A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



quarta-feira, 28 de maio de 2014

Direito de fumar



Todos possuem livre arbítrio. Bom é quando essa liberdade, vem acompanhada por discernimento e consciência.


Antonio Pereira Apon.


Revólver com cigarro como cano. Composição de Antonio Pereira Apon.


Fume.

Faça a vida virar fumaça,

Cultive com carinho

aquele enfisema que irá te matar,

o câncer que te irá consumir...

Você tem todo o direito:

domingo, 25 de maio de 2014

Pena de vida



... minha cegueira, mas a de quem vê e não quer enxergar; implica, complica, apraz-se em não simplificar...


Antonio Pereira Apon.


Pôr do sol pela janela.


Cativo de minhas escolhas,

desacertos dos meus acertos;

cumpro minha pena de vida.

Minha alegria hoje triste,

rumina sorrisos dormidos,

lembranças de tempos idos,

descoloridos;

restos do que não restou.

Sobrevivo adormecido,

qual velho livro,

mero adorno na estante;

acumulando o pó dos dias não lidos,

onde jaz a tinta ressequida,

sepultada nas pálidas folhas dormentes.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Felicidades Grazi!



Um poema de aniversário para minha filha.


Grazi com seu ursinho Miguel.


Parabéns filha amada!

Que a vida sempre te sorria,

semeando sorrisos em seu caminhar.

Que os sorrisos frutifiquem e floresçam,

perfumem e embelezem.

Que seus sonhos se realizem

e a esperança se multiplique em novos sonhares.

Que as realizações se somem,

as tristezas se subtraiam

e possas dividir mais e mais conquistas.

Que a fé te guie,

o amor te inspire,

a determinação te acompanhe,

Deus te ilumine

sexta-feira, 16 de maio de 2014

"Somos todos macacos". Uma só macacada



... tenta renegar sua ancestralidade hominídea, desmentir os quase 100% do seu DNA. Coisa de “homo” não tão “sapiens”. “Gente” que atira uma preciosa banana...


Antonio Pereira Apon.


Uacari-branco, macaco inglês.


A grande diferença entre nós e os símios propriamente ditos, é que somos uns macaquinhos um tanto mais sabidos que os nossos primos primatas. Em muitos casos, como o dos hooligans, racistas, nazistas, extremistas, fascistas, terroristas, fundamentalistas e outros “istas” aqui não indiciados, a diferença é um tantinho de nada, uma titiquinha.

Vidas expostas



... Será que são menos gente? Será que dor não sentem? Quem nos há de responder? O político a quem a mentira apraz? O poder que pouco faz? Será que a culpa é da imprensa?! Ou será São Pedro...


Deslizamento de encosta.


O que tem feito, Seu Prefeito?

E o Senhor, Governador?

Nas encostas,

vidas expostas,

pêndulos que a morte espreita.

Casebres de improviso e miséria,

(des)equilibrados,

à beira do precipício social.

Caem as previstas chuvas,

e o previsível descaso,

deixa rolarem as lágrimas,

correr a terra,

soterrar o destino indigente.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Bom dia, boa tarde, boa noite!



Não deve ser mera formalidade, autômato salamaleque social... Precisa ser um afago sincero; o saudar o outro, reverenciar a vida e seus ciclos, as relações, as interações que fazem o “eu” nosso de cada dia.

Antonio Pereira Apon.


Pombo ao alvorecer.

Bom dia!

Prefácio de um novo hoje.

Aconchegando a quem chega...

O gari e o passante,

o padeiro, o estudante;

o motorista, o cobrador,

o neto, o avô...

Bom dia, dia!

Bom dia vida!

Bom dia alvor! ...


Boa tarde!

Momento de apreço sem preço,

instante furtado à apreçada pressa;

para

sábado, 10 de maio de 2014

Acróstico de um Brasil “fifado”



Dentro do campo, torcemos e até podemos ter uma seleção vitoriosa. Fora, somos um povo, um Brasil que toma de goleada da politicagem malandra que fora da propaganda, não nos deixa “salvação”.


Antonio Pereira Apon.


Bola de futebol.


Copa de múltiplos negados,

oportunidade perdida;

padrão FIFA de subordinados,

autonomia esquecida.


Dentro dos campos pode tudo até dar certo,

ouro de tolo brilhar...


Miragens infraestruturais,

ubíquo faz de conta;

nefando faz que faz,

deprimente,

obilubilante afronta.


Desavergonhada subserviência,

espetacular submissão.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Esperando para ser esquecido(a)?



... impunidade torna comum o assassínio. Novas e velhas leis com suas tantas brechas, benesses e permissividades. Seguem estimulando e patrocinando o morticínio. Crianças, adolescentes e adultos de bem, seguem ameaçados, sobressaltados, oprimidos pelos que se acoitam na injustiça...
Antonio Pereira Apon.

Tiro.


Todos os dias, dezenas de pretos pobres da periferia morrem assassinados. Mas, quem se importa?! São “apenas” pretos pobres da periferia. Gente invisível, míseros dígitos anônimos das estatísticas.

domingo, 4 de maio de 2014

Responda antes de votar



... gente com toda essa sensatez, honestidade e responsabilidade, tem votado, eleito e reeleito maus políticos, que se enquadram em uma ou algumas das perguntas...


Urna eletrônica. Em quem votar?


1 - Você entregaria a chave do seu carro ou da sua casa a qualquer um?


2 - Você contrataria um estelionatário para administrar os seus bens?


3 - Você confiaria a guarda de sua casa ou de uma empresa a um ladrão?


4 - Você acreditaria em alguém que costuma mentir, enganar ou trapacear?


5 - Você entregaria a educação de seus filhos a quem finge, enrola, faz de conta?