A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



domingo, 26 de abril de 2015

Ganhadores. O que faz a diferença



... São as pessoas que fazem as coisas, não são as coisas que fazem as pessoas. Cada um com seu sentir, pensar e agir escreve sua biografia, constrói seu destino, reinventa seu...


Antonio Pereira Apon.


Dinheiro espalhado.


Moradores de cidades vizinhas, Marco e Marcos não se conheciam, nunca tinham tido qualquer contato. Mas uma rede de coincidências lhes parecia "clonar" o destino: ambos trabalhavam como repositores em mercadinhos, tinham dois filhos, a mesma idade e escolaridade, se casaram na mesma data... Ganhadores de um grande prêmio da loteria dividiram uma pequena fortuna.

sábado, 11 de abril de 2015

Felicidade. Aprendendo com o ruibarbo do deserto



... felicidade não é exterior, não pode estar condicionada a coisas, acontecimentos, pessoas... Tudo é mutável, passageiro como a própria vida terrena. Felicidade tem que estar enraizada na alma, precisa ter um tanto de autossuficiência para enfrentar as ausências, as faltas e todo tipo de adversidade. Precisamos aprender a ser como o ruibarbo...


Antonio Pereira Apon.


Ruibarbo do deserto.


Muita gente, condiciona sua felicidade a fatores externos, a uma complexa coincidência de acontecimentos que desmente e desafia a simplicidade da vida: Riqueza, fama, poder, sorte, realização amorosa... Condicionais, que mesmo quando alcançadas, não redundam necessariamente na felicidade almejada.


Foi o que aconteceu com aquele moço pobre e amorosamente desiludido, que vagava errante pelas ruas. Sua amada fugira com um “filhinho de papai” e ainda que não se desse conta, despedaçara aquele coração transbordante de um amor que ela nem desconfiava. Um dia, quando o rapaz se embriagava em pensamentos dos mais infelizes, uma aparição o arrebatou daquele torpor:


- O que é isso meu jovem? Por que tanta tristeza?


- Já viu pobre ter vez, ter alegria? Quem tem dinheiro pode tudo! Rico compra ou manda buscar: Amor, sucesso, felicidade... Gente como eu, fica chupando dedo.


- Então, você acha que ficar rico te faria feliz. Não acredito. Mas quem sabe, seu desejo não se realiza...


No dia seguinte, aquele desiludido ser, seguia sua rotina de quase zumbi. Quando reparou que um idoso atravessava a rua desatento, na frente de um ônibus em altíssima velocidade. Num reflexo, puxou o senhor e os dois caíram sobre o passeio ainda sentindo a poeira do deslocamento do veículo quase responsável por uma tragédia. Refeitos do susto, o ancião agradeceu, tirando um bilhete de loteria do bolso:


- Tome meu rapaz, é tudo que tenho...


- Não, não precisa tio! ...

terça-feira, 7 de abril de 2015

Constatações



Quando nos aclimatamos ao incerto, estranhamos o certo e vamos nessa confusão, confusos, confundidos, confundindo...


Antonio Pereira Apon.


Fila de pobres.


Quando o bem silencia, o mal grita.

Quando a verdade se acovarda, a mentira subjuga.

Quando a sociedade se omite, a vilania faz política.

Quando a honestidade se acomoda, a corrupção desacanha.

Quando a cidadania enfraquece, a tirania ganha força.

Quando a ignorância domina, o populismo prolifera.

Quando a fé delira, o fanatismo aterroriza.

Quando a lei não pega, a injustiça pega!

sábado, 4 de abril de 2015

Dobraduras



... vincados rostos em reviradas memórias; lembranças redobradas, rugas mal dobradas... Dobraduras, dobras duras do viver. Resta-nos aprender, como nas dobras do origami: “Orimetadashitô”. Dobrar, redobrar; dobrar certo o “papel da vida...


Flor de origami.


Tarda a vida

Em desarranjadas flores,

Feito malfeitos arranjos de papel.

Dobradura,

dobra dura do viver.

O vinco do tempo na testa,

a tez que atesta idade a passar.

Dobram sinos,

Desdobram-se homens a lidar;

vincam o chão

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Páscoa. Jesus, coelhinho e ovos de chocolate



... Feliz páscoa! Pode até ter coelhinho e ovos. Só não pode faltar Jesus nos corações...


Antonio Pereira Apon.


