A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

 

                    Querer você              

     


... nas tuas curvas, o caminhar do meu descaminho e no aninho dos teus segredos, o saciar minha insaciável sede de você. Sua voz, uma poesia, no nós, antologia; nossos corpos conflagrados de furor, nossas almas consagradas pelo amor. Quero...


Antonio Pereira Apon.


Mulher em frente ao espelho, pintura de Pablo Picasso.


Esposa, amiga, amante,

ficante, confidente, namorada…

Todas, numa só mulher;

que seja minha alvorada, meu crepúsculo,

enluarada noite,

frescor de madrugada,

manhã chuvosa,

minha tarde ensolarada.

No teu corpo o meu leito,

nos teus lábios nossos pleitos;

    Clique para ler o post completo       
 
 

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

 

                    Vasto jardim, o coração              

     


... Despir o ontem, a roupa velha do passado; vestir o hoje com o esperançar do amanhã, trajar a alma de alegria, colher a poesia que surge em forma de oração. Vejo flores em cada ser; em mim, em você, nas mãos que se dão fraternas, nos braços que abraçam solidários, nos cachos de amor das flores do bem. Jesus no vasto mundo de cada coração...


Antonio Pereira Apon.


Uma jovem num campo florido, sente o aroma das flores.


No blog Filosofando na vida, a professora Lourdes nos convida a escrever uma frase, verso, poesia, pensamento, mensagem… Sobre uma imagem postada a cada fim de semana. Acima, a imagem sugerida. Abaixo, a minha 61ª participação nessa “brincadeira” intitulada: Poetizando e encantando.


Selo de participação no Poetizando e encantando.

Nessa edição, a imagem que escolhi, casa bem com esse texto que escrevi semana passada na quarta-feira, 7 de novembro de 2018.


Mundo meu, um seu planeta,
dele e dela,
nosso jardim de toda flor.
Inspirador o Mestre jardineiro,
lidador, o tarefeiro;
vai podando com carinho,
retirando o que é daninho,
vivificando o florescer.
Cuida-nos com espírito de verdade
vencedor de todo o mal;
convida-nos, vencer a impiedade!

    Clique para ler o post completo       
 
 

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

 

                    Acróstico da consciência negra (Com mp3)              

     


A inteligência divina criou uma só raça humana, plural e diversificada. A ignorância dos desumanos, engendrou a indignidade do preconceito e a psicopatia do racismo.


Acróstico da consciência negra (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Zumbi dos Palmares.


Consciência da humana igualdade

Ontem apartada pela cor

Nefasta desigualdade

Sofrida ingerência do horror

Catástrofe de preconceito

Inclusão agora infinda

Ecoa no tempo o preito

Negritude sempre linda

Cultura multicolor

Irmanados na cidadania

Agentes todos do amor


Negreiros idos e findos

Extinga-se a descriminação

Garanta-se real liberdade

Racismo não cabe mais não

Axé!!!!!!!



Você também vai gostar de ler:

Consciência negra. Humanidade de toda cor

Acróstico da diversidade


Escravo no pelourinho.


20 de novembro. Dia da consciência negra.

(Postado aqui em 10 DE NOVEMBRO DE 2011).




    Clique para ler o post completo       
 
 

domingo, 11 de novembro de 2018

 

                    Não se desagrade para agradar              

     


… Mas, não falta quem, em sua desinteligência emocional, intente subverter o cosmos, tentando acondicionar o universo no círculo estreito do impróprio umbigo. Tais criaturas e seus desargumentos, sempre enxergarão no contraditório uma ameaçadora afronta. E nas ponderações mais racionais, vislumbrarão atentados contra seus conceitos cristalizados e condicionamentos de estimação. Não dá para agradar! ...


Antonio Pereira Apon.


Homem vitruviano, Leonardo Davinci.


Muitos caem na cilada de tentar agradar todo mundo e terminam desagradando geral, começando pelo próprio desagrado. Por mais que você tente. Por ignorância, má vontade, maldade ou qualquer outro pretexto; alguém sempre te arranjará: um se, um contudo, porém, um todavia… Há quem tente se fortalecer, se elevar, se qualificar, afirmar; enfraquecendo, rebaixando, desqualificando, desafirmando o outro. Seja você! Só você o pode ser.


    Clique para ler o post completo       
 
 

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

 

                    Mundo, jardim em flor              

     


... Suas flores tão queridas! As Violetas nas janelas, o Zéfiro, o Amor-perfeito… Dália, Érica, Emília, Lúcia, Luísa, Liatris a “estrela-ardente”; Nardo, o Anis, Aro, o Cardo… Flor como gente, pedindo cuidado, da vida um recado; fazer florir o amor! “Despir o homem velho, vestir o homem novo”, amar e instruir, podar, adubar,zelar; como a flor do campo, florir! ...


