Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

Inveja. Um alter ego da “admiração”

Imagem
... a “admiração” que desandou numa espécie de ciúme, deteriorou, degenerou, desnaturou... Perverteu-se, perdeu-se numa idolatria reversa, inversa, perversamente sem...

O invejado não tem tempo a perder. Está sempre ocupado, dedicando a dádiva das horas a coisas úteis, edificantes, construtivas: Trabalho, estudo, boa música, espiritualidade, família... O invejoso? Carente de vida própria, desperdiça seu tempo “tomando conta da vida alheia”.
Geralmente, o invejado é esforçado,empreendedor, empenhado, participativo... Constrói, cria, conquista, sonha, realiza, vence, faz sucesso... O invejoso?! Apenas rumina sua inveja! Enquanto o invejado se faz autor e protagonista da sua biografia, o outro terceiriza, confia ao acaso a sorte do seu desiderato...

Seu barco é impermeável?

Imagem
... sem a indispensável impermeabilidade, nas correntes do existir; encharca-se nos problemas e desmancha-se nas dificuldades. Sem a devida maturidade consciencial, o ser deriva ao sabor dos acontecimentos, absorvendo inutilidades, negatividades que desagregam e...

Naquela manhã chuvosa, a rua estava cheia d'água. O menino pegou uma velha revista e começou a produzir barquinhos de papel e colocá-los para “navegar” na correnteza produzida pela chuva. Um após outro, seus barcos iam descendo em meio ao aguaceiro, mas no meio do caminho, ensopavam e se desfaziam...
Após perder toda a sua “esquadra” feita com as folhas internas da revista, o garoto preparou a derradeira embarcação com a capa, que além de ser de um papel mais grosso, era revestida por uma película plástica. Assim, dotada de uma necessária impermeabilidade, a nau foi cruzando toda a rua; impávida, íntegra... Até o Guri satisfeito perdê-la de vista.
A vida, como um barquinho de papel, sem a indispensável impermeabilidade, na…

Vida na prorrogação

Imagem
... vidas e vidas se perdem, quando poderiam ser salvas, tantas dores poderiam ser aliviadas. Converse com seus parentes, diga que é doador e no dia que você morrer, seu espírito seguirá conforme a sua crença. Sendo materialista, sua vida terá uma espécie de “prorrogação em outros...Antonio Pereira Apon.

A imprensa baiana, continua a divulgar o alto e absurdo número de negativas à doação de órgãos no estado. Enquanto cerca de 4.000 pessoas aguardam na fila de transplantes, a indiferença de uns e o egoísmo de outros, joga no “lixo” a oportunidade de salvar vidas.
Muitas pessoas, pensam e agem como se elas e seus afetos, estivessem livres de um dia precisarem de uma doação de órgãos. Não se colocam no lugar do outro, de seus familiares e amigos. Anestesiam coração e mente em relação ao sofrimento alheio, escondem-se atrás da emoção da perda, para justificar o que em última instância representa, pura e simplesmente, o velho egoísmo do ser humano.

Para pensar e doar

Imagem
... situaçõe servem muito bem para retratar um pouco do que sente quem está na fila à espera de um transplante, enquanto tantos órgãos são desperdiçados no vazio das sepulturas, num tributo ao...Antonio Pereira Apon.

Imagine-se depois de caminhar um dia inteiro, sob o sol inclemente do deserto, morrendo de sede e se deparando com alguém despejando uma garrafa de água, sob a areia escaldante.
Coloque-se no lugar de um náufrago, a duzentos metros da praia e sem saber nadar. Vê um exímio nadador levar consigo o único salva-vidas disponível.

Quero morar lá

Imagem
... é tudo perfeito! Tem emprego e não tem corrupção nem nepotismo. A justiça funciona, os presídios recuperam os presos, a cidadania é respeitada, as leis pegam, não há dinheiro em cueca nem meia e...Antonio Pereira Apon.

