Desempregando o plural. "Os livro" e "os peixe" - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

domingo, 2 de setembro de 2012

 

                    Desempregando o plural. "Os livro" e "os peixe"              

     


Numa educação honesta não dá para improvisar o certo, ratificando o errado. O equivocado e o incerto, não tornam o incorreto em cultura popular. Não dá para concertar a desinteligência, institucionalizando a ignorância..


Livros empilhados


Discordar da concordância,

explicita a ignorância,

de quem não quis ou não pôde aprender.

O uso,

não transforma o errado em certo,

nem o faz "cultura popular".

O falar deseducado,

pode até ser tolerado!

mas jamais validar o incerto,

ratificar o equivocado.

O plural desempregar,

é inventar um descontexto,

Um desconexo singular.

Divorcio da norma culta,

litigio entre a linguística e a gramatica.

Para resolver tal problemática,

nada de projeto caça-níquel!

dê-se ao povo educação!

educação de verdade!

ensino público de qualidade...

Nada de pacote paraquedista,

Invencionice de "especialista",

aventureira "inovação".

Sem didática confusa,

Pedagogia difusa,

Modernosa embromação.

Nem escola de faz de conta,

nem salário que a dignidade afronta,

fim da alienante deseducação.

Com oportunidade igual,

sem índice artificial,

com emprego do plural.

 

Agora vou comer "os livro" lendo "os peixe"...



(Postado aqui em 10 DE JUNHO DE 2011).



Gostou desse texto?
Então vai gostar do nosso livro: Um dedo de prosa e poesia. A arte da vida.
Clique abaixo na capa para saber mais e adquirir seu exemplar.


São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...
Compre aqui!



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

   
 
 

3 comentários:

  1. Há muito nosso cotidiano é palco do" Desempregando o plural..." fruto de quem sabe: descaso de uns, conveniência de alguns e/ou falta de compromisso de outros.sabe-se lá, vá entender cabeça de gente. É compleeexo!!!!.De certo mesmo é que você Apon, continua através da sua arte desempenhando um papel social importante, o de nos motivar a perceber, refletir, repensar sobre algumas situações que nos cercam , que mesmo quando estão erradas achamos natural, por vivencia-a com frequência,como é o caso da deseducação. ,

    ResponderExcluir
  2. Oi António,

    Vamos ver se sei falar, isso é, quando o sujeito for singular, o resto da frase, também deve ser, e se for plural, temos de fazer a concordância.
    Essa se deveria fazer em todos os setores da nossa vida, sem dúvida, mas não é assim.

    Obrigada por seu comentário. Agora está tudo bem com meus blogs.

    Hoje, sou aniversariante. O texto que leu não dá pra notar. Só as rosas, que coloquei nos "Afetos e Cumplicidades" e numa imagem, que a Chica fez para mim, é que poderá ler.

    Boa semana.
    Um beijo da Luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luz.

      Aqui existe uma coisinha chamada: “jeitinho brasileiro”. Tentam até reinventar a língua portuguesa para justificar injustificáveis erros de concordância em livros destinados a escolas publicas.

      Quanto ao aniversário. Receba meu afetuoso abraço. Parabéns! (ainda que atrasado).

      Um abração

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...