pegar o trem pra Paripe para passar o fim de semana na casa de minha tia. Eu achava o máximo sair com meu pai; comer misto quente num bar ali na Rua da Ajuda ou no “Cacique” (ao lado do Cine Guarany), nesse tempo, eu pensava que os carros sob o viaduto da Sé, eram miniaturas de brinquedo e sonhava em ser cientista, astronauta, piloto...

Equilíbrio. Nem tanto, nem tão pouco

Imagem
... roubando-nos o ponto de equilíbrio, esgarçando os limites entre certo e errado, lícito e ilícito, ético e não ético. Tal falta de parâmetros claros e a deterioração dos valores, descambam na delinquência, no desapresso pelo outro...
Antonio Pereira Apon.


Perdida entre os adultos que ainda não são e as crianças que já deixaram de ser, nossa juventude se desencontra nas incertezas de uma sociedade dúbia, inconstante e novidadeira. Costumes teleguiados por modismos colocam a civilização a mercê da ditadura dos interesses da grande mídia, das mil e uma teorias e invencionices que inspiram pais e educadores esquecidos, de que entre a teoria e a prática, está a vida real, onde não há receita pronta, panaceia miraculosa, alquimia ou manual de instruções.

Duas maneiras para exibir ou ocultar gadgets com um clique ou toque

Imagem
Expandir/recolher gadgets da sidebar pode dar um visual menos poluído, acelerar o carregamento e tornar mais agradável a navegação em seu blog/site. Confira aqui.

Os gadgets oferecem uma serie de recursos extras ao seu blog. Mas, quando os temos em quantidade, deixam o visual um tanto desarrumado e o carregamento das páginas mais lento. Vamos aqui ver duas maneiras de driblar esses problemas, permitindo que os widgets sejam ocultados ou exibidos conforme deseje o visitante e tornando a aparência da sidebar mais limpa, também contribuindo para acelerar um pouco mais a abertura de suas postagens.
O primeiro método é extremamente fácil e muito simples de implementar, mas só se aplica aos elementos do tipo (HTML/Java Script). No código abaixo, você vai substituir a frase: Aqui vai seu HTML. Pelo código do seu gadget. Salve e pronto.

População bandida

Imagem
... comuns os saques em acidentes de trânsito, a donativos para necessitados, áreas de risco... Gente que posa de pai e mãe de família, trava o tráfego da cidade, protestando por isso ou aquilo; adora linchar qualquer “ladrão de galinha”... No entanto...
Antonio Pereira Apon.


Não sem razão, diversos políticos são criticados e execrados por sua “folha corrida”: Estelionato, corrupção, roubo, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro... Enfim, todo tipo de maracutaia, imaginável e inimaginável. Mas, como gente assim é eleita e reeleita? Como conhecidos e afamados pilantras, conseguem “perpetuar-se” no poder, construindo longa carreira na politicagem?! Será que brotam do chão? Caem do céu, Descem de disco voador? Nada disso! São “paridos” das urnas, crias dos votos de muitos dos seus críticos.
Durante cerca de 48 horas de greve da Polícia Militar da Bahia, multiplicaram-se os saques e depredações na capital e no interior. A população, reunida em verdadeiras hordas, aguardava os ladrões prop…

O grande Artista

Imagem
... esculpe abstratas formas da mais concreta beleza. Pintor de crepúsculos e alvoradas, coreógrafo do revoar da passarada...
Antonio Pereira Apon.


Arranja com flores impermanentes, impermanentes paisagens. Que se renovam, recriam-se a todo instante; ineditismo itinerante, exclusividade fugaz dos momentos.

Brasil que mata e morre

Imagem
... diversos dos “imunes”, impunes pelo poder ou pela grana; acoitados nas brechas da lei. Farta legislação, parca justiça, injustiça tenaz! Quem sonega, quem só nega! ...
Antonio Pereira Apon.


Aqui não tem pena de morte! Mas tem morte sem pena. Termina na bala, acaba na vala... Sina de quem nada tem e “nada é”! Gente “invisível”, míseros dígitos abatidos feito gado.