A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



terça-feira, 25 de julho de 2017

Anonimato, internet e o anel de Giges





... do que seria capaz um homem sabedor de que seus atos não poderiam ser testemunhados, notados, rastreados, monitorados, passíveis de punição? É o que acontece com muitos usuários da internet, que usam suas telas e telinhas, como...


Antonio Pereira Apon.



Um ourives em sua oficina, pintura de Petrus Christus.


Já imaginou, comprar numa joalheria, encomendar a um ourives ou simplesmente, encontrar por aí, um anel mágico que lhe desse o poder da invisibilidade? Numa lenda contida em: “A República,” de Platão, aconteceu:


Giges, um pastor, apascentava seu rebanho, quando desabou uma gigantesca tempestade seguida de um terremoto. O solo rasgou-se numa enorme fenda. Admirado, desceu pela abertura no chão, onde entre muitas curiosidades, deparou-se com um cavalo de bronze, oco. Observando por algumas aberturas do insólito objeto, descobriu um corpo, algo maior que um homem normal, do qual, mais nada restava do que um anel de ouro na mão. Giges o Arrancou e se foi.


Mensalmente, os pastores se reuniam para prestar contas ao rei acerca dos rebanhos. Lá estava Giges com o seu anel, sentado entre os demais pastores. Casualmente voltou a pedra do anel para a parte interior da mão, tornando-se invisível para os presentes, que falavam dele como se estivesse ausente. Surpreso, voltou a pedra para fora e fez-se visível. Testou, observou, experimentou o poder do anel e aprendeu: pedra para dentro, invisível; pedra para fora, visível.


Tornando-se um dos delegados que acompanhavam o rei. Seduziu a rainha. Com a ajuda dela e valendo-se da invisibilidade, matou o soberano, tomando o poder.


Qual o lendário Giges, do que seria capaz um homem sabedor de que seus atos não poderiam ser testemunhados, notados, rastreados, monitorados, passíveis de punição? É o que acontece com muitos usuários da internet, que usam suas telas e telinhas, como aquele anel mágico, imaginando-se invisíveis, inalcançáveis; camuflados, escondidos sobre o anonimato.


Usam e abusam na grande rede, praticam crimes e contravenções diversas. São: pedófilos, racistas, xenófobos, estelionatários, plagiadores, maledicentes, delinquentes de ofício ou de ocasião, marginais oportunistas, desocupados diversos ou simples “espíritos de porco”.


Mas, ao contrário do que pensam tais criaturas nefastas, a cada dia mais essa pretensa invisibilidade dos que se acoitam nas sombras do anonimato, pode ser revertida e desmascarada. Rastros digitais ficam gravados na rede, ainda que apagados desse ou daquele aparelho; cookies, IP, número de registro do dispositivo e outras tantas informações estão a disposição da polícia, da justiça… Cuidado! Estão de olho em você!


Olho espionando.



E você, usuário de bem. Não facilite a vida dos delinquentes virtuais. Assista o vídeo: "Perigos na Internet - Fantástico". Bastante interessante e elucidativo.



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

26 comentários:

  1. Como são ingênuos, hein? Pensam na invisibilidade e, desconhecem nossas leis, ainda que retrógadas, na tecnologia informatizada da "telinha"... está bem atualizada e, amparada. Quem utiliza da mesma com falta de ética, sofrerá mais cedo ou mais tarde, as consequências.
    Ótimo texto, Antonio!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais e mais a legislação, inteligência policial e a própria tecnologia se aperfeiçoam no combate à criminalidade. Mas, o usuário honesto, não pode ser ingênuo nem descuidado. É preciso estar alerta, como mostra esse vídeo: "Globo News Ciência e Tecnologia - Crimes Virtuais".

      https://www.youtube.com/watch?v=R36d58gnLyY

      Um abraço.

      Excluir
  2. Querido amigo Antonio, sim, perigos em toda parte, não se pode se abrir e se mostrar sem nenhum critério, pois os simples vão e sofrem as consequências, os espertos "se cobrem" com as nossas leis que são de "brechas" infindas.
    Acredito que as carências são as que mais levam pessoas a serem iludidas! Que pena que é assim!
    amei sua postagem, bom para esclarecer, abrir os olhos!
    Abraços apertados meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A internet é um instrumento espetacular, mas, é preciso ter cuidado com a bandidagem que usa e abusa, no espaço virtual como no presencial.

      Um abraço.

      Excluir
  3. Menino, Tonico!

    Adoro Mitologia, como sabes, mas não conhecia a história de Giges.
    Deixa eu falar um segredinho pra ti: eu gostaria de ter um acessório assim pra seduzir e conquistar um sultão, lindo e rico, e fugir com ele (a gente iria de avião e não fugindo, né?) para um lugar paradisíaco no Dubai, por exemplo. Achas que é pedir muito (rsrsrs)?