Eu quero morar num país chamado Publicidade. No estado da Propaganda, município das Mídias, bairro das campanhas, Rua do Merchant, num número qualquer. Lá é tudo tão bonito e diferente: são praças bem cuidadas, ruas e estradas limpas, sem buracos... A segurança pública é uma grande maravilha. A saúde é quase perfeita, dá até vontade de adoecer, só para ser tão bem tratado nos hospitais públicos. E as escolas. Que magníficas! Ensino de primeiríssima qualidade, como nunca antes na história de qualquer país.

"Independence day"

Imagem
... dançamos “pop”, “funk”, “hip hop”... Meditamos com “new age”, o louvor é “gospel”, lemos “best seller”, nosso “personal computer”...
Antonio Pereira Apon.


Não, não estou falando do 4 de julho. Me refiro mesmo ao 7 de setembro! Diz a lenda, que em 1822, nessa data, nos libertamos do domínio de Portugal. Dos lusitanos, até podemos nos ter libertado no 2 de julho de 1823 (a verdadeira data dessa tal independência). Mas nos libertamos, ou trocamos de dominadores?
Nossa alta tecnologia é “made in”: China, Taiwan, USA, Japan... Consumimos no “shopping center”, comemos “fast food”, o “rock” não sai do “hit parade”, nossa seleção musical é “playlist”, dançamos “pop”, “funk”, “hip hop”... Meditamos com “new age”, o louvor é “gospel”, lemos “best seller”, nosso “personal computer” é desktop ou laptop, telefonamos num “smart phone” com “bluetooth”, a TV é “high definition”, usamos o “home banking”, a geladeira é “frost free”, trocamos o fim de semana pelo “weekend”, depois do trabalho é o “happ…

Jesus, flores e pessoas

Imagem
... tratar pessoas como tratam as flores, para que possam florescerem: A paz, o amor, a humildade, a verdade, a fé genuína...
Antonio Pereira Apon.

Florentino cuidava daquele magnífico jardim, quando alguém observou:
- Belo jardim! Belas flores você tem aqui.
- É... Agora está mesmo. Mas deu foi trabalho, quase que eu desistia por causa das pragas...
- Flores são como pessoas. São frágeis, suscetíveis; exigem constante atenção e cuidado.
- Pulgões, cochonilhas, ácaros, lagartas, nematoides, aracnídeos, moluscos... Aqui deu de tudo, parecia até as sete pragas do Egito!
- Orgulho, vaidade, egoísmo, ódio, inveja, fanatismo, ambição desmedida... Também são muitas as pragas que infestam o jardim que meu Pai me confiou.

Boa vizinhança. “cada um no seu quadrado”

Imagem
...se você não compartilha dessa frívola e fútil “necessidade”, se não é sua prioridade ostentar aparências, passa a ser olhado de través. Assim, as pequenas coisas ganham superlativa proporção...

Existem vizinhos e vizinhos. Alguns, apesar de serem “gente boa”, não perdem a oportunidade de tirar proveito da sua boa vontade. Se se permite um puxadinho, quando você se dá conta, já tem o conjugado do puxadinho e o anexo do conjugado do puxadinho, logo vira um depósito de tralhas, cacarecos e afins. Indevidamente adonados do seu perímetro, passam a alegar que “te fizeram” esse e aquele “benefício. Qualquer observação feita, torna-se motivo de aborrecimento, mal estar, ironia...

Seu melhor

Imagem
... Escuta o que cala em seu íntimo e usa a dádiva do tempo para construir caminhos novos por sobre os descaminhos que você se impôs. O medo e a dúvida, são péssimos conselheiros...
Antonio Pereira Apon.

Persiga o seu melhor. Não lamente a dor, pois só quem sabe chorar, tem a perfeita ciência do que é verdadeiramente sorrir. A vida é como um artista, que sem a menor "piedade," fere a pedra para que ela possa vir a ser a magnífica obra de arte.
Não se iluda com os risos ruidosos dos que se embriagam pelos artifícios da matéria e passam pela vida como quem vai a um parque de diversões, existe diferença entre o riso e o sorriso; sorrimos com a alma...
Igualmente, existe diferença entre o sonho e a ilusão; o sonho vitaliza o espírito na busca do mais além, a ilusão entorpece o coração viciado por quimeras. Só quem aprendeu essas diferenças tem a capacidade de admirar a beleza de uma rosa e compreender o porquê de seus espinhos.