A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Eu quero, eu posso, eu sou capaz (Com mp3)



... caminhos novos! Deixar de ser ilha, ser um, ser só. É aprender a ser nós, ser continente para caber todo mundo em um mundo melhor...


Eu quero, eu posso, eu sou capaz (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Linha de chegada.


Escola não é um prédio, não é onde se sabe tudo, nem o lugar das coisas prontas. É encontro de gente buscando saber, ensinar aprendendo, aprender ensinando; fazer, refazer num constante aprontar. É feito salada de frutas, tem um gosto plural que respeita o sabor singular de cada fruto.


Escola é começo. Jamais fim! É sempre um meio, uma ponte para mais além. Para quem quer e se capacita para poder. É gente somando com a gente para fazer acontecer. Gente que não desiste nem desanima; acredita no que quer e pode, se faz vencedor. Mas que apontar caminhos, escola acorda a vontade de caminhar; descobrir, criar, inventar caminhos novos!

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Chapeuzinho verde - Antonio Pereira Apon (Com mp3)



Uma ecológica e divertida fábula, onde até um lobo vira vegetariano por conta de uma menina amiga das árvores, animais e toda a natureza.


Chapeuzinho verde (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Grazi com o ursinho Miguel.


Capa da segunda edição da : gColeção Graziela.
Esse mais seis contos infantis, estão na: Coleção Graziela.
Clique aqui para conhecer.


Chapeuzinho Verde era uma menina muito preocupada com a natureza, ela cuidava dos animais e das árvores, que eram todas suas amigas.


Ela se chamava Chapeuzinho Verde, porque usava um mimoso chapeuzinho dessa cor, o que ela mais gostava de fazer era conversar com as árvores:


- Olá dona árvore! Como vai? Belo dia, não?


- É um belo dia chapeuzinho e eu estou muito bem, estou carregadinha de frutos doces e saborosos, você quer um?


- Quero sim dona árvore; e se não for incomodar, também quero descansar aqui embaixo da sua sombra, respirando esse ar puro da floresta, sem nenhuma poluição.

- Você nunca incomoda minha amiguinha, fique a vontade.


Nesse instante a conversa foi interrompida pelos gritos do coelho que corria esbaforido, como quem foge de uma assombração:


- Socorro! Socorro! Se escondam todos!!!

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Círculo virtuoso e círculo vicioso



... Um só cenário e duas cenas: Expostas, propostas, sobrepostas, contrapostas... Avida como é e pode ser. O ponto e o contraponto da inspiração...


Homem ao alvorecer.


Naquele amanhecer, a procura de inspiração, um pintor pegou seu material e foi para a praia. Um arco naturalmente formado pela folhagem de duas árvores que se entrelaçavam, emoldurava aquele magnífico arrebol. Em seu ninho, um coro de pássaros saudava o dia nascente, ofertando ao artista sublime temática a pintar.


Um poeta que contemplava a cena, versejou:


Na tela colorida,

imita o artista a vida.

Gorjeiam os pássaros;

Saúdam a manhã raiada.

Acorda o dia,

desacorda a madrugada.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

O Brasil é de todos os brasileiros!



... Sem essa renovação, o bem público e privado, começa a ser confundido na vala comum da corrupção, onde tudo aparenta ser possível e aceitável. Endêmica sensação de impunidade e onipotência, passa a alimentar o despudor, a sanha criminosa dos salteadores...


Bandeira do Brasil tremulando.


Considero perigosa qualquer forma de fanatismo (sobretudo o político) e acredito no voto como um ato eminentemente racional. Assim, não posso conscientemente, votar no que aí está. Não acredito em contos da Carochinha, Saci Pererê, boi tatá e a vida real, já me ensinou a mais de 10 anos, a não confiar em “Sapo barbudo” nem em insubstituíveis “Salvadores da pátria”.


A alternância de poder é salutar em regimes verdadeiramente democráticos, descontinuando práticas que visam unicamente a perpetuação do domínio político, em detrimento dos interesses legítimos da nação.

domingo, 19 de outubro de 2014

Na vida como na matemática



... Ele mais ela pode dar amor, pode dar amizade, dividir felicidade, ou resultar em rancor; pode adicionar família, Multiplicar cumplicidade, resolver na jurídica autoridade, ou zerar...