Antonio Pereira Apon.


Paisagem noturna, com uma lua cheia, um jovem sentado, cabeça baixa, tristonho.


No blog Filosofando na vida, a professora Lourdes nos convida a escrever uma frase, verso, poesia, pensamento, mensagem… Sobre uma imagem postada a cada fim de semana. Acima, a imagem sugerida. Abaixo, a minha 60ª participação nessa “brincadeira” intitulada: Poetizando e encantando.


Selo de participação no Poetizando e encantando.

Passa a noite para o dia luzir,
passa a tristeza,
passa o inverno para a primavera reflorir.
É Jesus o jardineiro,
desse jardim terreno,
imenso mundo de nosso Deus.
Para cuidar de Acácias, e Assucenas,
das Petúnias das Verbenas,
de Jacintos, Alissons, Narcisos, Lírios;
do Sorriso, que além de expressão é flor.
Não descuida das Bromélias, Calêndulas, Camélias,
do Bogari, do Alecrim,
do Agerato nem do Amaranto,
da Orquídea,
de Íris, Amarílis, Jasmim, Junquilho, Lisianto;
do giro de cada Girassol.

    Clique para ler o post completo       
 
 

domingo, 4 de novembro de 2018

 

                    Mata quem desmata              

     


... fake news do progresso, qual ateroma, assoreando o leito, obstruindo, infartando o peito. Quem desmata: Mata bicho, mata gente, e o agro, se desmata, ecologicamente se mata; dissecando as ressequidas veias, interrompendo o fluxo, sessando o pulso, perenizando a sede, castrando o cio...


Antonio Pereira Apon.


Pássaro azul.


Quem desmata,

mata mais que a mata:

“Morrentes” nascentes,

finados, isquêmicos rios;

    Clique para ler o post completo       
 
 

sábado, 3 de novembro de 2018

 

                    Duelo das palavras              

     


... a língua engatilhada, com o dedo em riste; desalmados e tão desamados, armados, miram. Franco-atiradores, terroristas, guerrilheiros, snipers, levianos, aventureiros, duelistas! Do outro lado o revide, tiros de maior calibre e menor calão, palavrão...


Antonio Pereira Apon.


O-homem-ferido, pintura de Gustave Courbet.


Saca do coldre a palavra,

dispara, atira;

fere, machuca, maltrata...

A palavra alveja,

vara o alvo com dor e sem dó.

Cada qual com seu porte de palavra,

    Clique para ler o post completo       
 
 

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

 

                    Vida, sonho. Garrafa ao mar              

     


... Vacante miniatura, errante manufatura, indigente réplica, tempo sem tréplica. Mensagem, recado; incógnita, pedido perdido, um achado...


Antonio Pereira Apon.


Uma garrafa perdida na areia da praia com uma paisagem marítima  com um navio dentro dela.


Mar de um mar,

barco a abarcar mistérios

garrafa, nau lançada ao léu,

sobre a areia, sob o céu.

    Clique para ler o post completo       
 
 

terça-feira, 30 de outubro de 2018

 

                    Cor de rosa, rosa de cór              

     


... dos amantes e seu amar, da emoção mal guardada, do dizer sem precisar falar. Rosa é arte; é poesia disfarçada de flor, pintura com cheiro, escultura, designe do Criador. Rosa simbólica, icônica, arquetípica; mística, abstrata e concreta, sintética...


Antonio Pereira Apon.


Rosa amarela.


Rosa é flor, diversa em cor;

vermelha, branca, amarela…

No nome que lhe faz flor,

singela cor.

Rosa é lição;

tem pétalas delicadas e perfumosas,

também espinhos que machucam a mão.

Suavidade e agudeza,

sutileza, aguilhão.

    Clique para ler o post completo       
 
 

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

 

                    Jesus, flores e pessoas              

     


... tratar pessoas como tratam as flores, para que possam florescerem: A paz, o amor, a humildade, a verdade, a fé genuína...


Antonio Pereira Apon.


Jardim.


Florentino cuidava daquele magnífico jardim, quando alguém observou:


- Belo jardim! Belas flores você tem aqui.


- É... Agora está mesmo. Mas deu foi trabalho, quase que eu desistia por causa das pragas...


- Flores são como pessoas. São frágeis, suscetíveis; exigem constante atenção e cuidado.


- Pulgões, cochonilhas, ácaros, lagartas, nematoides, aracnídeos, moluscos... Aqui deu de tudo, parecia até as sete pragas do Egito!


- Orgulho, vaidade, egoísmo, ódio, inveja, fanatismo, ambição desmedida... Também são muitas as pragas que infestam o jardim que meu Pai me confiou.

    Clique para ler o post completo       
 
 

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...