Amor. Além do tempo, além da vida - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

sábado, 24 de fevereiro de 2018

 

                    Amor. Além do tempo, além da vida              

     

... os pássaros ganharam uma doçura no canto. Afinal Orfeu, na morte, se uniu à sua amada Eurídice e os dois nos Campos Elísios num vívido beijo, eternizam sua história de amor.


Antonio Pereira Apon.


Lindo casal, cada um em seu cavalo, se beijando, num clima romântico.


No blog Filosofando na vida, a professora Lourdes nos convida a escrever uma frase, verso, poesia, pensamento, mensagem… Sobre uma imagem postada a cada fim de semana. Acima, a imagem sugerida. Abaixo, a minha vigésima quarta participação nessa “brincadeira” intitulada: Poetizando e encantando.


Selo de participação no Poetizando e encantando.

O amor cavalga para além do tempo, mesmo além da vida. Transcendente poema que une corações em seu infinito sentir. Amor de Romeu e Julieta, de anônimos e anônimas ou o épico amor de Orfeu e Eurídice:

O poeta mais talentoso entre os viventes, Orfeu, filho da musa Calíope e do deus Apolo, Quando tocava sua lira, presente de seu pai, os pássaros cessavam seu voo e os animais selvagens perdiam o medo. As árvores se curvavam para colher os sons no vento.
Um dos Argonautas comandados por Jasão na busca do velocino de ouro. Com a música de sua lira, aquietava os ânimos, acalmando as brigas da tripulação. E no retorno, salvou a todos, quando seu canto silenciou as fatídicas sereias.


Enamorado por Eurídice, Orfeu a desposou. Mas, tão bela, a moça logo atraiu a cupidez de Aristeu, um apicultor. Rejeitado, o criador de abelhas a perseguiu, fazendo-a tropeçar em uma serpente, ser picada e perecer. Vingando-se, as ninfas, companheiras de Eurídice, fizeram toda a criação do sujeito morrer.


Triste e transtornado, Orfeu desceu ao mundo inferior a tocar sua lira, no intento de resgatá-la. Aquela música tocante e emocionada, convenceu o barqueiro Caronte a levá-lo vivo pelo rio Estige. E ainda a melodia, adormeceu Cérbero, o cão de três cabeças, guardião dos portões, encantando tormentados e monstros pelo caminho com os doces acordes de sua lira. Por fim sua arte aplacou a fúria de Hades, rei dos mortos, com a presença de um vivo em seus domínios, mas a sofrente música de Orfeu o tocou, arrancando-lhe lágrimas de ferro. A pedido de sua esposa, a deusa Perséfone, Hades permitiu o retorno de Eurídice ao mundo dos vivos, com a condição de que Orfeu não olhasse para ela até que esta, outra vez, estivesse sob a luz do sol. Música, alegria e celebração encheram a íngreme trilha ascensional para fora do reino da morte, contudo, no finzinho do tenebroso túnel, o moço olhou -a acidentalmente, assistindo a sombra de Eurídice desaparecer como um fiapo de fumaça, um fantasma, grito final de amor e lamento, suspiro fugaz saído do mundo dos mortos.


Desesperado e cheio de amargor, Orfeu recusava-se a olhar para qualquer outra mulher, fechando-se ao amor. Passou a acudir aos outros com seus conselhos, sem porem encontrar solução para seus próprios dilemas. Enfurecidas com seu desprezo, as selvagens mênades o dardejaram. A princípio, os dardos não podiam contra a sua música, mas elas, abafando sua melodia com gritos, conseguiram atingi-lo e o trucidaram. Sua cabeça cortada, atirada no rio Hebro, flutuou, ainda cantando, clamando: "Eurídice, Eurídice!"


As cruéis mênades, não lograram misericórdia dos deuses. Quando tentaram comemorar, batendo os pés na terra, em triunfo, sentiram seus dedos se espicharem e entrarem no solo. Quanto mais tentavam tirá-los, mais profundamente eles se enraizavam. Transformaram-se em silentes carvalhos açoitados pelos ventos furiosos que antes se emocionavam ao som da lira de Orfeu, até caírem numa morta ramaria estéril.


Chorosas, as nove musas enterraram os restos do rapaz no monte Olimpo. Onde, desde então, os pássaros ganharam uma doçura no canto. Afinal Orfeu, na morte, se uniu à sua amada Eurídice e os dois nos Campos Elísios num vívido beijo, eternizam sua história de amor.




Nossas participações mais recentes:



   
 
 

32 comentários:

  1. Interesante y bello texto.......Te dejo saludos a la distancia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Recíprocas saudações.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  2. Bom dia!
    Sempre com belíssimas inspirações! Amei

    Poetizando... Notável jura de Amor... [ Poetizando...]

    Beijos. Bom Domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O amor se eterniza, transcende para além do próprio tempo, dessa passageira vida.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  3. Antônio, gostei muito de tua participação lindamente inspirada! abraços, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O amor é a grande inspiração em todos os planos da vida, do espaço-tempo.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  4. Olá Antônio
    O amor transcende o tempo e se eterniza nos corações dos enamorados
    Adorei ler a emocionante história de amor de Orfeu e Eurídice
    Um abraço e um feliz domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O verdadeiro amor é imortal como o espírito humano. Faz-se infinito.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  5. Revendo, relendo e aprendendo com uma visão de sabedoria da vida! Excelente seu texto, Antonio! Mitologia sempre nos reporta a comparações com o que vivemos, hoje!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mitologia é uma fonte inesgotável de aprendizado e entretenimento.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  6. Amigo Antõnio, hoje você não só poetizou e encantou. Hoje você me emocionou com sua linda participação.


