Um outro fim. Um novo começo - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

Você já conhece nosso App? Clique aqui para saber mais. Ou na animação a seguir, para baixar e instalar em seu Android..


Tudo cabe no seu App. Bom dia! Clique para baixar e instalar.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

 

                    Um outro fim. Um novo começo              

     

... Não adianta chorar, lamentar os dias idos. Temos que celebrar e cerebrar o tempo que chega, presente de um novo ano, a dádiva desses novos dias. O que faremos deles? Isso é o que verdadeiramente conta...


Antonio Pereira Apon.


Mãos com o globo terrestre.


Velho e novo, fim e começo, passado e futuro confluem nessa época, convidando-nos, a resgatar a esperança esquecida sob o pó do cotidiano; acordar os sonhos perdidos debaixo das tantas notícias desses tão apressados e mal apreçados trezentos e sessenta e poucos dias, que escorreram fluidos e ligeiros.


Bom tempo para trocar a velha folhinha, o amarrotado calendário, mas sobretudo; momento oportuno para mudar atitudes, renovar posturas, despir a mesmice, o desânimo, as antiquadas e incertas certezas, as peçonhentas negatividades... Propício instante para equacionar o possível e o impossível, as probabilidades...


Não adianta chorar, lamentar os dias idos. Temos que celebrar e cerebrar o tempo que chega, presente de um novo ano, a dádiva desses novos dias. O que faremos deles? Isso é o que verdadeiramente conta! Somos os arquitetos, artífices do nosso destino. O livre arbítrio é a caneta com a qual traçamos nosso desiderato.


Não adianta terceirizar culpas, aguardar milagres, engendrar sortilégios, improvisar soluções mágicas. A vida é o que fazemos ser (ou não)! Pedras, encontramo-las todos em nosso caminhar: Uns, distraídos tropeçam, outros as arremessam com brutalidade, há quem com elas empreenda, brinque, poetize; as mesmas pedras podem tornarem-se assento para o descanso, arma extremamente letal ou formosa escultura. A diferença está nas mãos, no coração, na alma que dá uso às pedras do caminho como à joia de mais um ano. Tudo depende de mim, de você, dele, dela... Depende de nós! Fim, começo. Recomeço de ciclo, reciclo do existir.


Clique na imagem abaixo para ler outro post de fim de ano, sorteado pelo sistema:


Clique aqui.


Ou clique num dos links abaixo para ler outro post de fim de ano, já escolhido aleatóriamente pelo sistema:




   
 
 

5 comentários:

  1. Antônio!
    Ler seus posts foi um grande presente de rico aprendizado de vida! Que continuemos nessa troca durante o Novo Ano que se anuncia! Muita paz, saúde e alegrias para você e família!
    Abraços natalinos,
    Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Idem! Que sigamos nesse círculo virtuoso, nesse recíproco aprendizado literário. Tudo de bom, minha amiga!

      Saudações natalinas.

      Excluir
  2. Olá Antonio

    Que esta nova chance, este novo começo, motive-nos, recrie e faça renascer em nós todos os sentimentos que nos levam as realizações, aflorando a esperança e a determinação necessárias para construir dia a dia os próximos 365 dias.

    Muitas felicidades e bênçãos neste Natal e novo ano, para você amigo querido e todos os seus. Que esta sua alma sábia e valorosa continue a espalhar poesia e bons sentimentos.

    Abraço imenso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um mundo melhor, uma humanidade mais feliz é uma construção coletiva à qual somos convidados ao renovar de cada ano. Multiplicadas retribuições aos seus votos. Tudo de bom! Tudo de bem!

      Um abração transbordante de positividades.

      Excluir
  3. Oi Antonio!
    "O tempo passa e com ele caminhamos todos juntos..."
    Desejo um feliz Natal para você e sua família e que o ano novo seja de muitas felicidades!
    Abraços!

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...