A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:


domingo, 9 de agosto de 2015

Apressados, desapressados e a necessária normalidade





... cumprem suas órbitas num constante equilíbrio, a rotação da Terra proporciona-nos crepúsculos e alvoradas no seu tempo certo, a translação alterna entre estações nos momentos aprazados; sem pressa ou letargia, a lua rege o fluxo das marés...


Sistema solar.


Está muito em voga a preocupação com a correria frenética desse nosso dia a dia. Tem gente, que parece viver ligada no 220, fazendo trocentas e uma coisas ao mesmo tempo, pulando daqui pra li, de lá para cá como numa caricata prova de triátlon. O tempo urge e “ruge” também. É preciso fazer ontem o que poderia ficar para a semana que vem.


Por outro lado, temos aqueles que agem como um transgênico cruzamento entre tartaruga com lesma, uma “tartalesma” reumática, vivem se arrastando, postergando para a próxima década, o que devia ter feito no século passado. Gente que adora fazer da cama seu habitat natural.


Como Cronos (Deus do tempo), que engolia seus filhos. O tempo devora os dias e as horas ante a pressa estéril e a letargia infrutífera. Só o equilíbrio pode e deve reger o salutar ritmo da vida.


Os astros cumprem suas órbitas num constante equilíbrio, a rotação da Terra proporciona-nos crepúsculos e alvoradas no seu tempo certo, a translação alterna entre estações nos momentos aprazados; sem pressa ou letargia, a lua rege o fluxo das marés...


A pressa estressa e adoece, a vagareza entorpece e estagna; muitos, na pressa de “ganhar” segundos, jogam fora a vida em acidentes de trânsito, de trabalho... Outros tantos, assistem a vida passar, entregando a saúde e todas as suas possibilidades a uma sedentária acomodação.


A vida pede equilíbrio!



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

0 Comentários::

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.