A poesia da infância permanece guardada nas lembranças de quem não abortou sua criança interior.



A poesia da infância permanece guardada nas lembranças de quem não abortou sua criança interior.


Por: Antonio Pereira Apon. Leia mais em: Pensata


Pensamentos, prosa, poesia e datas comemorativas sorteados aleatoriamente. Um conteúdo diferente a cada clique na figura abaixo:


Clique aqui.

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Bom dia amigo Antonio! Que belas postagens que nos incitam a pensar!
    Tenho uma memória muito boa, sempre exercitei minha mente,lendo, escrevendo, pensando e repensado, prestando atenção aos detalhes, tentando viver com disciplina.
    Amei ler aqui, abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A lembrança do bem vivido acaricia a alma. Essa nova seção aqui do Blog é dedicada a pensamentos, pequenos convites à reflexão.

      Um abração e um bom fim de semana.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Felicidade e as estações da vida

Precisa de tinta para escanear?

Os pais e a "baleia azul"

Ganhadores. O que faz a diferença

Aprendizado. Reflexões de aniversário

Tempo e amor