    Estive escutando o vídeo e em Portugal até se fez um programa de televisão, aqui há tempos, em que as pessoas iam lá para escutar o vidente, que era um ator, a quem os amigos e familiares dessas pessoas tinham fornecidos dados importantes. No final, tudo era explicado às pessoas e ficava um clima de risada e de festa entre todos.

    Não acredito em videntes, mas sei que a Net tem muitos vigaristas atuando. Comigo, têm muito pouco sucesso, ou nenhum, porque não faço qualquer operação, seja de que cariz for, pela Internet. Quero receber cartinha na caixa de correio e não tenho débitos diretos. Tenho um blog e nada mais. Evidente que tenho uma identidade verdadeira, que a net conhece e que tu também conheces.

    Um post mega interessante, meu querido amigo! Parabéns!

    Abracinho e beijinho.

    Bom week-end!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que metade da humanidade gostaria de ter um anel desses. E a outra metade? Também! Eu descobri esse mito, pesquizando um outro: A alegoria da caverna, igualmente de Platão e tema do meu próximo post.

      Se com a suposta invisibilidade da internet, o povo já pinta e borda, imagine com uma invisibilidade real. Agora: sultão? Lindo? E rico? Sei não... Kkkkkkk...

      Como em tudo em que se refere ao ser humano, existe gente de bem e gente do mal. Com a mediunidade não é diferente. Temos médiuns sérios e outros que não valem nada. Mas, as pessoas parecem gostar de serem enganadas e se tornam presas fáceis desses embusteiros. E na internet então, é o paraíso da vigarice, com os desavisados fornecendo farto material para a pilantragem.

      Um abraço e bom fim de semana para ti também.

      Excluir
  4. Ah, como seria bom! Eu, de Cinderela, por exemplo, também não me desagradaria, esperando meu Príncipe e seu beijo. Bem, minha imaginação já está à velocidade da luz, portanto, é melhorar parar por aqui.
    Não sabes tu, mas sei eu e se tu fosses príncipe ou sultão, eu te diria (rsrsrsrs). Tua mulher, um dia desses, me desanca (rs). Sou inócua, completamente.

    Pois, mas eu não acredito em médiuns. Sou toda terrestre,. Sou virginiana.

    Bom fim de semana, Tonico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prefiro nem comentar...

      Você já até ganhou elogio logo aí em baixo, no comentário de minha amiga Ivone. Ela te chamou de "linda CÉU"...

      Um dia você vai parar de generalizar e acabar com esse preconceito mediúnico.

      http://m.aponarte.com.br/gifs/riso.gif

      Abraço.

      Excluir
    2. Pois, tá bom! Não comentes, não, pke tá à vista de todos (rsrsrs).
      É cada palavra k tu inventas! "Preconceito mediúnico". Só desse homi, mesmo, só dele!

      Há pessoas e situações, que generalizo, outras, particularizo, como é a minha presença assídua desde 2011, creio, em seu blog, Sr. Professor.

      Excluir
    3. Sabes que gosto de brincar com as palavras, inventar, jogar, dissecar... Pois é... Quantos anos... Ainda bem que não estou entre os generalizados...

      Excluir
    4. Seis anos, tenho certeza.
      Tu estás entre os particulares, à parte, como se diz em Portugal.

      Bisous, mon ami!

      Excluir
  5. Ah, a interação aqui está quente, rsrs, muito bom isso, bom humor faz parte, a imaginação também, pois nada tem limites, tudo é possível, até ser "Cinderela e ter um lindo Príncipe", rsrs!
    Abraços a beijos, rsrs, linda Céu e pra você também amigo Antonio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui tem prosa, poesia e diversão também. Rir faz bem pro corpo e pra alma.

      http://m.aponarte.com.br/gifs/riso.gif

      Um abraço.

      Excluir
    2. Sim, adoro isso, sou bem alegre, rir é tudo de bom, alegria, alegria! Amo ver essa descontração entre blogueiros, pois sendo virtual nem sempre se sabe como são na realidade, mas é muito bom ter amigos que nos dão essa linda descontração!

      Abraços e beijos, como diz a Céu,rsrs!

      Excluir
    3. Por falar em descontração, no meu novo post http://www.aponarte.com.br/2017/07/cidadao-saia-da-caverna.html tem um divertido vídeo com quadrinhos de Maurício de Souza. O tema é o mito da caverna, de Platão.

      Excluir
    4. Ah, sim, li o texto e os quadrinhos, deixei comentário lá!
      Amei! Abraços!

      Excluir
  6. Não conhecia a história de Giges e gostei muito de conhecer. Acho que desde que o mundo é mundo existem os espertalhões... e na internet todo cuidado é pouco com essa gente.

    Gostei muito do seu blog. Sua escrita é cativante.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bem e o mal estão onde está o ser humano, na internet não é diferente. Temos que aproveitar o bem e nos acautelar contra o mal. Um dia teremos pessoas melhores e mais conscientes.

