A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



segunda-feira, 7 de setembro de 2015

A droga das drogas





... restos de gente, escombros de dignidade; zumbis errantes, sonhos farsantes, pesadelo da realidade. Voluntária tormenta, tormentosa opção; arriscar tudo, fazendo-se nada. Reclamar de que? ...


Frasco de droga.


O que é o próprio nome diz:

Droga!

Quem é feliz não usa,

o infeliz abusa;

vai entorpecendo a vida,

sai apostando a sorte,

cai com odor de morte.

Azar do vício,

aziago risco.

Fuga louca,

inteligência pouca.

Ruminar o tempo,

agendar lamentos,

comprazer na dor.

Atalho pra lugar algum,

ponte pra lugar nenhum,

passarela de ilusões.

Amargo trago,

fumado abismo,

cheirado aprisco,

delirante autismo.

Roleta tonta;

à lucidez afronta,

desaponta a razão.

O “barato” é passageiro,

“viajar” tão ligeiro...

Sobram restos de gente,

escombros de dignidade;

zumbis errantes,

sonhos farsantes,

pesadelo da realidade.

Voluntária tormenta,

tormentosa opção;

arriscar tudo,

fazendo-se nada.

Reclamar de que?

Protestar por quê?

Revoltar pra que?

Caia fora dessa droga!



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

2 comentários:

  1. Em versos dizes tudo por aqui, pois é tão difícil viver entre tantos que, não mais sabem o valor do que é viver, lamentável realidade, não há mais nenhum lugar onde eles não estejam fazendo as loucuras que, a própria lei ajuda a manter.
    Acho até que a sociedade se conforma, diz-se quando de atrocidades cometidas, "foi efeito das drogas", triste isso, mas se vai fazer o que?
    Abraços meu amigo poeta sensível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ação devastadora das drogas vem espalhando dor e morte, adoecendo e sobressaltando a sociedade. Até quando viveremos reféns disso?

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.