quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Bolhas de sabão

Antonio Pereira Apon


As bolinhas de sabão, ficaram perdidas, esquecidas num canto qualquer da infância. a gente cresce e se nega, perde o encanto de brincar.


Antonio Pereira Apon.


As bolas de sabao - Edouard Manet.

Num sopro se faz,

num sopro se vai.

Poesia da infância, encantamento de criança...

Voa na breve eternidade do instante;

magia multicolorida,

flutuante arco-íris de “vidro”...

Se desfaz na infinitude de um momento.

Lírica bolhinha,

oníricas bolhinhas de sabão.


Mas a gente cresce!

Sufoca o eu menino;

já não brinca de assoprar.

Confinadas nas lembranças,

bolhas vagam nos labirintos da memória;

negadas, sonegadas,

esmaecidas, sumidas,

desaparecidas…

Sonhos descoloridos,

quase desfeitos cristais de ilusão.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Antonio Pereira Apon / Author & Editor

Professor, poeta e escritor baiano, verdadeiro autor do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou...

12 Comentários::

  1. Olá, bom dia menino António!

    Fiquei olhando a pintura de Monet (vês como sou culta, vês? Não sabia é que colocando o cursor sobre a imagem, apareciam as indicações, só isso) Fiquei tão embevecida! Mas (não devia ter começado a frase por uma adversativa, mas...) um "minino" não tem tanta graça fazendo bolhinhas de sabão, como se fora uma menina lourinha e de olhinhos verdes ou azuis. Que achas?

    Tão lindo o poema que tu escreveste! Me senti criança, outra vez. Pois é, o mundo dos adultos não tem bolhinhas/bolinhas de sabão, não tem magia, nem fantasia. Que pena!

    É muito bom e interessante partilhar ideias, conversas, e por eu falar em bolhinhas de sabão, talvez tenha nascido em tua mente e coração essa temática. Mulher é muito importante na vida de um homem (não "ti" rias, porque é verdade)!

    Então, o nosso abração (já percebi o motivo das min has dores na cervical) e um mega dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, uma menina emprestaria maior poesia à pintura, mas o menino retratado, creio que era filho único do pintor. Quanto à legenda, certa vez você perguntou sobre uma pintura e te alertei que, passando o cursor sobre ela terias as informações. Isso é muito importante para pessoas invisuais, pois o programa leitor, lê justamente esses dados nos permitindo saber do que trata a imagem.

      Como comentei anteriormente, pensei em citar as bolhas de sabão na outra postagem, mas na hora de escrever, terminei esquecendo. Quando você as citou, relembrei e elas aqui estão num poema específico delas. De fato, uma grande pena. O adulto se perde sem a magia e a fantasia infantil.

      Para evitar dores na cervical. Um abracinho. Kkkk...

      Excluir
  2. Tenho certeza que sim, Antoninho, mas se o menino da pintura era o único de Monet, então, nem precisa explicação, pois está mais que explicado.

    Pois disseste, mas tens de me dar desconto, devido à minha provecta idade e também devido à minha ignorância nessas coisas de informática.

    Para quem não vê, é importantíssimo passar o cursor e aparecerem as indicações, mas, em Portugal, existe um provérbio que diz: "quem não sabe, é como quem não vê" e ele me assenta bem, em alguns aspetos.

    Eu queria ser criança, outra vez, mas sei que o tempo não volta atrás. Tenho que ser adulta, não há outra saída.

    A propósito da minha ignorância em informática, queria te perguntar uma coisinha: quando deixo comentários na maior parte dos blogs, quase em 99% aparece, aparece no final do mesmo, o símbolo do caixote do lixo, mas no teu e em mais meia dúzia, isso não acontece. Sabes a razão disso? Para te falar com sinceridade, não gosto mesmo nada de ver no final de meu comentário, o símbolo do caixote do lixo.
    O que posso fazer para eliminar ele? Já perguntei a duas blogueiras que parecem entender do assunto, mas uma nem respondeu e outra me disse que não sabia como fazer.

    Pronto, minha cervical agradece e retribue o abracinho leve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse "provérbio" eu não conhecia. Na verdade, esse recurso, chamado de "texto alternativo", foi criado originalmente, não para atender aos cegos, mas para mostrar um texto descritivo, quando por qualquer motivo, a ilustração não fosse exibida, além de indexar as imagens nos motores de busca. Mas, como diz um outro ditado popular: "Atiraram no que viram e acertaram no que não viram".

      A alma não tem idade e pode manter viva sua eterna criança.

      Quanto à lixeira, ela aparece apenas para o autor do comentário e para o administrador do blog quando logados na conta do Google. Serve para excluir um comentário indesejado, equivocado... Se você visitar o blog sem fazer login, verá que a opção não aparece.

      Diferente dos modelos padrão do blogger, em muitos templates personalizados (como o meu), por defeito, aparecem opções que não deveriam aparecer para os leitores, assim, temos que bloquear isso no código do blog. Creio que esse bloqueio, termine também afetando o ícone do "lixo".

      Um "abraçãozinho" e um bom fim de semana.

      Excluir
    2. Ainda bem que eu te ensino alguma coisa -risos.
      Ah, esse provérbio também não conhecia e olha que é bem significativo.

      António, o que é isso de fazer login, concretamente. Me explica, por favor, como se eu tivesse 4/5 anos, fosse analfabeta e muito burra.

      Não sabia que blog tinha código. Como podemos saber e ver qual ele é?