      Obrigado por sua visita e tão gentil comentário.

      https://www.youtube.com/watch?v=NQJjStIO_OU

      Um abraço. Tenha uma boa semana.

      Excluir
  7. Grande António do Aponarte,
    Venho por parte de Céu,
    E ao descobrir sob um véu
    Diáfano a tua arte

    Sei que de ti faço parte
    Como parte de um troféu
    Dado por amigos. Réu
    Eu sou! Peço um aparte

    À Céu, a ver se eu consigo,
    Dizer querer ser, contigo
    E com ela, uma irmandade

    Por um atavismo antigo
    Bem português, meu amigo,
    De amor e fraternidade.

    Antônio, muita gente boa tenho conhecido por Céu e outros guias, e dos achados já perdi alguém. Perda que mais comoveu-me foi a de Leninha que nem cheguei a conhecer muito bem. Ela era uma criatura extraordinária que me marcou bastante. Céu foi um tipo de estrela que a guiou ao meu espaço. É com muito prazer que acato sugestão de Céu para curtir tua partilha neste espaço maravilhoso. Minha gratidão e fraterno abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmanados sim, pela cultura e arte, mas, não só. Pela contagiante amizade; espalhada, semeada, espraiada por alguém cognominada de CÉU. E a nossa saudosa Leninha, igualmente saudoso achado perdido nessas entrelinhas tortas da vida, escrita por nós e por Deus...

      Sê bem-vindo Laerte! Se achegue!

      https://www.youtube.com/watch?v=NQJjStIO_OU

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
    2. Ah, Sô Tonico, quanto adjetivo pra minha pessoa ou para minha forma de ser!
      Eu gosto de ser "contagiante" e "espraiada" (rsrsrs). Sempre fui, desse jeito, até nas vidas passadas eu era assim (risosssssssssssssssssssssssssss), ou seja, há um ano, dois, três, quatro, etc.

      Cognome, é isso mesmo. Céu de Luz ou Luz de Céu. Gostas?

      Lindinho, beijinho e gracias por tu amabilidad.

      Excluir
    3. Sobre a Luz de CÉU ou CÉU de Luz, deixo que Caetano responda...

      https://www.youtube.com/watch?v=mdnK48uUNrs

      Um abraço.

      Excluir
  8. Estive lendo a letra "Luz do Sol", porque não consegui entender tudo o que Caetano cantou, mas a achei um lugar comum, para te falar sinceramente, como sempre faço ou então, a não entendi.

    Não seria mais "aplicável" aqui uma canção dele que se chama, "Me larga, não enche" (RISOSSSSSSSSSSSSSS).

    Tua filha e eu adoramos cantar, ela, porque é jovem, e eu porque sou quase sénior (mas quem te disse k o sénior Fábio Júnior, não continua beijando bem? "Invejoso"- rs), mas na idade dela ou antes, eu queria ser cantora e bailarina, só que no final dos anos 80, não era atividade pra menina "decente" e pronto, minha "carreira" nunca se efetivou. Canto músicas e fado, também, em casa, para amigos e em festas e danço, sempre que posso, só que acho que estou tendo um problemão no pé direito semelhante ao que tive na mão do mesmo lado. E calçar sapato de dança de salão com 7 ou 9 cm de salto, já dói e como dói. Ok, eu também sei que a velhice está espreitando, mas na minha classe de dança, há uma senhora que tem 60 e tal anos e que tem pés de Cinderela. Injustiça, é o que é (rs). Já consultei reumatologista e ortopedista, k me deram infiltração de cortisona, mas não surtiu nenhum efeito. Em outubro recomeçam as aulas e eu estou mesmo vendo que nem bachata posso executar, que é um ritmo básico. Há uma bachata, de que gosto muito, mas não sei enviar links.

    Restinho de dia bem feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou desenhar... Rs rs rs... A música fala da luz do sol que vem do céu, e tragada pela folha, traduz-se num verde novinho, cheio de graça, vida, força; luz de um céu azul que desce até o chão inspirando tudo, espalhando azuis. A natureza inteira agradece em prece pela luz e pelo céu e sua inspiração. O homem sofrido, ferido, atido em seus senões, contempla a delicadeza da infinita beleza, a glória da vida sob efeito da luz do céu.

      Não se pode nem fazer uma delicadeza...

      Quem canta, seus males espanta, diz o povo. Invejoso eu??? só porque o cara é famoso, rico, bem sucedido, talentoso? ... Kkkkk... ...

      Esse negócio de dor aqui, dor ali é problema de PVC: Porcaria da Velhice Chegando. Kkkkk... Não escreva isso que você pensou aí. Rs rs rs...

      Um abraço.

      Excluir
  9. Thanks for the marvelous posting! I certainly enjoyed reading it, you will be a great author. I will make certain to bookmark your blog and will come back someday. I want to encourage you continue your great posts, have a nice weekend! google mail sign in

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thanks for the visit and kind comment.

      A hug. Check back often.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.