A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



domingo, 27 de julho de 2014

Paz



... é sorrir de criança a brincar, é a realidade podendo sonhar, é sonho pra vida viver. São pontes, no lugar de muralhas, diálogos calando batalhas, mais alegria, menos sofrer. É gente acima da grana...


Antonio Pereira Apon.



Homem ao alvorecer.


A paz no mundo,
Começa na paz de cada coração,
Que se desarma e liberta a mão,
Ao encontro de outra mão.
Paz não é coisa de tratado.
É amor, é mais cuidado,
Com quem nos partilha esse chão.

sábado, 26 de julho de 2014

Saudades de você



... teus olhos, dos teus beijos, do teu corpo, teus desejos, saudade de mim e de você. Saudade do dito e do não dito, de contemplar teu infinito...
Antonio Pereira Apon.



Entardecer visto da janela.

Saudade, ausência tão presente

que faz a gente

estar junto, mesmo estando tão distante.

Pro pensamento inexiste o longe

quando o coração te sonha

e na memória

roda o filme de nossos

domingo, 20 de julho de 2014

Amigo para se viver



... não se restringe a um verbete, significado... É essencialmente sentimento. Um singular bem querer de consequências plurais... Felizes dias do amigo e da amizade!


Cachorro e gato dormindo.


É fácil falar de amizade. Definir, explicar, conceituar, qualificar, quantificar, dicionarizar... Mas, amizade deve ir bem além da retórica, precisa transcender à teoria... Amizade é para se viver!


Já reparou na palavra amigo? Ela

sábado, 19 de julho de 2014

São tantas as portas



... Portas, portões, portinholas... Dentro e fora, caminho e descaminho, fechar e abrir. Portas amedrontam, portas encorajam, portas vacilantes, portas seguras, portas sensíveis...
Antonio Pereira Apon.



Porta de vidro.

Portas ditas em ditos,

portas benditas, portas malditas.

Portas que libertam, portas que prendem...

Largas ou estreitas,

sagradas ou profanas.

Portas iluminam, portas escurecem.

Portas aconchegam, portas distanciam,

portas recebem, portas despedem,

portas prolongam, portas abreviam.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Mesmos nomes, diferentes personagens



O tempo passa, nomes se repetem... Mas cada qual é cada qual e cada um escreve uma história. A sua. Figura na história de uma comunidade, de uma torcida, de um povo, uma época...


Relógios derretidos de Salvador Dalí.


As coisas eram bem mais compreensíveis e menos inexplicáveis, quando:

Dante era o Alighieri. Autor da “Divina comédia”.

David era o jovem herói hebreu que derrotou o gigante filisteu.

Daniel era um profeta bíblico.

Marcelo era um apresentador e jornalista.

Maxwell era Smart. O “Agente 86”, namorado da 99.

Fernandinho era o marido da Ofélia naquele humorístico.

Luiz Gustavo nos fazia rir com seu hilário “Mário fofoca”.

Oscar era Schmidt. O “mão santa” que arrasava no basquete.

Willian era levantador no vôlei.

Bernard fazia bonito nas quadras, com seu saque “Jornada nas estrelas”.

Fred era Flintstone. Marido da wilma, pai da Pedrita e amigo do Barney Rubble.

Hulk era um “herói” esquisito, que aparecia quando o Dr. David Banner se irritava após ter sido acidentalmente exposto à radiação Gama.

Jô era o Soares. Grande humorista, escritor e apresentador de talk show.

Felipão podia ser o Dom Felipe III O Grande. Rei da Terceira Dinastia, vigésimo monarca de Portugal.

Parreira era o Nome de algumas plantas trepadeiras, em especial a videira.

Apagão era problema elétrico e a Seleção Brasileira de Futebol, não tomava de 7 a1...

É. Nem Freud poderia explicar!



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Amizade e amor



No artifício dessas "amizades pasteurizadas", como faz falta: um abraço amigo, um amigo do peito, aquele velho ombro amigo... Vamos sobrevivendo nessa trama de conhecidos, cada vez mais desconhecidos...


Antonio Pereira Apon.



Luminária.


O amor... Dentre suas diversas formas de manifestação, a amizade é, sem dúvida, uma das mais belas. É um amor sem compromissos formais, mas que nos faz tão comprometidos com o outro, num contrato sem contratos. A amizade sincera é aquele cheque milionário, que a vida deposita na poupança dos nossos afetos, é aquele afeto que não precisa do endosso da consanguinidade, para multiplicar o bem querer.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Deficientes



Eficiência e ou deficiência costuma transcender à condição meramente física. A mente, o espírito pode determinar toda a diferença. Corpos sadios, podem esconder um ser doente e vice-versa.


Antonio Pereira Apon.



Linha de chegada.


Tem pessoas:

De olhos perfeitos,

mas, mente profundamente cega.

Donas de ouvidos sadios,

com discernimento surdo.

Com falar fluente,

de sentimentos mudos.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Copa. Legado do povo



... apesar de todos os pesares, de tantos factoides e tanto faz que faz. Mostrou ao mundo um Brasil bonito, alegre e hospitaleiro. Que com, sem e apesar do...


Bandeira do Brasil.


O governo não disse que não haveria apagão na copa? Pois sim. Deu blackout na Seleção brasileira. Absoluta falta de mobilidade, desestruturação total! O time parecia propaganda oficial, afrontada pela dura realidade protagonizada pelos alemães. Mera obra ficcional de péssima categoria, tal qual os míticos “legados”; enganosos, retóricos...


Legado de verdade, deixa o povo, que apesar de todos os pesares, de tantos factoides e tanto faz que faz. Mostrou ao mundo um Brasil bonito, alegre e hospitaleiro. Que com, sem e apesar dos seus politiqueiros e suas politicagens, consegue transcender à desventura cotidiana desse país de faz de conta e improvisos.


Dentro do campo uma copa maiúscula, apesar do futebol minúsculo da “pátria de chuteiras”. Resta esse gosto amargo de chucrute azedo e indigesto, até que 2018 acorde novamente o sonho adiado, a vibração de uma gente que tenta realizar sua catarse no futebol. Fora das futebolísticas quatro linhas, a realidade despe-se da publicidade, convidando-nos a resolver a equação de legados e negados, a falsa incógnita de inúmeras “bolas fora” e nas urnas, dar bem mais que sete a um em favor da cidadania, do povo brasileiro.


“Vai que é sua Brasil”!!!


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

domingo, 6 de julho de 2014

Um poema para Neymar Jr.



Talento e sonho não se perdem. As vitórias podem ser adiadas, mais o brilho dos verdadeiramente fortes, não se permite apagar.


Neymar. Agredido de forma covarde e criminosa pelo jogador colombiano Juan Camilo Zúñiga.


Tristes:

Os que apenas fantasiam, não aprenderam a sonhar;

os sem talento,

os que trocam a arte pela força...

Mas, como a bola,

O mundo gira;

Seu sonho foi adiado,

apenas guardado,

reagendado...

perdedores agridem,

vencedores fazem História!

Derrotados vão para o lixo do tempo,

Ganhadores colhem os frutos da glória.

Tudo passa

E seu sonho passarinho,

há de cantar na Rússia, no Catar...



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.