Ambição. A queda de Ícaro - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Clique na animação abaixo, para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.


Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

domingo, 23 de outubro de 2016

 

                    Ambição. A queda de Ícaro              

     

... o ponto de equilíbrio para nosso voo existencial. Nem o voo raso da mediocridade, que carrega o peso da insatisfação, inveja e tantas distonias comportamentais. Nem a embriaguez das utopias e suas sedutoras miragens. O limite do nosso voar está no conhecimento de nossas capacidades e possibilidades...


Antonio Pereira Apon.
O voo de ícaro.

Segundo a mitologia: Dédalo era pai de Ícaro e foi banido por assassinar o sobrinho Talo, abrigando-se na ilha de Creta, no reinado de Minos. Com o nascimento do Minotauro, filho da rainha Pasífaa e um touro divino, ele e o filho Ícaro ergueram um labirinto para aprisionar aquele monstro metade homem, metade touro. Tendo sido o Minotauro morto por Teseu, pai e filho foram presos no labirinto. Quando Dédalo resolveu construir asas feitas de cera do mel de abelhas e penas de gaivota, para fugir dali, advertindo o filho que não voasse muito alto, para que o sol não derretesse a cera das asas, nem muito baixo, para que a água do mar não deixasse as asas mais pesadas. Ignorando os conselhos, seduzido pela ânsia de voar mais e mais alto, despencou nas águas do Egeu, enquanto o choroso pai seguiu voando.


Na medida certa, a ambição é produtiva e salutar, desmedida, pode ser desastrosa:


Se demasiada, leva aos desatinos da corrupção, da ganância, criminalidade e toda sorte de desajustes; resultando na inexorável queda dos altiplanos da ilusão.


Se pouca ou inexistente, conduz à preguiça e ao desânimo, adoecendo por inação a alma acomodada, aclimatada à província do menor esforço.


Como Ícaro, precisamos encontrar o ponto de equilíbrio para nosso voo existencial. Nem o voo raso da mediocridade, que carrega o peso da insatisfação, inveja e tantas distonias comportamentais. Nem a embriaguez das utopias e suas sedutoras miragens. O limite do nosso voar está no conhecimento de nossas capacidades e possibilidades. O tempo, o estudo e o trabalho, costumam nos municiar de melhores condições para maiores voos, aperfeiçoando, aprimorando nossas asas.



   
 
 

8 comentários:

  1. Olá, menino António!

    Estive pesquisando para saber quem foi o autor da pintura, mas não encontrei nada, que nos ajudasse. Claro que eu sei que tu, antes, já o terias feito, mas mesmo assim, tentei.

    Descobri, agorinha mesmo, que ao lado das pinturas costumas iniciar o post, o texto, porque quando comecei a ler, a primeira palavra que era "no" deveria ter antecedente. Agora, percebo, quando te falei daquele Ve. Se lembra? Poderias ter me avisado, me alertado, mas o menino tem receio de falar, de me magoar. "Tontinho"! As minhas desculpas, porque só agora vi a escrita do lado direito da imagem. "Tou" desculpada?

    Gosto muito de Mitologia, e até imagino que foi verdade - risos.
    Conheço essa história, que acho fantástica e encerra moral.

    Pois é, voos altos, normalmente têm quedas enormes, porque a ganância não perdoa, os baixos, quase rasos, revelam falta de autoestima e de entusiasmo. O melhor, sim, são os médios, aliás, no centro reside a virtude.

    As aulas já acabaram aí? Estás de férias? Sinto que estás com mais tempo e te sentes mais livre e solto.

    Boa semana e abracinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, procurei o autor da pintura sem ter sucesso.

      Coloco sempre uma breve descrição ou, na maioria das vezes, um trecho do texto que dê uma ideia da mensagem. Não há de que se desculpar...

      A mitologia guarda grandes ensinamentos, também gosto muito. Já a mitológica "História" e política do Brasil...

      Eu vivo de férias. Sou aposentado. A questão é que às vezes a inspiração é maior, noutras, não consigo escrever nada. Aqui as aulas nas escolas particulares vão até o final de novembro, nas públicas até meados de dezembro.

      Boa semana para ti também. Um abraçãozinho.

      Excluir
  2. Só nós dois, por aqui...!!!

    Olá, António, buenos dias!

    Tudo bem? Aqui, e aproveitando a hora de almoço, estou te escrevendo. Sou uma "minina" bem comportada, "linda" e ajuizada (não é só pra rimar, não - risos).

    Sim, agora já entendi, só que eu não costumava ver nem ler as palavras, que colocas ao lado da imagem, na lateral direita dela.