Cristo Redentor.


O que é páscoa? Para muita gente, a resposta pode não ser tão fácil e imediata. Algumas datas comemorativas, com o passar do tempo, vão se perdendo do seu sentido real e sucumbindo aos ditames comerciais. Assim como no natal, aonde o nascimento de Jesus vai cedendo espaço para o mito do Papai Noel. Na páscoa, o tal coelhinho (já em baixa) e os ovos de chocolate, vão assumindo indevido protagonismo.


Originalmente, a páscoa comemorava a libertação do povo hebreu do cativeiro no Egito. Com o advento do Cristo, grande parte da humanidade, passa a celebrar a páscoa como a ressurreição de Jesus. Derrotada a morte, no 3º dia após a crucificação, ele ressurge dos mortos, legando à humanidade a imortalidade. Coelhinhos e ovos, vão surgir séculos mais tarde, como símbolos da renovação da vida. No princípio, ovos propriamente ditos, eram decorados e presenteados, os de chocolate são mais recentes e "simbolizam" grande lucro para a indústria, o comércio e os produtores artesanais. Andaram inventando tal "colomba pascal". Essa, como algumas leis no Brasil. Não pegou!


Mas, a distorção pascal já começa na sexta-feira dita santa ou da paixão. Nesse dia, os "devotos" de "Nossa Senhora da birita" Enchem a cara, "bebemoram" e com outros tantos se empanturram de comida. Mas, comemorar ou "bebemorar" o que mesmo? O assassinato de alguém que dizem reverenciar? Tornaram-se partidários da trairagem de Pilatos e do povo manobrado pelos fundamentalistas de então? Ou é apenas mais um feriadão para caírem na gandaia?

Dia dos namorados



... não permitimos o hálito da rotina a chama apagar, nem a mortalha do cotidiano nossas emoções vestir. Corações enamorados, eternamente apaixonados não são romântica ficção...


Antonio Pereira Apon.



Rosa vermelha.


Não deveria ser apenas

uma data a mais no calendário,

mas um estado de espírito;

os casais eternamente enamorados

como o sol

que não se detém em seu poente,

renova-se a cada alvorecer;

como as flores que renascem

em cada primavera

quarta-feira, 1 de abril de 2015

1º de abril



... nas próximas eleições, todos os postulantes a cargos eletivos, serão submetidos a testes de conhecimentos gerais, habilidades específicas, sanidade mental, capacidade cognitiva, e contagem de neurônios não corrompidos...


Antonio Pereira Apon.


Escola de Atenas, pintura de Rafael.


Esse é o resumo de "fatos" que só podem acontecer em um 1º de abril. Ou no nosso "BBB" (Big Besteirol Brasil):


Mudanças nos benefícios:

A partir desse mês, todos os cartões de benefícios da previdência e do bolsa família, serão substituídos por cartões corporativos.


Fim das regalias:

Congresso aprova o fim da verba indenizatória, do auxílio paletó... Institui semana de cinco dias de (efetivo) TRABALHO e férias de trinta dias para todas as casas legislativas do país.


Vestibular para político:

Já nas próximas eleições, todos os postulantes a cargos eletivos, serão submetidos a testes de conhecimentos gerais, habilidades específicas, sanidade mental, capacidade cognitiva, e contagem de neurônios não corrompidos. Além de passarem por detector de mentiras e apresentarem certidões negativas do SPC, do SERASA, da polícia, Da justiça, do botequim... Com isso, espera-se uma redução aproximadamente de 99% no número de candidatos.


Saúde pública alcança a perfeição:

Durante anos, alguns políticos afirmavam que a "saúde no Brasil, beirava à perfeição". Para atingir a excelência em atendimento, o SUS está desativando as UTIs virtuais, os atendimentos virtuais, a distribuição virtual de medicamentos virtuais, os médicos virtuais, os hospitais e ambulâncias virtuais... Agora, os pacientes (e põe pacientes nisso!) reais, verão as filas realíssimas, tornarem-se virtuais como nunca antes em toda a História...


Inauguração do metrô de Salvador:

Após longa espera, "vai estar sendo" inaugurado o metrô da capital baiana. Os soteropolitanos, ainda não descobriram para que servirá o "gigantesco" trajeto de 6 km. O "brinquedinho" que custou milhões, após vários cortes e ajustes, foi apelidado de "metrô calça curta" mas terminou virando shortinho.