As pedras. Quem faz a diferença?



Pedras diversas na forma, na origem, nas cores, no propósito... Sagradas, profanas... Artísticas, pragmáticas... Figuradas, concretas... O que ou quem para dar sentido?


Antonio Pereira Apon.


Mão com pedra.


Pedra de construir,

pedra de atirar;

pedra de esculpir,

pedra de tropeçar.


Pedra de Drummond,

pedra de Davi;

pedra de Apon,

pedra na Geni.


Pedra de Jacó,

pedras de ornamento;

pedra mó,

pedras dos mandamentos.


Pedra de Sísifo

pedra fundamental;

pedra do Litóglifo,

pedra filosofal.


Pedras que rolam,

pedras que ornam;

pedra de Aleijadinho,

pedra sabão.


Pedras de Moisés, Lázaro, Pedro e Jesus,

pedras dos ditos e provérbios;

pedras jogadas na cruz.


Pedra angular,

pedra polida;

pedra milenar.


Pedras estelares,

pedras dos altares;

pedra da espada de Artur.


Pedras que calçam a rua,

pedras vindas da lua;

pedras com tanto a contar.


Pedra de Roseta,

pedra da sarjeta;

pedra bruta a lapidar.


Pedra lascada,

Pedra britada;

Pedra preciosa a cobiçar.


Pedra de toque,

Pedra de choque;

pedra-pomes a esfoliar.


Pedra de Ali Babá,

pedra a lavrar;

pedra a se superar.


Pedra da amarelinha,

Pedra marinha;

Pedra do rio que não tarda a passar.


Pedra fumada,

Pedra cheirada;

Pedras para se pensar.


Pedra, pedras e mais pedras;

pedras para o humano fazer a diferença,

pedras para gente transformar.


Esse meu poema: A pedra. Continua aparecendo na Internet  de forma equivocada: Primeiro o “Autor desconhecido” e os plagiadores, depois, como de Chaplin, Fernando Pessoa... Agora surge como de Renato Russo ou sem citar a autoria (Sobretudo no Instagram). Peço ao amigo leitor. Que divulgue, alerte e esclareça em seu Blog, Site, Rede social, Grupo, Lista...O real autor é Antonio Pereira (Apon). Clique aqui, para ler todos os esclarecimentos.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Folclore brasileiro em acróstico

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”