A águia e a águia - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Pensamento do dia:





Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

sábado, 10 de março de 2012

 

                    A águia e a águia              

     

 

Uma majestosa águia em seu exuberante voo diário, notou que outra águia voejava acanhada entre árvores, saltitando desajeitada entre pedras.

 

- Tenho te observado. Você não voa além das árvores, fica pulando daqui ali, andando no chão... Tens algum problema?

 

- Não, não tenho nenhum problema. Apenas não gosto de voar.

 

- Mais as águias foram feitas para os grandes voos! Faz parte da nossa natureza!

 

- Na verdade, depois de seguidas quedas, eu desisti de voar nas grandes alturas.

 

- Mas, quem nunca caiu? Cair faz parte do aprendizado...

 

- Eu preferi não me arriscar mais...

 

- Você corre mais riscos vivendo assim. Aqui em baixo você está mais vulnerável ao ataque de predadores. Aqui você é caça, lá em cima, é caçadora!

 

- Estou bem assim!

 

- Você é uma águia, você pode mais! Não se imponha limites imaginários, inexistentes! Você não é um passarinho, uma borboleta, nem um grilo... Você é uma águia!!!

 

- Essa conversa já está me aborrecendo! Deixe-me em paz! Estou bem assim como estou, não preciso de mais nada!

 

- Não seja tão covarde, existe um universo além desse seu mundinho. Tanta coisa a conhecer, tanto a aprender... E você aí encarcerada em seu medo, escrava de si mesma. Quantos dariam tudo para ter as suas possibilidades!

 

- Vaza! Me erra!, Xô carrapato!

 

- Se é assim que você prefere...

 

No dia seguinte, enquanto saltitava distraída entre os seixos do rio, a águia medrosa foi capturada. Num preciso voo rasante, a outra águia a agarrou e subiu, subiu, subiu até não poder mais, e lá do alto, largou a sua "presa" que, no princípio, despencou descontrolada, rodava em parafuso, até que resolveu bater as asas, se equilibrou, planou e voou, voou como só voara antes em seus sonhos reprimidos, voou com todas as forças por tanto tempo manietadas, voou como quem descobriu naquele instante, que era gestora de sua vida, dos seus limites.

 

Como aquela águia, quantos de nós usam as dificuldades para desculpar a acomodação, o não desafiar os seus limites, não enfrentar as adversidades... Cultivando o medo de vencer, nada mais colhem senão frustrações e derrotas.

 

O problema não está nas quedas. A grande problemática é quando deixamos morrer a vontade de levantar e nos aclimatamos ao ambiente rasteiro da mediocridade.

 

Pense nisso! Escolha "o tipo de águia que você deseja ser".

 

 

(Postado aqui em 03 de setembro de 2008).

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon) (Além do nome do autor, cite o link para o site http://www.aponarte.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Leia mais no Apon HP: Mensagens, poesias, artigos, crônicas, humor...

   
 
 

7 comentários:

  1. Muito legal a história! Acho que já arrisqui grandes voos, hoje nem tanto, mas continuo voando... rsrs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Olá estimado António,

    Não sei se poderemos considerar seu texto uma fábula ou não, mas, em minha opinião, sim.
    Muitas vezes, você, se serve de animais, para serem personagens de seus textos.
    Há pessoas, que se acomodam, e depois, já não conseguem sair daquela rotina, habituação.
    Mas, quase sempre há uma águia, "uma mão", que ajuda, que transforma.

    Bom fim de semana.
    Abraço de luz.

    ResponderExcluir
  3. António,

    Que tipo de "águia" eu sou?
    Boa pergunta, mas a minha resposta não será tão linear e directa, assim.
    Acho que, sua uma águia média, por vezes um pouco temerosa, mas com as "patas" bem assentes.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Sou uma águia de altos voos... desde minha infância... sempre castraram minhas asas, mas quando pude "bicar minha vida"... ninguém me segurou ou me segura... só Deus mesmo.
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  5. Que linda mensagem
    Ainda bem que retornou o seu vôo....
    Caiu mas se levantou ...existem pessoas que mesmo estendendo a mão não querem ajuda....
    Estou visitando os seguidores e que bom que cheguei até aqui ainda não estava seguindo este seu blog....agora sim....
    Também vim convidar você para visitar o blog da kika e deixar seu votinho para meu amiguinho Tigre que esta participando do concurso Esconde Esconde .
    É só seguir esta REGRINHA:
    1º-Ser seguidor do blog da kika
    2º-Deixar no comentário que vota no Tigre nº47
    e pronto.
    obs:o votinho só será válido sendo seguidora e deixar seu votinho no comentário com o número e nome do Tigre.
    Este é o link do blog da Kika :
    http://kikaeassuasideias.blogspot.com/
    Muito grata eu e o Tigrinho ficaremos muito felizes com a sua marquinha...
    Beijos de luz!

    10 de Março de 2012 06:13

    ResponderExcluir
  6. Oi Antonio..
    Lindo texto e hoje trago o final do post" Um Ano Depois" para reflexão...
    "E quando sobrar um tempinho, páre para refletir sobre esses 365 dias. Agradeça a vida! Aliás, viva por todos aqueles que não tiveram a mesma sorte! E de vez em quando, olhe para o mar..."

    Ótimo Domingo!
    Beijos!
    San...

    ResponderExcluir
  7. Ri, Não deixa de ser mais comoda a mediocridade, rs

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...