A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

O tempo. Suas faces, facetas e falsetas 





... Silêncio e som, berço e túmulo; aprendizado e dom, desperdício e acúmulo. Amor e ódio, céu e chão; trabalho e tédio, válido e vão...

Antonio Pereira Apon.


Ampulheta/Hourglass.

Na areia que se esvai na ampulheta,

no ciclos dos ponteiros,

na intermitência dos dígitos,

nas folhas que desfolham da folhinha....


O tempo!

Tempo que cura emata,

castiga e perdoa,

maltrata e faz carinho,

espada e ancinho,

pedra e pão.


Sacro e sacrílego,

aristocrático e campesino;

bálsamo e látego,

ancião e menino.


Direita e esquerda,

capitalista e socialista;

ganho e perda,

aliado ou nazista.


Judeu e Palestino,

cristão e mulçumano;

proativo e destino,

bestial e humano.


Panfletário e submisso,

conservador e vanguarda;

protagonista e omisso,

dianteira e retaguarda.


Silêncio e som,

berço e túmulo;

aprendizado e dom,

desperdício e acúmulo.


Amor e ódio,

céu e chão;

trabalho e tédio,

válido e vão.


Crepúsculo e alvorada,

ardente e frígido;

partida e chegada,

flexível e rígido.


Espírito e matéria,

corpo e alma;

riqueza e miséria,

fúria e calma.


Sábio e ignorante,

laico e religioso;

humilde e arrogante,

confiável e vicioso.


Um tanto de tudo,

um tanto de nada...

Tempo... Tempo... Tempo...


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

6 comentários:

  1. Querido amigo Antonio, lindo poetar em antagonismo, tudo é assim, o tempo então, nossa, esse não tem como, "... um tanto de tudo/ um tanto de nada..." bem assim é viver meu amigo poeta querido!
    Abraços e tenhas um lindo fim de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo tem dois lados e o tempo reflete essa dualidade.

      Um abração.

      Excluir
  2. Que bela sua ponte entre as possibilidades antagônicas, reflexivas e metafóricas que a vida nos apresenta diariamente... Um horizonte muito próximo é o que o "tempo" nos traz...
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo é dual, dialético, controverso... Assim o fazemos.

      Um abração.

      Excluir
  3. Oi, Apon, como vai?
    Muito interessante seu poema sobre o tempo... coincidência ou não, é o tema que estou trabalhando essa semana com minha turminha do 1º ano, e acabei de ler um texto sobre o tema no blog da Beth Lilás... será um sinal? hahaha
    O que mais gostei foi como cercou o tempo com antagonias, tão características dele, que pode ser o algoz ou o bálsamo... Muito bom. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é um sinal do tempo! Tempo que reflete a dualidade humana, a alternância das possibilidades...

      Obrigado. Um abração.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.