Deserto - Apon na arte da vida

Bom estar com você aqui no APON NA ARTE DA VIDA!



Leitura sorteada - Nossos vídeos

Postagem em destaque

Por onde anda você?

Você, que vaga em meus sonhos, qual a brisa de outrora; acordando sentidos, acarinhando sentimentos; exumando lembranças, memórias ...

Deserto

Publicado em sexta-feira, 5 de maio de 2017


Ilustração oficial do blog - Uma rosa vermelha na diagonal, sobre um fractal do por do sol, com o nome Apon em relevo, na parte inferior da imagem. #PraCegoVer

A vida marca a alma
como o sol inclemente
rachando a terra seca,
mas basta água
para a vida florescer
desfazendo a aridez.
Assim é com o coração
que marcado pela dor
não perde a sede de sonhar,
cicatrizar suas feridas,
desfazer o caos,
colando os retalhos do viver.
Deixa que a chuva molhe a terra,
como o orvalho beija a flor
sem negar refrigério ao espinho;


dor que passa, é lição que fica,
dor que fica é tortura que não vai;
tortura é dor que se abraça,
lição é dor que se dá asas
e manda voar.
O que passou passou,
não se pode engaiolar o tempo
senão o tempo engaiola a gente:
nas marcas áridas das desditas,
no caótico exílio da emoção,
na armadura
que nos faz cativos de nossos medos,
na fuga ao nada,
na deserção do sentir,
no abortar o sonhar,
no calar a poesia,
no vestir a mortalha do passado,
despir as possibilidades do futuro,
cristalizando pesadelos,
desertificando o peito.

Postado aqui em 16 de setembro de 2010.


Antonio Pereira Apon.

Siga-nos

Dê uma espiadinha em nossas postagens mais recentes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

@INSTAGRAM