Ladainha - II



Como dantes, rindo para não chorar, seguimos rogando piedade a Deus pelo Brasil e os brasileiros, ante tantos absurdos. Senhor, Piedade! Valha-nos Deus!


Mão de Deus tocando a do homem.

Pelo privilegiado foro,

por quem foge do Moro;

pela imunidade parlamentar,

pela impunidade pra lamentar.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo preço do feijão,

pela volta da inflação;

pela bazófia da jararaca,

pela autoridade que matraca.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela corrupção endêmica,

pela reforma polêmica;

pela assistência parca,

pela propina farta.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo tríplex sem dono,

pelo sítio sem ônus;

pela escorcha tributária,

pela política arbitrária.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo limite na banda larga,

pela carestia amarga;

pelas desreguladas “agências reguladoras”,

pelas populações sofredoras.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo fiasco da copa,

pelo eleitor que os “negados” topa;

pelo povo que paga a conta,

pela cidadania que aceita afronta.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo SUS que não cura,

Pela “segurança” insegura;

Pela escola que desensina,

Por mais uma chacina.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelas promessas de campanha,

por quem seu voto barganha;

pela Dilma e sua defesa,

pela verdade indefesa.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela eleição mal ganha,

pela politiqueira artimanha;

pela esquerda mentirosa,

pela direita ardilosa.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo socialismo caduco,

pelo capitalismo maluco;

por quem diz que o impeachment é golpe,

pela corrupção a galope.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela mesóclise do Michel,

pelo país deixado ao leu;

pela omissão do plural,

pelo maltrato gramatical.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela doação da empreiteira,

pela coligação mutreteira;

pela lábia do lobista,

pela treta populista.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela falta de tornozeleira eletrônica,

pela passividade crônica;

pela prisão domiciliar,

por tanto imposto a pagar.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo paraíso fiscal,

pela fraude imoral;

pela lavagem de dinheiro,

pelo esquema embusteiro.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo abuso do trust,

por tanto deboche e desfrute;

pela politiqueira matilha,

pela formação de quadrilha.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela falta de saneamento,

pelo insalubre parlamento;

pelo esgoto da política,

pela economia paralítica.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo PIB brochante,

pelo candidato farsante;

pelo velho circo e pão,

pelos espoliadores da nação.

Senhor, tende piedade de nós!


Piedade Senhor!

Senhor, piedade!


Leia também:

Ladainha.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Olá, Apon como vai? Penso que você escrever muito bem esse tipo de texto. A sensação final ao ler seu jogo de palavras é a de que estamos desamparados e só podemos mesmo recorrer a Deus! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo na santa paz do Senhor. Enquanto a sociedade não acordar e o voto não for tratado com a devida importância, ficamos no: "Cada um por si e Deus por todos". Só Jesus na causa!

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. Excelente criatividade! Parabenizo-o! Uma ladainha de grandes verdades que tomara não acabem em pizza - Hoje Dia da Pizza!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a "pizzaria Brasil", segue a pleno forno. Essa semana estão ameaçando uma pizza de marmelada temperada com Centrão a lá Cunha.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Aprendizado. Reflexões de aniversário

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Precisa de tinta para escanear?

Tempo sem pressa, sem preço

Ganhadores. O que faz a diferença

Os pais e a "baleia azul"