Calculadora.


A vida é a soma de aprendizados e vivências.

Mas;

btambém divide, subtrai e multiplica.

Simples e complexa equação

Dessa inexata “ciência” do viver,

“matemática” onde um mais um pode ser dois,

ou,

considerando a margem de erro;

pode ser três, quatro, mil e vinte e dois...

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Gente, gente e "gente"



... Importantes ou desimportantes, sonhadores ou iludidos, bons ou maus, vencedores ou perdedores, realizadores ou invejosos, verdadeiros ou falsos, azarados ou sortudos...


Pessoas andando.


Tem Gente que faz a diferença, tem “gente” absolutamente indiferente.

Tem Gente que importa, tem “gente” tão desimportante...

Tem Gente que é notícia, tem “gente” que vira notícia.

Tem Gente que sonha, tem “gente” que cultiva ilusões.

Tem Gente de fé, tem “gente” negociando a “salvação.

Tem Gente de bem, tem “gente” do mal.

Tem Gente vencedora, tem “gente” perdedora.

Tem Gente realizadora, tem “gente” invejosa.

Tem Gente que busca soluções, tem “gente” que cata problemas.

Tem Gente admirando as rosas, tem “gente” reclamando dos espinhos.

Tem Gente que esculpe a pedra, tem “gente” que atira-a.

Mentira. A grande "verdade"



... publicidade de Governos e a propaganda política, parecem tiradas do seriado americano MacGyver (Profissão perigo), exibida entre a década de 1980 e 1990. Tapeação pura, tipo fora da irrealidade não há salvação...

Antonio Pereira Apon.


Protesto no Congresso Nacional.

Se vivo, Goebels, chefe da propaganda nazista, sentiria grande orgulho por ter conseguido tantos "Discípulos" na política e na gestão pública em todo o mundo. Mas no Brasil com especial relevância: "Uma mentira repetida muitas vezes passa a ser verdade".


Aqui na "Pinoquilândia" tupiniquim, o sujeito mente com a mesma naturalidade com que respira. É graduado em dissimulação, pós-graduado em inverdades, Mestre em lorotas, Doutor em mitomania e termina pós-doutorado em "conversa mole para boi dormir".


Se metade do que político fala fosse verdade, já estaríamos exportando petróleo para o Oriente Médio, o Cidadão ficaria curado de qualquer doença só em entrar em um hospital do SUS, viraria doutor só em olhar para fachada de Escola Pública, comeria caviar, todos teriam casa de novela Global, assalariado andaria de Ferrari, aposentado do INSS viveria em cruzeiros pela Europa, teríamos trem bala para New York.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Ser Professor



15 de outubro, dia do Professor.
... Vivas aos Professores de verdade, esses verdadeiros mestres da arte do educar. Artífices de um Brasil melhor, de uma sociedade mais justa, uma cidadania legítima e plural... Os inimigos da educação? Como diria Quintana: “Eles passarão”. O Professor? “Passarinho”! ...


Mãos se tocando. Fragmento de afresco de Michelangelo.


Professor não é sacerdote nem mero “profissional do ensino”; não é um simples repassador de conteúdos ou cumpridor de programas. Professor é um estado de espírito, um compromisso, ideologia, uma convicção! Professor é o soldado sempre alerta nessa guerra contra a ignorância, essa constante batalha contra um sistema deliberadamente alienante.


Propositalmente mal pago, covardemente desrespeitado, vergonhosamente maltratado. Professor não cede, não desiste; luta, labuta, segue em frente! Por seus alunos, por suas certezas, por seu país! Contra os “podres poderes”, contra essa gente, que intenta adestrar indigentes do saber.

domingo, 12 de outubro de 2014

Um dia de domingo



... Dia de tomar um bom Sundae. Que, com a margem de erro. Pode ser um picolé de manga ou um pudim de leite condensado. Dia de fórmula um e futebol, da pior...


Andando de bicicleta ao amanhecer.


