O diferente igual de cada um - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

 

                    O diferente igual de cada um              

     

... Antes de reclamar, opinar, julgar, criticar, firmar “certezas”, tomar partido... É bom observar melhor, pensar...


Antonio Pereira Apon.


Ônibus.


Percepção, ponto de vista, olhar, expectativa, interpretação, capacidade, momento... Uma mesma coisa pode ser vista ou entendida de forma diversa por diferentes pessoas. Como naquele caso em que um copo preenchido pela metade, foi apresentado a duas pessoas. Uma descreveu o copo como “meio cheio” o outro o definiu como “meio vazio”. Algum deles estava errado? Há ainda o episódio do palestrante que fazendo um pontinho na lousa, perguntou à assistência o que via. Quase ninguém foi capaz de enxergar nada além do minúsculo ponto...


Outro dia, um ônibus mais que lotado parou no ponto. Um casal de idosos aguardava para embarcar, mas não parava de descer gente. Aborrecida, a senhora resmungou:


- “Poxa! Esse povo não para de sair. A gente tem que ficar aqui esperando! ...”


O senhor, calmamente ponderou:

- “Assim é que é bom. O ônibus fica menos apertado e até pode ter lugar pra gente viajar sentado”.


Pois é. Antes de reclamar, opinar, julgar, criticar, firmar “certezas”, tomar partido... É bom observar melhor, pensar melhor, sentir melhor...


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

21 comentários:

  1. Oi amigo,

    as lições estão por aí... simples e gigantescas.
    Nesta época em que tudo se resolve reclamando, protestando, quebrando; surge alguém mais sábio que nós. Belas palavras.

    grande abraço

    Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As lições, os bons exemplos nos convidam ao nosso melhor. Mas, muitos preferem ruminar lamurias e ignorância.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  2. Amigo Antonio, poeta sábio, bem verdade, quantas vezes ficamos encabulados e até envergonhados pelo julgamento precipitado, todos nós já fizemos isso, dizemos sem pensar e não é nada daquilo que se "achou", faz muito tempo que aprendi isso, mesmo porque tenho um dom, meus "amigos espirituais" falam comigo, ouço "vozes", me alertam, aprendi já faz muito tempo exatamente por isso!
    Nossos dons não são só méritos nossos, são de todos os irmãos que estão por perto, tanto os espirituais quanto os aqui reencarnados contemporaneamente!
    Aqui aprendo contigo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendemos uns com os outros. Na Escola da vida, o verdadeiro professor é um eterno aprendiz. Quem vive "se achando", termina se perdendo.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  3. Talvez, Antonio, a maturidade nos faz olhar e enxergar as probabilidades antes de reclamarmos ou resmungarmos - próprio da idade! No dia a dia muito nos é mostrado, mas infelizmente a sensibilidade humana está desgastada. A paciência é um dom fantástico quando a exercemos! Excelente a sua reflexão de vida!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos aprender a ver além das aparências, enxergar com o olhar calmo das almas maduras.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  4. A cultura e o conhecimento são os melhores pontos em comum entre as pessoas e suas diferenças. Que todos nós busquemos esses pontos convergentes para tornarmos o mundo melhor. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A bagagem interior de cada um faz toda a diferença. Quem acumula "tralhas" existenciais, aborta o aprendizado, não percebe, não entende... Reclama, lamenta-se...

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  5. Olá, António!

    Só o titulo da sua publicação, já é uma postagem, em minha opinião.
    "Cada cabeça, sua sentença", ou seja, sua opinião. De facto, qualquer "coisa" é sempre vista de forma desigual, por duas pessoas diferentes.
    Os seus textos são muito interessantes e nos fazem refletir, que é isso que nossas mentes necessitam.

    Sempre observei primeiro, de um lado, depois do outro, e então, só depois, emito minha opinião, que até pode estar errado e ser bem diferente da de outro/a.

    Boa semana.

    Um abração.

    PS: não há novidades, em meus blogues. Se me for possível, só antes do natal, mas pouco antes, mesmo, publicarei, algo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos exercitar uma percepção plural e inteligente, que mergulhe para além do superficial e aparente. O "óbvio" pode esconder miragens.

      Estou na espera por mais uma bela postagem. Uma poesia especial de natal.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
    2. Ó meu querido amigo, António!

      Como é que adivinhou? É um "bruxinho" bom? Eu sei que é.
      O poema fala de natal, mas "eu" sou a mesa da consoada. Dá para entender? Sou tão "louca"! "Ele, come, come" que nem desalmado. Há "hoiiiiiiiiiiiii" tão glutão!
      Já o comecei a escrever, mas acho que vai ficar bem extenso e só entro de férias dia 22, portanto lá para 23, final do dia, talvez, poste.

      Abraços.

      PS: deixei no seu comentário, lá no "Afetos" uma reposta. Você já a leu?

      Excluir
    3. Como diria Sherlock Holmes: "Elementar minha cara". Quanto mais próxima do natal, maior a possibilidade de ser essa a temática. Entendi tudo. Mas, minha preocupação é se Papai Noel chegar na hora H. O Bom Velhinho, pode ter um "infausto do leocádio", como diria Ariano Suassuna. Rs rs rs...

      Excluir
    4. Na hora "H" eu até me finjo de "morta", esperando que "ele" vá para a chaminé esperar Papai Noel, mas... e mais não digo.

      Abraço.

      Excluir
  6. Oi, Apon! É verdade... sabe que ter um blog me ajudou muito nesse sentido, de perceber que há pontos de vista diferentes sobre o mesmo assunto. E a escolha sobre qual verdade queremos enxergar só depende de nossa vontade.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só os tolos acreditam ter o monopólio da verdade. Vivem tropeçando nas aparências e perdendo-se de tanto "se acharem".

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  7. Grande lição de vida! Vim desejar um Feliz Natal a vc e sua familia! bjs,

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, António!

    Tudo bem?

    Vinha ler sua resposta, mas ainda não está cá.
    Esperarei.

    Um lindo e abençoado dia.

    Aquele abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo em paz. Estava trabalhando na mensagem que postei hoje e terminei atrasando as respostas. Falha corrigida.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  9. Sobrevivo em meio a dor da perda do filho amado.
    Estou me dando o direito de viver o luto como preciso.
    Sabiamente, dizia minha mãe, que o luto leva um ano, o
    ano das "primeiras vezes", primeiro aniversário sem ele,
    primeiro Natal sem ele, primeira virada de ano, primeira
    praia... A dor é intensa. Intensa é a saudade...
    Perdão pela ausência. Volto aos poucos. Ainda não sei fazer
    poesia que não fale na saudade. Mas elas virão. Eu tenho certeza.
    E aqui estarei compartilhando contigo.
    Muito obrigada pelo teu carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo é o grande artífice da vida e grande senhor das transformações. Tudo passa e a seu tempo, mesmo as dores mais atrozes, passam e precisam passar. Mesmo porque, a morte não é um adeus, apenas, até breve; não é o fim, simplesmente um novo começo. Seu filho despiu o corpo físico para vestir seu infinito, assumir a real vida na dimensão espiritual, de onde viemos e onde tornaremos a nos encontrar. Fé em Deus e na vida.

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...