    Todos os países têm sua "mitologia" e a propósito disso vou te contar um "segredo". Meu blog tinha um seguidor colombiano, advogado, pintor de aquarelas, homem de muita fé, me parecia, e de muita espiritualidade ("nada" físico - risos), e nem sei mesmo como ele foi visualizar meu blog, tão de "perdição" e comentar meus calientes poemas, mas era assíduo, respeitador, e nunca troquei um e-mail sequer com ele, nem ele comigo, logicamente.
    Como os textos dele falavam de amor humanitário, de justiça, de problemas sociais e económicos, um dia eu lhe falei no comentário que lhe deixei, que lamentava a droga, os cartéis de droga que existiam e existem na Colômbia e lhe perguntei as razões de o governo de lá, embora sabendo, fechar os olhos, embora fizesse umas intervenções, de vez em quando, àquela situação.
    Olha, querido, me respondeu com "duas pedras na mão", me dizendo que o cartel de droga da Colômbia era igual ao de Portugal. Claro que tive que ripostar, até elegantemente, e lhe perguntei onde ficava nosso cartel, aqui. Nunca mais respondeu à minha questão, nem comentou meus escritos. Depois da minha pergunta, esteve umas semanas até sem postar e eu fiquei até preocupada. Segundo soube há dias, teve uma depressão e por isso precisou descansar e tomar medicação forte.

    Portugal tem droga, sim, mas nada que se compare com a Colômbia. Toda a gente sabe/conhece, em Lisboa, por exemplo, as principais zonas onde ela é vendida e até traficada e por vezes, a Polícia apreende enormes quantidades de marijuana, que vem de Marrocos, do norte mais propriamente. A situação geográfica do meu país é muito boa e muito má. Entendes?

    Ah, não sabia! Agora, estou pensando: os professores aí se reformam, em condições normais, aos 55 anos, segundo me disse uma blogueira brasileira, mas por incapacidade, pode acontecer mais cedo. É assim?

    Agradeço tua informação quanto ao calendário escolar daí. Aqui e em meados de dezembro começam as férias do Natal, portanto já fizemos um período escolar, k se iniciou em setembro, mas se compreende porque vivemos em hemisférios opostos.

    Escrevi tanto, Virgem Santíssima! Agora, vou estar uns 3 meses sem parecer por cá - risos. Pode ser?

    Abracinho, menino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha intenção é que o texto apareça acima da imagem. Mas, termina variando conforme o tamanho da tela.

      A internet tem disso, não sabemos quem está do outro lado e somos surpreendidos com certas situações. Infelizmente, as drogas viraram uma pandemia devastadora para uns. E extremamente lucrativa para muitos.

      Sobre a aposentadoria, é assim mesmo.

      Ficar sem comentar por aqui?! Pode não dona moça!Como no "Pequeno Príncipe": "sois eternamente responsáveis por aquilo que cativas". Por falar nisso, parafraseando essa citação, um programa humorístico, me saiu com essa pérola, dita pela personagem Magda, uma mulher burra interpretada por Marisa Orth: "Sois eternamente responsáveis pela Cannabis que sativas". Veja aqui várias e risíveis bobagens dela: https://www.youtube.com/watch?v=9XNph8OIiTY

      Um abraçãozinho.

      Excluir
  3. Oi, menino Tonico!

    Pois, acredito que sim, e tudo depende do tamanho da pintura.

    A Internet tem tanta coisa, tem gente um tanto esquisita, mas vendo bem ela é composta por imensas pessoas, de vários continentes e cada qual tem sua maneira de ser e de reagir. Olha, vou te falar uma coisa: eu sou louríssima, olhos verdes e bem alta (1,80m) - mentira! Se conseguisses ver minha foto, verias que sou bem diferente.

    Isso mesmo! Quem a trafica, geralmente, não a toma. Os outros, os dependentes ficam sem família, emprego, amigos, etc. Triste realidade!

    Aqui, a aposentadoria dos professores é aos 62 anos e uns meses (ainda não entendi pra que são precisos os meses, 2 ou 3, creio) em condições normais, e por incapacidade, ah, a "coisa" aí se arrasta e muito dificilmente dão a aposentadoria, antes.

    Que carinhoso! Dona moça, você me chamou! Não sei se será eternamente, mas desde 2011 que a gente troca conversa e comenta nossos blogs, portanto, tudo indica continuação.

    Já ouvi falar desse programa humorístico na TV. Já escrevi o link, que tu me enviaste, mas ele não abre. Me manda por e-mail, por favor e se possível. Sabes que eu sou um zero, nessas coisas.

    Bijous (se não sabe francês, paciência -risos) et bonne soirée

    ResponderExcluir
  4. Retificando: bisous, se escreve, desse jeito e não como escrevi no comentário acima. Ai, esse emu francês! Sorry!

    ResponderExcluir
  5. Ai, António tanto erro k eu dou! Vê como eu escrevi meu na retificação acima. "Tou" perdendo qualidades, ah, "tou".

    Já recebi o link do Programa Humorístico, As Pérolas da Magda e o do teu novo post. Merci! Depois, a gente conversa.

    Inté!

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...