Hoje é domingo. Considerando a margem de erro, pode ser um prolongamento do sábado ou uma antecipação da segunda, último ou primeiro dia da semana. Dia de fazer de tudo, para não fazer absolutamente “nada”! Dia de praia, de parque, de circo; Dia de cinema no shopping, de pedalinho, zoológico; dia de andar de bicicleta, dar uma de atleta, correr sem pressa para lugar nenhum.


Hoje é domingo. Dia de acordar mais tarde, de lembrar de Deus; dia de missa, de culto, de doutrinária... Dia de vestir a domingueira e ir rezar. Dia de “ficar de prega”, deitar na rede e ficar de pernas pro ar. Para alguns, é dia de feijoada, para outros, macarronada; pizza, churrasco... Dia de gandaia para aqueles, de soneira para aqueloutros.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Preconceito. Nordestino não é espelho



... testemunham a grandeza do Nordeste e dos nordestinos, que nada mais precisam provar a ninguém. São tão brasileiros quanto os demais brasileiros, com seus erros e acertos, defeitos e virtudes. Só não sabe disso quem tem a alma pequena e a mente...


Bandeira do Brasil.


O preconceito depõe contra o preconceituoso. Acusa o pensar débil, a cognição tíbia de quem desacostumou-se a usar o discernimento e não consegue ver além dos clichês e estereótipos de uma "pasteurizada" e falsa cultura, misto de mediocridade e fútil arrogância.

Analfabeto político. Vida de gado



"... não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, Do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio. Dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia A política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce"...


Moedas espalhadas.


A vitória do PT na Bahia e a performance eleitoral da “Presidenta” (sobretudo no norte e nordeste). Apesar da volta da inflação, desvalorização da Petrobras, reajuste mensal de energia, pibinho, queda na produção industrial, transposição do rio São Francisco(?), mensalão, compra da refinaria de Pasadena, bravatas, factóides, mais bravatas, mais factóides... ... ... ... Me fazem lembrar uma música de Zé Ramalho e um poema atribuído a Bertolt Brecht

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Solvente humano



... armadilha insuspeita, camuflada no primeiro gole, no beber socialmente. Inocente trago, inconsequente dose. Até tudo virar uma infindável “saideira”. É o beber a vida até o sorver da morte; tropeçar no azar apostando a sorte na...


Garrafa quebrada.


Em química, diz-se que, solvente é a substância líquida capaz de solver ou dissolver outras. Aplicado ao comportamento humano, encontramos um pernicioso “solvente”, capaz de dissolver:

Uma família feliz,

uma amizade sincera,

um amor verdadeiro,

um sonho realizável,

uma saúde forte,

um caráter fraco,

uma reputação sem

Voto nulo não anula eleição. Não dê crédito a spam! Delete!



… o voto nulo não anula nada! Não é voto de protesto. É o voto desinteligente da omissão, que pode ajudar a eleger personas não gratas. Votos anulados pela Justiça Eleitoral, podem anular uma eleição. Não os votos nulos dos eleitores.

Antonio Pereira Apon.


Urna eletrônica. Tela final.

Tem spam que é feito cometa. De tempos em tempos aparece, volta a circular. Tem um que diz que existem córneas sobrando e sendo jogadas fora por falta de pacientes no Hospital de olhos de Sorocaba. Outro aconselha isso, aquele divulga aquilo... Parece que spammer é devoto convicto de Goebbels. Como o Ministro da propaganda nazista, tentam tornar verdade a mentira, repetindo-a insistentemente. Sem falar na publicidade indesejada, nas mensagens que disseminam vírus e outras pragas, correntes e demais golpes.


Vamos aqui nos ater àquele que costuma reaparecer (sobretudo) em períodos pré-eleitorais. Desinformando que a partir de determinado percentual, os votos nulos anulam uma eleição e tornam inelegíveis os candidatos. Tendo que surgirem outros postulantes em novo pleito eleitoral.


A verdade é que o voto nulo não anula nada! Não é voto de protesto. É o voto desinteligente da omissão, que pode ajudar a eleger personas não gratas. Por exemplo: Se numa cidade há apenas um candidato a prefeito, todos os eleitores votam nulo e ele só conta com o próprio voto. O sujeito será eleito por ter a maioria dos votos válidos. Ou seja, os votos nulos vão para o lixo e o cara se elege com um mísero e único voto.