Desentulha meu amigo! - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

 

                    Desentulha meu amigo!              

     

... pior que o sobejar de materialidades, é o entulho existencial que faz pesar a nossa vida: Defeitos e manias de estimação, coleções de...


Antonio Pereira Apon.


O fim do mundo e O grande dia da sua ira - John Martin.


Nascemos sem nem a roupa do corpo e partiremos despidos de tudo, inclusive do corpo, consumido no túmulo ou na cremação. Mas levamos a vida acumulando coisas, entulhando o dia a dia de tralhas, cacarecos, trecos e afins. São inúteis utilitários, sapatos e roupas que não vestimos, florestas de papel, objetos que obsolescem sem uso, modernosos gadgets envelhecidos pelo desuso, souvenires esquecidos, adornos empoeirados, livros e discos, coleções de nadas, conjuntos de coisa alguma, extravagâncias, desnecessidades, ostentações… Supérfluos redundante e absolutamente, supérfluos.


Mas, bem pior que o sobejar de materialidades, é o entulho existencial que faz pesar a nossa vida: Defeitos e manias de estimação, coleções de melindres e implicâncias, conjuntos de mágoas e ressentimentos, jogos de personalismos e dominação, monturos de inimizades e antipatias, muletas comportamentais, arquivos de desentendimentos, anais de mal-entendidos e maledicências, excentricidades, futilidades, preconceitos, dogmas, intolerâncias, invencionices, psicoses… Entulhos da alma que nada somam, assomam em dificuldades, distúrbios e insanidades do espírito humano.


Assim, sobrevivemos a lamentar a falta de tempo, de dinheiro, as incompreensões, incompatibilidades, distonias, inaceitações… E vamos terceirizando culpas, afinal, “o inferno são os outros”, como disse Sartre. E isso não tem solução? ... Tem sim, está dentro de mim, de você, dele, dela... Desentulha gente!



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

4 comentários:

  1. Olá, António!

    Mais um fabuloso texto em que dás nas "cabeças" de todo o mundo, incluindo na tua, e com toda a razão.
    Mais do que deitar fora o lixo, o entulho de coisas materiais, o importante será ficarmos limpos de corpo e alma, portanto, desentulhados. Mas será que alguém consegue isso?

    A pintura é "medonha", entulho e mais entulho, que só findará no fim desse sistema.

    Abracinho, menino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já basta o peso natural e inevitável da vida, não devemos nos sobrecarregar com o insensato sobrepeso de nossos desatinos. Desentulhar vamos, querendo ou não, a lei da evolução nos levará a isso. Mas quando? Esse o problema. Quanto mais tardamos, pior para nós mesmos.

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
  2. Que conscientização essa, eu amo poder desentulhar, ser livre, sem apegos, tenho sim conforto, mas nada exagerado, tudo dentro dos limites do meu jeito de poder administrar bem minha vida, amo essa sensação de liberdade!
    A Vida leve é tudo de bom!
    Abraços meu amigo poeta!Amei ler aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Tudo demais são sobras", diz o ditado. E alguém já disse: "menos é mais". Mais ser e menos ter...

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...