Presente de natal, felicidade de ano novo - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Pensamento do dia:





Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

 

                    Presente de natal, felicidade de ano novo              

     

O grande presente de natal e a felicidade real de um ano verdadeiramente novo, dormitam em nosso íntimo, aguardando o despertar de uma vontade proativa, uma esperança operante e um sonho transformador. Esperar pelos outros, é jogar com a sorte. Vamos lá! Já passou da hora.


Antonio Pereira Apon.


Maria ensinando Jesus a ler.


Que a grande luz,

a luz do amor,

brilhe em cada coração.

Se Noel vier ou não chegar.

Que importa?

Importante é que Jesus seja nosso grande presente;

Presente de nosso pensar, sentir e agir.

Que ele faça luzir o bem:

Acima dos artifícios das aparências,

dos adornos da conveniência,

da fantasia das formalidades...

O “Bom velhinho” pode ser coadjuvante,

Mas, o Cristo,

precisa ser o protagonista do nosso natal de cada dia.

Para que o ano novo:

Mais que um desejo,

seja um presságio.

Mais que uma frase,

seja uma afirmação

Mais que uma expectativa,

seja uma esperança.

Mais que um sonho,

seja realidade...

Acima das crises,

da política ou da economia,

das religiões ou ideologias,

da ambição desmedida ou outra qualquer insanidade;

Acima dos contrários e de sua má vontade.

Novos tempos hão de vir,

novos rumos hão de alvorecer,

nova humanidade a se fazer.

Acredite!

Pode ser!

Desimportante é a cor que vista no réveillon,

os rituais ou superstições;

dá sorte é ter a alma transparente e cristalina:

sem as nódoas do se achar,

as manchas dos preconceitos,

as chagas do egoísmo,

as marcas da omissão,

as feridas da indiferença,

as cicatrizes do desânimo...

Dá sorte é fazer acontecer!

É não esperar!

É remar contra a maré dos “azares”!

O melhor presente de natal,

o mais feliz ano novo,

está guardado em cada um de nós;

aguardando ser desembalado,

para fazer um mundo melhor;

mais presente e muito mais feliz.



Postado aqui em 19 de dezembro de 2015.


Leia mais escritos para seu fim de ano:




   
 
 

9 comentários:

  1. Olá, querido amigo António!

    Como estás? Aqui, todo normal, mas o frio está apertando.

    Bem, como sempre, ando às voltas na "tua casa" para te poder encontrar, ler o que tu escreveste e bater um "papo" contigo. Pronto, mas agora já te "encontrei".

    Li e reli teu poema, onde só dizes verdades, umas vezes, recorrendo a metáforas, outras, dizendo tudo bem clarinho e direitinho.

    É quase Natal e há tanto para fazer, tanto para modificar! Era tão bom que este espírito, que até parece fraterno, se mantivesse todo o ano! Como tu dizes, sempre, ser é mais importante que ter e tens toda a razão.
    Não és perfeito, eu sei, tu sabes, mas tentas fazer e dar o teu melhor, profissionalmente e particularmente.

    António, "não estou de acordo" com você, quando dizes: "desimportante (não existe no Português de cá) é a cor que vista no Revéillon". Ah! Vou ficar em casa, mas preto e vermelho, sempre jogam muito bem.

    A gente, ainda, se "fala" antes do natal, porque estou pensando postar a 23 ou 24, mas caso tal não aconteça desejo para ti, filha e toda tua família o melhor do mundo, que vivas esta época na sua essência e não na doidice do consumismo. Cristo é o motivo, é A CAUSA de tudo isso.

    Santo Natal e um Ano Novo Profícuo.

    Aquele abração, repleto de luz, paz e carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já é natal! Felicidades mil! Fiquei alguns dias sem acessar a internet,
      por isso os comentários demoraram de aparecer aqui e só agora estou respondendo. Já passei lá no seu blog e comentei aquela caliente ceia.

      O que está dificultando a sua navegação por aqui? Na página inicial, aparecem os 10 posts mais recentes ficando no topo a mais nova.

      A palavra "desimportante" é um desses neologismos que vai se chegando de mansinho, cai no uso e logo aparece nos dicionários. Quanto a questão das cores, falo por conta de que, não adianta vestir essa ou aquela cor para dar sorte, atrair boas energias ou outro propósito qualquer, se a criatura conserva a alma desbotada, tisnada, embaçada, nebulosa, escurecida... É importante colorir e iluminar o íntimo para pintar sorrisos e refletir felicidade.

      Jesus conosco! Paz, saúde e muita luminosidade.

      Um abração natalino.

      Excluir
  2. Que saibamos deixar as excentricidades e o egoísmo sem lugar em nossos corações, não só por ocasião do Natal, mas em todos os dias de nossa existência. Difícil, eu sei, mas é meta preciosa a ser alcançada!
    Abraços natalinos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ter Jesus renascido dia a dia no coração, no natal cotidiano das lições do Cristo postas em prática. Viver o bem!

      Feliz natal!

      Excluir
  3. Oi, Antonio!
    Desejo um feliz e santo Natal a você e sua família!
    Que o Ano Novo seja repleto de Paz, Amor, Saúde e Prosperidade!
    Beijo carinhoso!

    ResponderExcluir
  4. Olá, António!

    Estava convencidíssima que tinha comentado este post. Será que o fiz noutro?

    Estamos em tempo de amor e renovação, que já deveria ter começado há muito.

    SANTO NATAL E BOM ANO NOVO.

    Aquele abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentaste sim. E seguindo na resposta: A perfeição é uma construção infinita, uma constante e incansável busca do nosso melhor. Só pessoas melhores, poderão construir um mundo melhor. Evolução não se improvisa, nem faz-se por mágica do acaso.

      Um outro abração natalino.

      Excluir
  5. Olá, Apon! Encantada com seu poema cheio de inspiração e força positiva. Acreditar, ir em frente, por a mão na massa, ter fé.. é isso. Que seu novo ano tenha paz, saúde, oportunidades e alegrias surpreendentes. Abraço, obrigada pela companhia o ano todo!

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...