Querido defeito de estimação…



... reverenciam a si mesmas, combatendo os outros, e nos outros, enxergando espelhos, projeções do que não querem ver...


Antonio Pereira Apon.



Mulher em frente ao espelho, pintura de Pablo Picasso.


A Rainha Má do conto de Branca de Neve, consulta o “Demônio Familiar” do seu espelho mágico, para saber quem era a mulher mais bela. Quando a resposta do “Gênio Mal”, contraria suas expectativas, ela se toma de ódio e tenta exterminar sua “adversária”, o seu “problema”.


Todo ser humano, carrega seu lado obscuro que precisa ser domado, educado e por fim; dominado, devidamente vencido. É aquela sombra, remanescente de nossos atavismos, aquilo que sobrevive nos guetos do inconsciente intentando se insurgir, roubar as rédeas da consciência e pôr suas “manguinhas de fora”: O orgulho inconfesso, a vaidade apercebida, a arrogância insuspeita...


Um “gênio difícil”, “temperamento forte”… Pessoas que não toleram o contraditório, não aceitam ser contrariadas, não abrem mão dos seus pontos de vista, rechaçam tudo o que não orbite em torn o dos seus umbigos. Afrontam a realidade, confrontam a verdade em defesa dos seus defeitos de estimação. Egocêntricas e ególatras, reverenciam a si mesmas, combatendo os outros, e nos outros, enxergando espelhos, projeções do que não querem ver. A face do seu próprio fantasma insepulto.


Pessoas muitas vezes boas, prestativas, caridosas, competentes, capazes, altruístas… Mas, possuidoras e possuídas por um gênio destruidor, devastador de afetos, devorador de possibilidades. Infelizes, culpam aos outros, inculpam a vida; alienadas ante a existência caricata ditada pelo seus infelizes e infelicitantes reflexos.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Oi Antonio,
    tudo bem com você?
    Pois é meu amigo, quem não tem um defeitinho para chamar de seu??? Como bem disse, precisamos identifica-lo e só assim, doma-lo!
    Tenha um ótimo fim de semana!
    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São duas as alternativas: Vencermos nossos defeitos ou sermos derrotados por eles.

      Tudo em paz.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  2. Sempre que nos colocamos como centro das atenções demonstramos toda a nossa fragilidade em doação, aceitação e amor gratuito. Celebramos até nossos defeitos e os transformamos em plena realidade. Não enxergamos defeitos, apenas qualidades. Conclusão: - assim procedendo, somos pobres de espírito.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falsas certezas, são piores e extremamente mais perniciosas do que qualquer engano ou incerteza.

      Um abraço e boa semana.

      Excluir
  3. Oi, Apon, como vai? Muito interessante seu texto, por coincidência trabalhei Branca de Neve essa semana como as crianças.
    Sabe, embora seja dos meus contos preferidos da infância, eu não havia pensado sob essa perspectiva, do gênio ruim que coabita nosso ser - o ego fraco e mal domado que teme perder o domônio, pois um ego forte não se sente ameaçado pelo eclosão dos bons sentimentos. Todos o temos em momentos da vida, e vamos caminhando buscando expansão e aprendizado. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dominar o mal e otimizar o bem que coabitam nosso ser. Só assim construimos nosso verdadeiro eu.

      Tudo em paz.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  4. Olá, António
    Excelente texto!
    Há, de facto, pessoas que se julgam detentoras da verdade absoluta, não aceitam opiniões diferentes das suas, muito menos qualquer conselho.
    Mas eu penso que, entre elas, há muitas que sofrem dum grande complexo de inferioridade, e toda a arrogância com que se apresentam é apenas a forma de reacção, pela negativa.
    Defeitos... todos nós temos, mas é preciso termos a humildade necessária para os reconhecer e tentar corrigi-los.

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Humildade. Eis a grande virtude capaz de curar diversas patologias do ego e os efeitos adversos dos seus defeitos de estimação.

      Um abraço.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Acróstico junino

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Qual o limite da amizade?

Você não precisa de cerveja para ser feliz