Coisa de criança - Apon na arte da vida

Bom estar com você aqui no APON NA ARTE DA VIDA!


Vai comprar na internet? Amazon,Americanas, Shoptime, Submarino, Positivo... As melhores lojas e os menores preços, reunidos no Apon Magazine. Aqui você encontra de tudo: de alimentos à smartphones, de livros à notebooks, roupas, eletrônicos, brinquedos, pet, utilidades, joias e muito mais. Usamos a tecnologia Lomadee para reunir tudo num só lugar.

Quer ajudar? Faça um PIX e colabore.

Siga-nos

Dê um toque. Leia um escrito especialmente sorteado para você. Clique na figura abaixo.
Clique aqui, para ler um texto aleatoriamente selecionado pelo sistema.

Coisa de criança

Publicado em quinta-feira, 30 de setembro de 2021


Cata-ventos. #PraCegoVer

Na dicotomia entre "coisa de adulto" e "coisa de criança", vamos trancando, maltratando nossa criança interior. Para não nos sentirmos infantilizados, assumimos a postura infantil de abrir mão da ludicidade, da simplicidade, espontaneidade e outras tantas coisinhas que trazem felicidade, bem-estar, leveza, suavidade para o viver. Depois: entristecidos, deprimidos, ensimesmados... Negamos o menino, a menina que tenta sobreviver dentro de cada um de nós. Apercebidos que felicidade é bem, "coisa de criança"; da nossa criança que quer brincar, viver.

Um menino empinando o tempo,
pipa, rabiola bailando no ar;
seu brinquedo que galopa o vento.
Outro traz um colorido catavento,
aquele, solta matizadas bolhas de sabão,
fantasia a flutuar.
Meninos, meninas no balanço,
cirandas, cantilenas, o pião a cirandar;
picula, esconde-esconde, baleô, amarelinha...
Coisa de criança a recrear.
Tudo é riso e num riso,tudo passa,
feliz a vida abraça,
quem vive da infância o brincar.

Mas, um dia essa gente cresce,
tranca o riso e se esquece,
desaprende a brincadejar,
prende sua criança traquina,
se doutrina a encarrancar;
cai na ciranda da rotina
e no carrossel da pressa,
se apreça a resmungar.
Fica triste, mas insiste;
abre mão da linha que empinava o tempo,
abdica do lúdico catavento,
desiste dos sonhos como das bolhas de sabão,
desaprende a cantar, cirandar, girar o pião;
não brinca, não transige
e já não vive.
Apenas finge;
Interpreta o seu adulto papel.
O resto?
É coisa de criança.


Se ainda não se inscreveu, inscreva-se em nosso canal, clique no sininho para escolher receber nossas notificações, ser avisado(a) dos vídeos novos. E não esqueça de dar seus likes. Conto com você! Obrigado.


Antonio Pereira Apon.

Siga-nos

Dê uma espiadinha em nossas postagens mais recentes:


2 comentários:

  1. Olá, querido Tonico!

    Que poema maravilhoso e tão realista!
    Nós esquecemos o tempo em que fomos crianças e em que tudo fazíamos com naturalidade e ingenuidade. Não deveria ser assim, mas infelizmente arranjamos problemas que se fôssemos crianças resolveríamos num abrir e fechar de olhos.

    Trancar o riso e sorriso, jamais. Continuemos crianças, interiormente, já que com o tempo crescemos e nos tornamos adultos, que muitas vezes desaprendem de sonhar e de "brincar".

    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desaprendemos e nos perdemos da poesia da vida e para não parecermos infantis, nos travestimos de adultos, ostentando patéticas e infantilizadas máscaras que sonegam felicidade, suavidade e beleza ao viver.

      Um fim de semana com todo o bem possível e uma semana a contento.

      Um grande abraço.
      Leia mais em nosso Blog: https://www.aponarte.com.br

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.




Se desejar, você pode usar o PIX para fazer uma contribuição de qualquer valor para o nosso Site/Blog.

Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Troféu rosa da amizade/Afeto.


Rosa da amizade/Afeto do Poetizando e encantando da Professora Lourdes..



|Siga-nos|Livros|Clima e cotações|Faça uma doação|



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.





Follow
View My Stats

DMCA.com Protection Status


@INSTAGRAM