Os amigos do político “honesto”



... foi parar no inferno. Lá chegando, se assenhoreou da situação, costurou alguns conchavos, coligou, pactuou... E foi ter com o chefe político da região...


Dinheiro espalhado.


Ele se gabava da sua "honestidade", não havia ninguém mais "honesto" do que ele. O cara era lavado e enxaguado na “agua dura” da probidade, da moral e da mais ilibada ética na politicagem. Uma canonização lhe cairia muito bem.


A "honestidade" era tanta, que após anos de atividades políticas, o sujeito não tinha nada de seu, vivia sob o patrocínio dos mais altruístas dos amigos:


Morava onde sempre morou; fins de semana e férias, no sítio de amigos; apartamento luxuoso no litoral, dos amigos; reformas, amigos; viagem de jatinho, amigos; instituto, amigos; até a amante, era do amigo, corno, mas, amigo!


Quando morreu. Por conta das “perseguições da imprensa”, da “oposição” e das forças ocultas da “direita golpista”, manipulada pelo “imperialismo americano”; o tal fulano foi parar no inferno. Lá chegando, se assenhoreou da situação, costurou alguns conchavos, coligou, pactuou... E foi ter com o chefe político da região:


- Companheiro Capeta. Você está vendo aqueles políticos ali?


- Sim. E daí?


- São todos meus amigos! Está vendo aqueles banqueiros? Aqueles Marqueteiros? Aqueles eleitores? Lobistas, empreiteiros, agiotas? ... ...


- Sim! E o que é que tem?!


- É tudo amigo meu!


- E o que é que eu tenho com isso?! Problema seu!


- Sabe como é né? “É dando que se recebe”... “uma mão lava a outra” e as duas fazem coisas que nem o Diabo desconfia. Um tal de Sartre disse que: “O inferno são os outros”. Portanto, como “quem tem amigo, não morre pagão”. Eles pagam tudo! Bancaram até minhas mentiras lá na Terra. E tão pagando pra eu fazer o mesmo aqui. O Inferno “sifu”!



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Aprendizado. Reflexões de aniversário

Precisa de tinta para escanear?

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Tempo sem pressa, sem preço

Meu partido é o Brasil. E o seu?