domingo, 10 de abril de 2016

Sofisma

Antonio Pereira Apon


Mentiras mal vestidas de verdades, inverdades de um país que faz de conta. Mitos e lendas fazendo história e hoje, a farsa como nunca antes... Insofismável sofisma.


Sombra.


Uma “verdade” diversa da verdade,

versão própria da realidade,

leniente inverdade,

“desverdade”,

impropriedade real.

Mentir até convencer!

Artimanha da oratória,

golpe das palavras,

condução subliminar;

enganação coercitiva,

eufêmico discurso,

narcotizante retórica.

Levar no bico,

Na lábia ou na manha,

Verbal peçonha a enganar.

Dissimular,

fingir,

fazer de conta...

Carismático falar sem dizer,

Desdizer.

Indução da promessa vazia,

ética vadia,

amoral corromper.

Estética da vã aparência,

inconsciência de não ser;

vil engano,

desengano,

treta de só parecer.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Antonio Pereira Apon / Author & Editor

Professor, poeta e escritor baiano, verdadeiro autor do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou...

4 Comentários::

  1. Boa tarde de domingo meu amigo poeta, pois é, nem se sabe mais em que acreditar, só se sabe que, aqui nesse Pais não tem mais nenhum poder que se possa confiar, acho que os três, embora independentes, estão todos "bichados" ou não sabem ler a constituição?!
    Esperemos e veremos no que vai dar tudo isso!
    Amei seu poema, todas as palavras bem colocadas, parabéns pela sua inteligência!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O aviltamento e degradação da política nunca antes foi tão grande: Absoluto despudor no executivo, no legislativo a velha excrescência; enquanto setores da justiça, letárgicos, não sabem para onde ir. Triste descalabro nacional.

      Um abração e uma boa semana. Brigadoooooooo!

      Excluir
  2. Olá meu caro,

    só quem tem o dom para conseguir fazer um belíssimo poema com a vergonha do nosso país.
    Que triste realidade.

    Grande abraço

    Leila Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que nem sempre, podemos versar o belo, o ético e digno. Triste, poetizar um país tomado de assalto por víboras corruptas, mentirosas e superlativamente sórdidas. Mas tudo há de passar e o Brasil inspirar a boa poesia. E quiçá, descobrir a boa política.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Coprights @ 2017, Blogger Template Designed By Templateism | Templatelib| Distributed By Blogger Templates20