    ... os pássaros ganharam uma doçura no canto. Afinal Orfeu, na morte, se uniu à sua amada Eurídice e os dois nos Campos Elísios num vívido beijo, eternizam sua história de amor.


    RELEMBRAR ESSE ACONTECIMENTO DE AMOR QUE A HISTÓRIA CONTA AO LONGO DOS SÉCULOS, AINDA HOJE ME FAZ CHORAR.
    QUE BELA POESIA DE UM AMOR QUE SE ETERNIZOU. Parabéns amigo por essa bela e incrível inspiração. Parabéns! obrigada! Abraços, tenha um belo dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Revisitar os clássicos é resgatar lições imortais, sentimentos, encantamentos que não se perdem no tempo.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  7. Boa tarde, Antônio
    Linda e emocionante participação.
    Gostei imenso.
    Um forte abraço de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A emoção faz parte do poetizando e encantando.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  8. Achei deslumbrante a sua participação Antonio e me levou aos contos como esse que você narra com tanta veracidade e que nos toca muito.
    Parabéns pela sua inspiração.
    Bjs e obrigada pela visita e comentário.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mitologia nos faz viajar no espaço-temp, colhendo cultura, emoção, poesia, aprendizado...

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  9. Respostas
    1. Os casais dos clássicos literários e da mitologia, nos inspiram e inspiram novas histórias de amor felizes ou tristes.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
    2. Ola, Antônio!
      Tambem me veio à mente Romeu e Julieta mas me limitei a postar a foto, não mais .
      O amor por si só nos alcança e é eterno além do "enquanto dure " para os valentes guerreiros que não temem se aprisionarem pelos laços envolventes do amor consistente que cria história como a poeticamente relatada por você .
      Seja muito feliz e Abençoado junto aos seus amados!
      Abraços fraternos de paz e bem

      Excluir
  10. Olá, Tonico!

    Hoje, escreveste algo diferente e de que muito gostas, de que muito gostamos, aliás: Mitologia.

    Conheço a história, mas é sempre lee recordar. Se juntarem após a morte. Será que tem interesse, sabor? Pois, isso só mesmo em Mitologia, acho eu

    Gosto e acredito em amores presentes, vivos.

    Adorei teu post tal como o lindo tema, que também conheço.

    Abraço e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mitologia nos arrebata e nos faz viajar no espaço-tempo adimensional, empresta-nos as asas criativas da imaginação.

      A vida e o amor após a morte, existem. Mas, sem a fantasia, as tintas fortes da literatura e do mito. Tal homem, tal espírito. A morte é só uma passagem. A vida prossegue do outro lado com seus sentimentos e emoções.

      Aqui, a música Cavalgada de Roberto Carlos, na voz de um seu patrício:

      https://www.youtube.com/watch?v=vouXa2JnBBg

      Um abraço mitológico e uma boa semana. Inté!

      Excluir
    2. A Mitologia se confunde com a realidade, por vezes.

      Há uma canção portuguesa, que diz: "A vida é uma passagem pra outra margem". Não sei ao que se refere o autor da letra, pois aqui a outra margem, é do lado sul/este do rio Tejo.

      Não conhecia essa canção cantada por esse grupo, que nasceu e vive relativamente pertinho de mim, 40 Km, em Vila Franca de Xira, terra de touros e touradas, mas gosto da voz do cantor. A letra é fenomenal.

      Um abraço e feliz noite.

      Excluir
    3. Como disse o autor de Romeu e Julieta: "Existem mais coisas entre o céu e a Terra, do que sonha nossa vã filosofia". E Shakespeare estava certo. Sabemos muito pouco das coisas.

      Essa nossa vida é uma passagem, uma transição.

      Depois...

      Um abraço. Inté!

      Excluir
  11. Amigo Antônio que bela postagem. Nos reportar a essa emocionante história e que bela poesia acompanhada dessa música romântica! Parabéns amigo por essa maravilhosa participação. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A literatura e a mitologia guardam a poesia eterna do tempo, imortal e infinito. Isso nos inspira e seguirá inspirando.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  12. Parabéns Antonio, sua participação foi mitológica, muito gostoso de ler! Parabéns pela participação, perfeita como sempre.

    Grande Abraço
    Nick

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. perfeita é essa BC da professora Lourdes com tão diversificadas participações.

      Obrigado. Um abraço.

      Excluir
  13. Antonio!
    Uma Ode ao amor baseada em Romeu e Julieta e ainda com fundo musical do mesmo.
    Fascinante.
    Parabéns pela participação!
    “Eu escolho um homem que não duvide de minha coragem, que não me acredite inocente, que tenha a coragem de me tratar como uma mulher.” (Anaïs Nin)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2018/02/divulgacao-cultural-27-24-poetizando-e.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O amor é a grande poesia que transcende ao tempo, a essa nossa vida passageira.

      Um abraço.

      Excluir
  14. Que maravilha xará. Coisa de mestre das palavras e poesia. Belíssimo trabalho com uma inspiração nos símbolos do amor. Criatividade perfeita. Meus aplausos amigo.
    Meu terno abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inspirei-me no inspirado mito e o amor nos inspira a todos no poetizando e encantando.

      Obrigado amigo. Um abraço.

      Excluir
  15. Bom dia!
    Hoje tem Poetizando e Encanando. O desafio dessa edição, confesso não foi fácil. É uma imagem linda mas que tem traços de outras daí a dificuldade, mas para grandes poetisas e poetas como os nossos participantes, vai ser a mais linda das edições. Este é o convite para a 25ª Edição.
    Tenha um fim de semana de muita paz, saúde e inspiração. Abraços da amiga Lourdes Duarte.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...