Ladrão com medo de assaltar (Com mp3)



A bandidagem anda tão destemida. Não respeita a polícia, a justiça, as leis... De repente, só mesmo o sobrenatural para impor autoridade.


Ladrão com medo de assaltar (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Pelourinho.


Parece ficção. Mas me contaram como acontecido de fato. A coisa foi mais ou menos assim:


Um assaltante, chegou arrepiando para cima de uma transeunte. A mulher, candomblecista convicta e praticante, não contou conversa:


- Você tem certeza que quer me roubar mesmo?!


- Passa tudo e cala a boca sua...


- Tudo bem. Pode levar tudo. Mas o Exu que me protege não vai te deixar ir além daquela encruzilhada. Tu vai cair durinho! ...


O meliante esbugalhou os olhos e deu no pé sem levar nada. A quase assaltada saiu correndo atrás:


- Volte aqui! Agora eu quero ver você me assaltar! Tome aqui a minha bolsa! Meu celular! ...


Homem correndo.



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Amigo Antonio, não pude deixar de rir, hilário demais, nossa, se foi mesmo verdade, a assaltada teve sangue frio ou tinha mesmo um Exu a protegendo a ponto dela se sentir bem confiante!!!
    Amei ler, muito bom!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Eis uma mulher destemida. Na dúvida, o marginal preferiu não pagar para ver.

      Um abração

      Excluir
  2. Oi, Antonio, uma boa fórmula contra marginais você apresentou-nos em seu texto! Olhe, cômico, viu... Imaginei a cena!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só rindo para não chorar. Como as autoridades ditas competentes não protegem a sociedade, restou a ela, apelar para o sobrenatural.

      Um abração.

      Excluir
  3. Olá meu caro, sempre bom passar por aqui!
    Grande abraço

    Leila Rodrigues

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”