Como aprendeu Vô João - Apon na arte da vida

Bom estar com você aqui no APON NA ARTE DA VIDA!



Leitura sorteada - Nossos vídeos

Postagem em destaque

Uma boa notícia, é sempre uma notícia boa

Nesses tempos em que sobrevivemos sob um temporal de notícias ruins, onde tudo parece perdido e até a esperança definhar, ameaçada por me...

Como aprendeu Vô João

Publicado em sexta-feira, 20 de março de 2020



... Letrado pelo legítimo interesse no saber e a firme boa vontade de aprender, ele se tornou grande apreciador da literatura de cordel e o nato saber do povo. Colecionador de ditados, dizia...




Professora dando aula. #PraCegoVer

Nesses tempos modernosos em que se tenta reinventar a roda na educação, com metodologias extravagantes e didáticas pretensamente inovadoras, que tentam exorcizar a escola, dita tradicional. Transformando professores em quase animadores de auditório, fazendo todo tipo de peripécia e estrepolia, para tentar prender a atenção e, minimamente despertar o interesse dos alunos. Isso sem esquecer as lousas interativas, tablets e outras modernidades conectadas à internet. Algo do tipo: “Fora do novo, não há educação”. Ainda que eu não tenha nada contra o moderno e goste muito do que pode proporcionar a tecnologia. Em se tratando de comportamento, do lidar com o ensino e o aprendizado, me lembrei dos tempos idos do autodidata, Vô João Alves.

Descendente do saudoso poeta Castro Alves, Vô João, órfão aos cinco anos, foi criado por uma tia e sua irmã mais velha. Sem dinheiro para pagar uma professora, que naquela época, dava aulas em domicílio, não tinha escola no Jordão. Joãozinho, inteligente e observador, prestava toda a atenção do mundo, nas aulas dadas aos filhos dos “coronéis”. Chegando em casa, o menino molhava o chão do quintal e, com um graveto, rabiscava na terra as letras das lições gravadas na memória; qual Jesus no solo da Palestina e São José de Anchieta na areia da praia.

Letrado pelo legítimo interesse no saber e a firme boa vontade de aprender, ele se tornou grande apreciador da literatura de cordel e o nato saber do povo. Colecionador de ditados, dizia: “Um pão e um pedaço, é sempre um pão e meio”.

Enfim. Quem quer mesmo aprender, aprende. Como aprendeu Vô joão, lá pras bandas do Jordão.

Dê uma espiadinha em nossas postagens mais recentes:



8 comentários:

  1. Bom dia:- A vida é composta de mudança e o ensino não pode nem deve ser excepção. Temos que aprender a viver os tempos modernos. Mas que, por vezes, gera saudades os tempos do giz e do quadro é uma verdade.
    .
    Uma Sexta Feira feliz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a modernidade é muito bem vinda, enriquece a educação. Mas, quem quer aprender de verdade, supera as a diversidades e a escassez de recursos.

      Minha participação dessa semana no Poetizando:
      https://www.aponarte.com.br/2020/03/caminhante-pensador.html

      Um abraço. Tudo de bom.
      A ARTE DA VIDA. APON HP 💗 Textos para sentir e pensar.

      Excluir
  2. Estamos em mudanças drásticas. Há que reinventar! Adorei :)

    -
    Giramos juntos, numa bolha. Mundo imperfeito
    -
    Beijos e uma excelente tarde em quarentena!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprender sempre, como der, como possível for.

      Minha participação dessa semana no Poetizando:
      https://www.aponarte.com.br/2020/03/caminhante-pensador.html

      Um abraço. Tudo de bom.
      A ARTE DA VIDA. APON HP 💗 Textos para sentir e pensar.

      Excluir
  3. Boa tarde de paz e saúde, amigo Antonio!
    Que beleza! Assim se dá...
    Agora, quem não quer, jamais aprende coisa alguma.
    Gostei da sua abordagem bem esclarecedora, vivemos em 2020, mas a literatura de cordel é bum ótimo exemplo para os fariseus que acham que é no próprio potencial que inspira...
    Também gostei muito da referência. Ao nosso José de Anchieta daqui do ES escrevendo mas areias onde tantas vezes andei e ando...
    O 💙 não necessita de apetrechos sofisticados para se revelar.
    Tenha dias abençoados e na proteção do vírus malvado!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Metodologias, didáticas, tecnologias são acessórios, o essêncial está no íntimo de cada um. Quem quer, supera, avança, vence, supera e supera-se.

      Minha participação dessa semana no Poetizando:
      https://www.aponarte.com.br/2020/03/fique-em-casa-essencial-detalhe.html

      Um abraço. Tudo de bom.
      A ARTE DA VIDA. APON HP 💗 Textos para sentir e pensar.

      Excluir
  4. Muito interessante a sua postagem, caro colega,
    assm como o seu comentário transato.
    Tudo pelo melhor.
    Abraço amigo.
    ~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Educar de verdade, é descomplicar, simplificar o aprender. Quem quer, supera o adverso, faz acontecer.

      Minha participação dessa semana no Poetizando:
      https://www.aponarte.com.br/2020/03/fique-em-casa-essencial-detalhe.html

      Um abraço. Tudo de bom.
      A ARTE DA VIDA. APON HP 💗 Textos para sentir e pensar.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

@INSTAGRAM