      Ah, ah, misturou aumentativo com diminutivo. Bom, assim o "negócio" deve ficar mediano.

      Bom final de semana com abracinhos.

      Excluir
    3. Todos somos aprendizes e professores.

      Fazer login é colocar seu nome de usuário ou email, sua senha e clicar para entrar em sua conta e poder comentar. Se você consegue comentar sem fazer isso, seus dados já estão gravados em seu computador e qualquer pessoa que tenha acesso a ele, pode acessar sua conta.

      O código é em linguagem de programação: html, js, php... precisa ter algum conhecimento para entender. Entre em qualquer blog usando o navegador Chrome e clique com o botão direito do mouse num espaço vazio da página, clique em "exibir código fonte da página" (ou algo parecido), aí você vai ver o código, mais parece um hieróglifo ou coisa de maluco. Rs rs rs...

      O abração não se refere a intensidade mas ao tamanho do abraço.

      Um abraçãozinho e um renovado e renovador fim de semana.

      Excluir
    4. Pois somos, mas eu, em certas matérias, ando no jardim escola - risos.

      Ah, é isso? Se não fizer login, só posso comentar blogs que tenham a opção anónimos e aí creio que o símbolo do caixote do lixo não aparece. Tenho k experimentar, explicando a razão do anonimato ao blogueiro.
      Para os k não tenham essa opção, tenho de fazer login.

      António, com o outro "negócio" nem me meto, pke eu sou mto básica nessas coisas.

      Ah, ao tamanho! Tens os braços grandes -risos? Então, é um abraço grande, amplo, leve e talvez um pouquinho demorado. É isso?
      A propósito disso: quando me apresentam um homem, que não conheço de lugar nenhum, e em Portugal, e de há alguns anos a essa parte, todo o mundo dá um beijinho no rosto ao apresentado e ele retribui, aliás, normalmente, são eles que nos beijam primeiro. Ora, como eu sou "esquisita" e só beijo quem eu quero, quando o "homi" vem se inclinado para beijar minha face, eu estendo a mão, assim como se fosse princesa e ele plebeu -risos. Caramba, não me apetece beijar o rosto do homem, porque tem um aspeto básico e sei lá eu se ele lavou a cara, naquele dia. Esse ano, tenho recusado, elegantemente, mesmo.

      Muito obrigada por teus esclarecimentos.

      Beijinho leve na tua face direita (tinha de ser a direita, porque eu sou uma mulher às direitas).

      Bom domingo, meu lindo (foi só pra rimar)!

      Excluir
    5. Tudo certo e, entre beijos e ou abraços, a vida segue nos ensinando do jardim da infância ao pós doutorado.

      Um abraçãozinho e boa semana.

      Excluir
  3. Olá, Apon! Creio que muito do nosso eu criança está ligado à simplicidade. ao invés de manter nossas "bolhas de sabão", as estouramos dentro da gente. Grande erro - ainda bem que podemos reverter isso a qualquer momento. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Simplicidade". Disse tudo. Como faz falta.

      Um abração e bom fim de semana.

      Excluir
  4. Antonio, estou aqui pensando como uma simples bolinha de sabão pode gerar assuntos diversos, em comentários entre duas pessoas que tanto aprecio... Tu e a Céu, detentores de uma excelente verbalização e um bom relacionamento interpessoal, o que torna a conversa leve, harmoniosa, trazendo um tom bem humorado ao assunto. Duas pessoas por quem tenho um grande respeito e uma sincera admiração. Se tenho um tempo maior também fico apreciando as “conversas” geradas em outras postagens.
    Quanto às bolhas de sabão, acredito que na infância todos viveram este momento mágico, sem sequer adivinhar que quando adultos elas ficariam “confinadas nas lembranças”, entre tantos outros sonhos que a vida se encarregou de descolorir...
    Lá na creche é um dos brinquedos praticados pela turminha. Quando vejo as minhas “crianças” a brincar, estourando bolhas de sabão e meus “velhinhos” tentando pegá-las, meu coração se enternece e a mente fica rendilhando imagens que intercalam futuro e passado... Crianças a formar sonhos, magia, ilusão, e idosos a sentir saudade das “bolhas de sonhos” que um dia lhes enfeitaram a vida...
    Fica aqui, meu querido, o registro do belo momento vivido, justo no meu período pós almoço. Agora o dever me chama.
    Que te cheguem horas de alegria no rastro de dias de doce sonhar... Porque os sonhos ainda são o suporte mágico da nossa (muitas vezes desencantada) vida.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um assunto puxa outro e a conversa flui naturalmente, sobretudo, quando inspirado por um tema aparentemente insignificante. Mas, essas tais bolhinhas de sabão, deixam gravado no imaginário adulto, toda uma carga simbólica, mágica, poética... Ícones de um tempo lúdico e verdadeiramente onírico.

      A vida é essa grande escola onde se intercalam doces lições e aprendizados amargos. E seu grande encantamento, é saber que tudo passa, como passam as noites e as tempestades, para o sol distribuir novas claridades e renovadores dias abrirem páginas de oportunidades novas. Somos todos alunos, cursando o intensivão da evolução. Em frente sempre!

      Obrigado por suas visitas e comentários sempre transbordantes de gentileza.

      Um abração e um bom fim de semana.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Coprights @ 2017, Blogger Template Designed By Templateism | Templatelib| Distributed By Blogger Templates20